Cachorro lambendo parede: o que pode ser?

Compartilhar:


Ver um cachorro lambendo a parede é algo muito estranho. Será que a tinta tem gosto? Talvez seja algo no tijolo? Será a falta de algum nutriente na alimentação? Nada disso! Na verdade, esse comportamento tem um fundo psicológico e tem muito mais a ver com o tutor do que com a parede em si.

Ficou confuso? Continue a leitura, entenda esse comportamento e veja como acabar com ele.

Vi meu cachorro lambendo a parede: por quê?

Mais do que comida e água, os cães precisam ter uma rotina produtiva. Isso porque é dessa forma que se pode evitar comportamentos compulsivos e nocivos. Portanto, ao ver um cachorro lambendo a parede, pode se preparar para encontrar formas de enriquecer o ambiente e o dia a dia do pet.

O estresse, o tédio e a ansiedade são os principais motivos pelos quais um cachorro lambe a parede ou o chão, rói o pé da cadeira ou pega o sapato do tutor. Da mesma forma que nós roemos as unhas ou adquirimos comportamentos ruins em momentos de estresse, os cachorros também precisam de um escape para essas horas.

Distúrbios compulsivos em cães

Esses comportamentos têm até nome: distúrbio compulsivo. Eles acontecem no formato de ações repetitivas, como lambedura excessiva da pata, perseguição da cauda e, claro, lamber e roer a parede.

Portanto, ao identificar qualquer um desses sintomas, procure um médico-veterinário para diagnosticar o animal e indicar o tratamento adequado.

Existe tratamento para cachorro lambendo a parede?

Sim! Após um veterinário avaliar o animal e eliminar deficiências nutricionais e outras doenças, ele poderá prescrever um tratamento composto por mudanças na rotina, enriquecimento ambiental e, algumas vezes, medicamentos antidepressivos.

Os medicamentos são usados para equilibrar a química do animal, caso necessário. Contudo, muitas das vezes a raiz do distúrbio está relacionada à rotina e ao ambiente.

De qualquer forma, com ou sem remédio, o tratamento para cachorro lambendo parede e chão costuma consistir no aumento da quantidade e intensidade de atividade física do animal, maior interação com o tutor e enriquecimento ambiental.

Como evitar esse comportamento?

A prevenção e o tratamento usados para cachorros lambendo parede ou destruindo a casa são muito parecidos. Eles focam em reduzir o estresse e o tédio dos animais e, assim, proporcionam uma rotina mais atrativa e divertida para o animal.

Rotina de exercícios

Em primeiro lugar, vem uma rotina de atividades físicas que corresponda ao nível de energia do seu pet. Isso porque existem cães que podem passear apenas uma vez por dia e dormir o resto da tarde, enquanto outros passeiam quatro vezes e seguem cheios de energia.

Portanto, a rotina de exercícios deve ser programada de acordo com a necessidade de cada animal e pode incluir diversas atividades. Por exemplo:

  • passeios curtos na rua (15 minutos);
  • passeios longos na rua (a partir de 40 minutos);
  • dog walker;
  • brincadeiras em casa (bolinha, corda, etc.);
  • brincadeiras em parques;
  • diária em creches;
  • adestramento.

A eficácia da estratégia adotada pode ser vista no comportamento do animal em casa. Ou seja, se ele fica relaxado e sem um nível alto de energia, é porque esse é o caminho.

Interação com o tutor

Com a rotina agitada, muitos tutores não têm tempo para brincar, fazer carinho e companhia para o pet, o que pode gerar estresse e comportamentos indesejados, como cachorro lambendo a parede.

Assim, brincadeiras dentro de casa, sessões de escovação ou um simples filme no sofá com o cachorro são atividades que ajudam a reduzir o estresse do animal.

Porém, se você viaja muito ou fica muitas horas hora de casa, é melhor buscar alternativas, como deixar o pet em uma creche ou com um cuidador durante o dia. Além de não destruir nada na casa, ele terá uma rotina muito divertida e cheia de atividade e carinho.

Enriquecimento ambiental

Por fim, o enriquecimento ambiental é muito importante para evitar o estresse e o tédio, principais motivos para os cachorros lamberem a parede ou destruírem a casa. Esse termo consiste em tornar o ambiente mais propício e interativo para o animal. Mas como fazer? Veja as dicas!

  • Tenha muitos brinquedos e reveze entre eles para que o animal não enjoe.
  • Esqueça o comedouro! Ofereça ração em bolinhas interativas.
  • Proponha desafios escondendo petiscos pela casa para o animal explorar.

O enriquecimento ambiental deve ser usado tanto para tutores que passam bastante tempo fora de casa quanto para aqueles que ficam sempre com seus pets. Os cães devem ter autonomia para diversão, assim não ficam tão dependentes e lidam melhor com momentos sozinhos.

Quer mais dicas? Mande a sua dúvida nos comentários!

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário