Vermífugo para cães e gatos: guia completo

12 de agosto de 2019

Cachorros, Gatos, Saúde e Cuidados
Vermífugo para filhote

Os parasitas são inimigos dos animais de estimação e não é só das pulgas e dos carrapatos que estamos falando. Os endoparasitas são aqueles que atacam o sistema digestivo e intestinal, além de outros órgãos, como coração, e devem ser combatidos e prevenidos com o vermífugo.

Os vermífugos são remédios que combatem diversos tipos de vermes de cachorro e gato. Eles podem ser de amplo espectro, ou seja, aqueles que agem contra diversos parasitas, ou específicos para determinados organismos. Qual e quando usar? Com que frequência? Como administrar?

Responderemos essas e outras perguntas a seguir.

Tipos de verme de cachorro

Os parasitas de cachorro ou vermes, como também são chamados, se aproveitam do seu pet para sobreviver e causam problemas de saúde nele. Para combater os vermes intestinais, seu animal precisa ingerir o vermífugo indicado por seu médico veterinário. Se uma infestação não for tratada, o pet pode sofrer com problemas digestivos, imunológicos e também contaminar outros animais, inclusive seres humanos.

Existem vários tipos de vermes de cachorro, mas alguns são mais comuns e, por isso, a maioria dos medicamentos que agem como vermífugo para cães combatem alguns parasitas em especial. Vamos falar um pouco sobre cada um deles.

A lombriga possui um nome bem conhecido e chega aos 5 centímetros de comprimento. Sua presença deixa a barriga do pet distendida e rígida, e esse verme pode ser transmitido da mãe para o filhote. O ancilóstomo também tem a transmissão por meio do útero ou leite materno, no entanto, ao contrário da lombriga, ele é pequeno e fino.

O verme chicote, diferente dos anteriores, não sai nas fezes do animal infectado, pois fica restrito ao intestino grosso. A indicação da presença dele é o muco no cocô. Outros dois parasitas são comuns em cães: a tênia e a giárdia. A giárdia deixa o animal muito debilitado e exige vermífugo específico para seu tratamento.

Todos os vermes deixam os animais debilitados e podem levá-los ao óbito. Apesar disso, cada um exige um tratamento diferente e apenas um médico veterinário pode indicar qual o vermífugo eficaz.

Vamos conhecer um pouco mais sobre os tipos de vermífugos e como ajudar o seu veterinário no diagnóstico?

Remédio para verme de cachorro

Como mencionamos acima, o vermífugo é um medicamento que combate e previne contra endoparasitas. Também chamado de vermicida, esse remédio de verme para cachorro deve ser dado de forma recorrente ao pet.

Os cães podem contrair vermes em um simples passeio na rua, por isso, é muito difícil protegê-los. A melhor opção é o uso de vermífugo a cada 3 ou 4 meses. Cada medicamento possui um tempo de ação e o reforço indicado na bula. A marca do medicamento e a posologia devem ser indicados por seu veterinário de confiança.

O motivo para isso é muito simples. Cada vermífugo combate uma série de endoparasitas e apenas um veterinário poderá identificar e indicar qual o ideal. Além disso, cada verme possui um ciclo de vida e a posologia corresponde a isso. Pode ser que uma vez você faça um ciclo de 3 dias de medicação e, outra vez, apenas 1 dia.

Entretanto, o tutor pode ajudar o veterinário a fechar o diagnóstico. Se seu pet tiver diarreia ou você ver vermes nas fezes, fotografe! A imagem pode ajudar o profissional a determinar qual o vermífugo mais adequado.

Além do vermífugo, o uso de antipulgas também é recorrente para manter seu cão ou gato sempre protegido.

Posso dar vermífugo e antipulgas no mesmo dia?

Enquanto os vermífugos protegem contra endoparasitas, os antipulgas e anticarrapatos eliminam os ectoparasitas. Todos são igualmente perigosos e podem gerar várias doenças no pet. A administração de ambos deve ser regular.

No caso de antipulgas para cães e gatos, existem diferentes modos de administração e, sendo assim, alguns podem ser dados juntos e outros não. Nós explicamos!

Por exemplo, existem coleiras com produtos que afastam os ectoparasitas, como pulgas, carrapatos e mosquitos. A coleira antipulga pode ser colocada no pet no mesmo dia em que ele tomar o vermífugo sem nenhum risco. O mesmo vale para medicamentos de uso tópico, como pipetas e talcos.

Os vermífugos costumam ser administrados via oral em comprimidos ou líquidos. Quando o antipulgas também é via oral, é mais indicado esperar algumas horas entre um e outro. O motivo é muito simples: o animal pode rejeitar o comprimido e tentar vomitar. Assim você perderá dois medicamentos.

A escolha do vermífugo e do antipulgas deve ser feita junto com o seu médico veterinário. No entanto, alguns compostos químicos devem ser evitados:

  • Tetrachlorvinphos: é um inseticida que pode causar náusea, tontura e, em casos extremos, até morte;
  • Piretróides: pode causar problemas até em seres humanos, como coceiras, sensação de queimação etc;
  • Piretrina: um inseticida natural que é relativamente seguro para humanos e cachorros, mas pode causar problemas em gatos. Melhor evitar.

Quando dar vermífugo para o pet?

Você deve dar o vermífugo de acordo com a orientação do seu veterinário? Normalmente entre 3 e 4 meses. No entanto, alguns sintomas antecipam a necessidade da medicação. Vamos conhecer quais são eles?

  • Diarreia
  • Falta de apetite ou apetite excessiva
  • Vômito
  • Perda de peso
  • Fraqueza
  • Prostração
  • Barriga distendida e rígida
  • Vermes nas fezes

Caso seu pet apresente algum desses sintomas, procure um médico veterinário.

Saiba mais sobre vermífugos no canal da Cobasi no YouTube:

Vermífugos

Quer mais dicas de saúde? Veja os posts que separamos para você: