Hiperadrenocorticismo em cães: saiba causas e tratamentos

Compartilhar:


hiperadrenocortirismo-em-caes

Você sabe o que é hiperadrenocorticismo em cães? Essa síndrome ocorre pelo funcionamento anormal das glândulas hipófise ou adrenais, e a doença causa sinais semelhantes aos do envelhecimento natural dos pets. 

Além disso, o hiperadrenocorticismo canino também pode ser resultante de tumores, por isso é importante estar sempre atento aos sinais e procurar ajuda do veterinário sempre que necessário. 

Continue lendo para conhecer mais sobre hiperadrenocorticismo, quais os sintomas e como tratar. 

O que é hiperadrenocorticismo em cães?

Também conhecido por síndrome de Cushing, essa condição de saúde pode ser um tanto quanto complicada de compreender, especialmente por envolver a ação de hormônios. 

Na verdade, ela consiste no aumento de corticoides no organismo do pet, desencadeando o hipermetabolismo, ou seja, a quebra excessiva de lipídeos, carboidratos e proteínas. 

Em um cão saudável, a glândula hipófise produz um hormônio chamado ACTH, capaz de estimular as glândulas adrenais que produzem glicocorticoides. 

No entanto, quando ocorre a produção exagerada, podem ocorrer efeitos prejudiciais ao organismo, resultando em outras doenças, como é o caso da diabetes, por exemplo. 

São várias as causas do hiperadrenocorticismo. Ele pode surgir devido a algum tumor nas glândulas hipófise ou adrenais ou pela administração de medicamentos com glicocorticoides.

No caso dos tumores, nem sempre eles precisa ser malignos para causar esses desequilíbrios, no entanto, quando ficam na hipófise, eles acabam por comprimir o nervo, causando as alterações.  

Hiperadrenocorticismo em cães: sintomas

A melhor forma de identificar a síndrome de Cushing em cães é fazendo consultas esporádicas ao veterinário. Essas visitas são essenciais para o diagnóstico antecipado do hiperadrenocorticismo e de outras doenças. 

De modo geral, essa doença é muito semelhante ao próprio envelhecimento natural do pet. Portanto, separamos alguns sintomas para te ajudar a identificar:

  • sede em excesso;
  • maior volume de urina;
  • aumento do apetite;
  • mudança na coloração das mucosas de rosa para cinza;
  • perda de pelos;
  • presença de vasos aparentes;
  • pele mais fina;
  • agitação ou irritabilidade;
  • aumento de peso;
  • atrofia muscular;
  • fraqueza.

Apesar de a doença poder afetar diversos cães, algumas raças têm mais predisposição, como é o caso dos cães do grupo Terrier, Poodle, Spits, American Eskimo Dog e Dachshund.

Como é feito o tratamento desta patologia?

Hiperadrenocorticismo em cães

Em casos de suspeita da síndrome de Cushing, é comum que o veterinário solicite um exame laboratorial para ter a confirmação do diagnóstico. 

O exame irá identificar as alterações nos órgãos que dependem dos glicocorticoides, como o fígado. Além disso, o profissional também pode recomendar exames de imagem.

O tratamento vai depender da origem da síndrome e das alterações causadas no organismo. No caso do tumor, pode ser necessária a intervenção cirúrgica. Além disso, é importante tratar outros órgãos que foram afetados pela síndrome. 

Não existem tratamentos naturais para a hiperadrenocorticismo em cães, no entanto, alguns medicamentos para a doença podem ser utilizados por toda a vida do paciente.

Portanto esteja sempre atento aos sinais que seu cachorro dá e não hesite em procurar um veterinário de confiança!

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário