Conheça uma das espécies mais exóticas de ave: o papagaio drácula

Compartilhar:


papagaio drácula

Quando falamos de papagaios, a imagem de uma ave verde logo vem à cabeça. Mas, existem quase 400 espécies deste animal, e muitas delas são exóticas. A mais diferente é o Pesquet ou mais conhecido como papagaio drácula.

Sobretudo, essa espécie é uma bela ave com penas pretas e cinzas no peito, além de vermelhas brilhantes e pretas nas asas. O bico desse animal também é escuro.

Nos machos, também pode ser encontrada uma penugem vermelha na cabeça. Além disso, os papagaios drácula podem ser encontrados nas florestas tropicais da Nova Guiné, uma ilha da Oceania.

Nesses animais, a cauda é curta, mas eles são grandes, podendo chegar a 50 cm de comprimento. Essas aves pesam entre 800g e 980g. Os papagaios Pesquet não escalam os galhos para subirem as árvores, ao contrário da maioria das espécies. Para se moverem, eles dão longos pulos.

Quando o assunto é a alimentação, os papagaios drácula gostam de frutas, e as favoritas deles são os figos.

Imponentes, essas aves são alvo constante de caçadores ilegais. Por terem penas muito diferentes do comum, elas são bem valiosas, usadas em vestidos cerimoniais. Com isso, a população desses papagaios está cada vez menor.

Além disso, não são apenas as cores das penas que tornam esses animais tão peculiares e atraentes. Estes papagaios também fazem ruídos muito diferentes. Geralmente, esses sons são descritos como rugidos e rosnados.

Como cuidar de um papagaio drácula em casa?

Apesar do papagaio drácula não ser uma opção para ser criada em casa, há espécies para quem quer ter esse tipo de animal como pet. Mas, o primeiro passo para isso é ter um com registro no IBAMA, já que são animais silvestres.

Os papagaios de estimação legalizados são vendidos com documentação e tem um anel do IBAMA para comprovar que está tudo certo e legalizado. Ter esse tipo de cuidado resguarda os tutores de eventuais problemas. Além disso, a documentação em dia também facilita as idas ao veterinário para cuidar do seu pet.

Ah, e esse é outro investimento que o tutor deve ter! Cuidados veterinários com consultas e exames em intervalos de um ano.

Sendo assim, lembre-se de alguns pontos de atenção: peça o Certificado de Registro do seu papagaio; pegue o CNPJ do criadouro e pesquise sobre o local, você pode pesquisar no site do Ibama; não esqueça de pedir a nota fiscal com todos os dados do criadouro; para atestar a origem do animal, ele precisa ter uma anilha fechada em uma das patas ou microchip.

Como falamos anteriormente, comprar um animal silvestre de origem duvidosa e sem registro, pode acarretar punições. O dono está sujeito a multa ou prisão de seis a dois anos.

No Brasil, existem 12 espécies de papagaios. Os tipos mais comuns desse animal no país são:

Papagaio-verdadeiro

Quando pensar em papagaios, é esse que vai vir a sua cabeça. Típico de regiões tropicais, possui penas de cores vibrantes, principalmente verde, amarelo e azul. Essa espécie é sociável e gosta de falar, sendo capaz de imitar a voz humana.

Não se esqueça de comprar ração adequada para o seu amigo e acessórios que vão ajudá-lo no dia a dia.

Papagaio-do-mangue

Também bastante comum no Brasil, essa espécie tem o corpo verde, com penas amarelas e azuis, na região da cabeça. Eles não são tagarelas, mas são barulhentos, pois tem o hábito de assobiar.

Não deixe de acessar os outros textos para saber mais sobre outros papagaios e espécies de aves.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário