Porquinho-da-índia peruano: tudo sobre a espécie

Compartilhar:


Porquinho da índia Peruano: tudo sobre a espécie

Você já viu um porquinho-da-índia peruano e sentiu muita vontade de tê-lo como pet? Pois saiba que é uma ótima ideia! São animais independentes, pequenos, amigáveis e de fácil manutenção. Além disso, são excelentes para quem passa muito tempo fora de casa ou para quem mora em apartamento.

Mas, como qualquer outro bichinho, eles têm algumas necessidades específicas, necessárias para uma vida longa e feliz. Com os cuidados certos, o porquinho peruano com certeza será um pet muito amoroso! Então, aqui, vamos falar um pouquinho sobre essa espécie tão carinhosa.

Quais são as principais características do pet?

Considerado um roedor de porte médio, o porquinho-da-índia peruano mede, em média, até 27 cm, e o peso recomendado é de, no máximo, 1,2 kg. Eles têm uma expectativa de vida que pode variar entre 5 a 8 anos, aproximadamente.

A pelagem desse bichinho, muito chamativa por sua beleza, é longa e pode atingir até 50 cm de comprimento, apresentando diferentes cores e padrões, apesar de normalmente ser bicolor e monocromática.

O porquinho-da-índia peruano é bastante dócil, carinhoso e atencioso. Também apresenta um temperamento bastante sociável e amigável, sendo uma ótima companhia para seus tutores. Apesar disso, podem ser medrosos, e normalmente sentem receio de pessoas, animais ou locais novos, então, é preciso de calma ao ser introduzi-lo a novidades. 

Os porquinhos-da-índia são animais que gostam de viver em grupo. Por isso, eles precisam de companhia e não lidam muito bem com a solidão. O mais recomendado aos tutores é não tê-lo como “filho único”, e sim criá-lo com pelo menos mais um companheiro da mesma espécie. 

O que o porquinho da índia peruano come?

Nesse contexto, lembramos que a base da alimentação do porquinho peruano é a ração específica para a raça dele. A ração garante, com eficiência, todos os nutrientes que o organismo do pet precisa, e deve fazer parte da sua dieta diariamente, tornando-se necessário que o tutor estipule a quantidade de acordo com o peso e idade do bichinho.

Porém, você pode, sim, oferecer outros alimentos para complementar o cardápio do porquinho-da-índia peludo! E uma excelente opção são as folhas de couve, cenoura, beterraba, escarola e espinafre. Ademais, algumas frutas como banana, mamão e morango podem entrar de vez em quando na rotina do pet.

Mas lembre-se: qualquer alimento deve estar sempre fresco e bem lavado, a fim de evitar uma intoxicação alimentar. Além disso, nada de temperos como sal, óleo, alho e cebola! 

O feno de capim e de alfafa devem estar sempre à disposição do porquinho-da-índia peruano! Rico em fibras, esse é um alimento benéfico para o trânsito intestinal do pet. Ademais, o feno desempenha um papel importantíssimo em relação ao desgaste dos dentes do porquinho.

É importante ressaltar que os dentes desse roedor não param de crescer. Sendo assim, é preciso que o bichinho esteja constantemente mastigando, a fim de evitar lesões e má oclusão.

E atenção! Os porquinhos peruanos são bastante gulosos. Dessa forma, é necessário que a quantidade de comida oferecida a eles seja bem controlada, para que esses bichinhos não desenvolvam problemas relacionados à obesidade e sobrepeso. 

Caso haja alguma dúvida relacionada à alimentação do porquinho ou às quantidades ideais, sempre consulte um veterinário para que ele possa dar um auxilio considerando todas as necessidades nutricionais do pet.

Quais são os cuidados com o pet?

Porquinho da índia Peruano: tudo sobre a espécie

Antes de mais nada, é essencial adquirir uma gaiola bem espaçosa para o porquinho peruano. Quanto maior, melhor! Mesmo que os tutores consigam passar bastante tempo em casa e deixar o bichinho solto, seria interessante comprar uma gaiola bem grande, além de itens como bebedouro, comedouro e até um banheirinho, já que o porquinho-da-índia peludo é muito higiênico e gosta de fazer as suas necessidades no mesmo lugar.

Ah, e é essencial que o chão da gaiola não seja de grades, ou, se for, que seja revestido em algum material como papelão. Isso porque o pet pode acabar prendendo as patinhas entre os vãos das grades, ocasionando lesões.

Outro cuidado importante relacionado à gaiola é sempre ficar atento ao substrato! É importante fazer a troca sempre que estiver muito sujo ou com um odor desagradável. E, sendo que esse pet é bastante brincalhão e precisa gastar energia, é recomendado garantir acessórios como túneis e tocas. 

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

1 Comentário

  1. Luzia Aparecida Branco disse:

    Amei saber mais do porquinho peruano.

Deixe o seu comentário