Por que os gatos arranham?

24 de julho de 2019

Gatos

Seja para demarcar território ou para realizar a manutenção das unhas, a arranhadura faz parte do comportamento natural dos gatos. Porém, muitas vezes a prática pode ter como alvos objetos indesejados, como sofás, cortinas e mobílias. O que torna a ação um problema para os tutores.

Por isso, é imprescindível entender a necessidade de arranhar dos gatos, e principalmente direcionar a ação para o local apropriado. Como retraem as unhas, pedaços lascados ou soltos acabam incomodando os felinos, que utilizam a arranhadura para renovar e afiar as unhas.

Além disso, os gatos arranham os itens visando a demarcação do território, deixando sinais de sua presença pela casa. “Ao arranhar os gatos deixam nos objetos sinais visuais (a laceração), e o odor interdigital felino, um sinal químico que os gatos utilizam para comunicação. Por ser um comportamento instintivo e normal, o ideal não é
inibi-lo e sim direcioná-lo para um local apropriado, como o arranhador”, explica a Médica Veterinária e Gerente de Produtos da Unidade de Pets da Ceva Saúde Animal, Priscila Brabec.

Para estimular o uso do item, é indicado que o arranhador fique próximo do móvel que costuma ser alvo das arranhaduras do felino, dessa forma ele terá sua atenção condicionada para o objeto adequado. Além disso, o arranhador deve ter um tamanho ideal para que o gato possa se esticar e fazer a arranhadura.

Outro item que auxilia no direcionamento dos gatos para o arranhador é o Feliscratch, umanálogo sintético do odor interdigital felino. O produto, desenvolvido com exclusividade pela Ceva auxilia no redirecionamento do animal para o item e tem ação clinicamente comprovada.

Com formulação líquida, o Feliscratch une outros dois princípios: coloração azul, que mimetiza visualmente as arranhaduras e Catnip que atraí os animais para o arranhador. Feliscratch é comercializado em embalagem com nove pipetas de 5ml cada.

O produto deve ser aplicado diretamente no arranhador na posição horizontal, desenhando duas ou três linhas verticais.  O protocolo inicial é de uma pipeta por dia, por sete dias consecutivos, seguido por uma pipeta na terceira e quarta semana.

O Feliscratch irá auxiliar os tutores a recondicionarem o comportamento de arranhar para o arranhador correto.

“Vale ressaltar que em casas com múltiplos gatos é de extrema importância que cada animal tenha um arranhador”, finaliza Priscila.

Texto produzido por: Ceva Sade Animal