Osteossarcoma em cães: o que é e como evitar

Por Cobasi

Compartilhar:
osteossarcoma em cães cachorro triste deitado

Viu seu cachorro mancando e não sabe o que fazer? Você já sabe é que, ao notar qualquer alteração no comportamento, deve levar seu animal de estimação ao médico, certo?! Sendo assim, em casos de cachorro mancando, entre as possíveis causas do problema está o osteossarcoma em cães

Esse tipo de tumor é maligno e a neoplasia óssea mais comum em cachorros. A doença causa destruição celular e perda de continuidade dos ossos, por isso o animal manca e sente dores intensas.

Neste artigo vamos explicar o que é o osteossarcoma em cães, fatores de risco, sinais clínicos e o tratamento da doença. Siga conosco e confira!

O que é osteossarcoma em cães?

O osteossarcoma em cães é um dos tipos de câncer ósseo canino mais agressivos. Apesar de a doença afetar animais de qualquer raça ou porte, é mais comum em cachorros de porte médio, grande ou gigante, com mais de 25 quilos e acima dos cinco anos. Assim, algumas raças que sofrem com esse problema são:

  • São Bernardo;
  • Terra Nova;
  • Dogue Alemão;
  • Doberman;
  • Rottweiler;
  • Pastor Alemão.

Mancar é um dos sinais clínicos do osteossarcoma em cães, já que o tumor afeta ossos longos, como fêmur, tíbia, rádio e ulna. 

Contudo, é importante ressaltar que nem sempre o sintoma se relaciona à doença. Sendo assim, o tutor precisa de atenção frequente aos hábitos e comportamentos do animal. Ao notar qualquer mudança, é necessário levar o pet ao veterinário imediatamente para investigar as causas.

Sintomas do osteossarcoma

A neoplasia apresenta sinais clínicos específicos, como:

  • cachorro mancando sem motivo aparente, sobretudo nas patas dianteiras, que costumam ser as mais afetadas;
  • febre;
  • perda de apetite;
  • choro;
  • irritabilidade;
  • edema;
  • calor na região;
  • relutância em caminhar e dificuldade em ficar em pé.

Fatores de risco

Os fatores de risco mais comuns são externos, como traumas anteriores e exposição à radiação. Hereditariedade também torna o animal predisposto a osteossarcoma, embora seja menos frequente em relação às causas anteriores.

Tratamento

osteossarcoma em cães cachorro sentado triste

Ao notar qualquer sintoma, vá ao veterinário. Ele irá pedir diversos exames, começando pela radiografia. Além disso, para comprovar a presença do tumor serão necessários pedidos complementares, como exames histopatológicos, biópsias e análise da cultura de fungos e bactérias. O profissional ainda poderá solicitar outros exames que julgar necessários para descartar outros problemas.

Em geral, o tratamento indicado é a cirurgia de amputação do membro, já que a doença não tem cura. Dessa forma, retira-se o tumor, de modo a impedir que ele se espalhe.

No pós-operatório, é essencial realizar a quimioterapia, pois dessa forma é possível impedir que células cancerígenas se multipliquem e avancem pelo corpo. Caso o pet não realize o tratamento, é comum que o tumor se propague até o pulmão em até seis meses.

A quimioterapia é apenas uma forma de prolongar um pouco mais o tempo de vida do animal. O procedimento oferece sobrevida de até um ano e meio, uma forma de melhorar a qualidade de vida do pet durante seus últimos dias.

Tem como evitar o osteossarcoma?

A melhor forma de evitar o osteossarcoma canino é investir em uma alimentação balanceada, que ajude a fortalecer os ossos. Além disso, tutores precisam de cuidados redobrados com cães grandes. Deixe a casa acessível para evitar microfraturas e lesões, sobretudo em cachorros idosos.

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário