Piscina para cachorro: o pet pode nadar?

Lysandra J. Barbieri

| Atualizada em

Colaboração de Lysandra J. Barbieri

Compartilhar:
Piscina para cachorro é tudo de bom

Quando o verão está a todo vapor, os cachorros, assim como nós, também adoram se refrescar. Além do bebedouro sempre cheio de água geladinha, com frequência, dar um belo mergulho na piscina é tudo de bom!

Se você adora fazer tudo na companhia do seu melhor amigo peludo, e quer saber se ele pode entrar na piscina com você, a resposta é: sim! No entanto, existem alguns cuidados que vocês precisam ter para que esse momento seja muito divertido e sem estresse. Vem com a gente conhecer!

Todo cachorro sabe nadar?

Segundo a médica veterinária Lysandra Barbieri, da Educação Corporativa Cobasi, existe mesmo um instinto natural que permite aos cachorros nadar mesmo que não façam isso com frequência. Porém, é preciso ficar atento: “Alguns animais podem não ser bons nadadores, outros, mesmo sendo, podem não conseguir subir na borda da piscina, por exemplo”, afirma Lysandra.

Por isso, antes de deixar seu cachorro ter acesso livre à piscina, é fundamental garantir que vá sempre ter alguém de olho nele, supervisionando e pronto para pular na água em caso de emergência. Fica mais fácil se você pensar nos cachorros como crianças: assim como elas não podem ficar sozinhas na piscina sem um adulto por perto, os cachorros também precisam estar sempre acompanhados quando estiverem na água.

Cuidados com o cachorro antes, durante e depois da piscina

cachorro Golden mergulhando na piscina

Você e seu cachorro estão prontos e ansiosos para dar o primeiro mergulho, certo? Mas há alguns cuidados que você precisa tomar antes, para não ter dores de cabeça depois.

O primeiro deles é garantir que o cachorro esteja com as vacinas e o vermífugo em dia, além de não ter nenhuma doença que o impeça de brincar na água. Para isso, o melhor a fazer é consultar o médico veterinário que faz acompanhamento regular do seu peludo.

Com isso em dia, a veterinária Lysandra Barbieri dá a dica: “Atente-se para orelhas e use, de preferência, algodão impermeável para evitar a entrada de água. Redobre a atenção com relação ao sol, e se possível, use filtro solar”. Vale tomar cuidado, também, com a área do entorno da piscina, que geralmente é feita de concreto, podendo ficar muito quente e oferecer risco de queimadura às patinhas do seu cachorro.

Caso o cachorro tenha acesso a uma piscina só pra ele, a água não deve ser clorada, mas precisa estar com o pH equilibrado. Mas, se o cachorro for acessar a piscina da família, é preciso manter em dia o tratamento completo da água e também remover quaisquer impurezas que fiquem para trás, como pelos que podem se acumular no sistema de filtragem.

Depois da brincadeira, um bom banho

Você não precisa se preocupar em aplicar produtos específicos nos pelos do seu cão após os mergulhos na piscina. Mesmo assim, é preciso dar um bom banho para remover o cloro quando a brincadeira do dia for encerrada.

Use o shampoo a que seu cachorro já está acostumado e, depois de remover toda a espuma, seque bem cada parte do corpo, sem esquecer dos espacinhos entre os dedos. Não deixe de secar, também, as orelhas, para prevenir qualquer acúmulo de água nos ouvidos do cachorro.

Para fechar, fique atento ao comportamento do seu cachorro depois da brincadeira na piscina e fale com o médico veterinário imediatamente caso note qualquer alteração.

Piscina inflável para cachorro

Se seu cachorro é daqueles que adora água, mas você não tem piscina em casa. Que tal uma piscina inflável? Disponível em diversos tamanhos, esse equipamento pode ser usado para refrescar seu pet nos dias mais quentes e também tem utilidade no inverno.

Isso mesmo! Basta colocar bolinhas plásticas para ter uma piscina de bolinhas onde o pet vai se divertir em todas as estações.

Boa diversão para vocês!

Quer mais dicas para cuidar do seu cachorro no calor? Confira os posts do nosso blog:

Compartilhar:

Tags:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário