Carpas: 5 dicas para criar o pet

Compartilhar:


carpas

De origem asiática, as carpas são peixes grandes e coloridos. Para os conterrâneos, esses animais tem o símbolo de paz entre os indivíduos e ainda fertilidade, prosperidade e longevidade. Por isso que tanto lá, quanto aqui no Brasil, é comum que elas sejam vistas em tanques em locais públicos, o que oferece mais harmonia no espaço, além da decoração. Está pensando em ter carpas como animais de estimação? Ai vai algumas dicas:

1 – Tamanho do tanque

O primeiro passo para quem está pensando em criar um lago de carpas é o espaço onde elas vão ficar. Assim como o local onde elas vão ficar instaladas. Assim como as plantas, as carpas se desenvolvem conforme o tamanho do espaço disponível para a sua vivência. Em casos de criações no aquário, por exemplo, o seu crescimento pode ficar paralisado. 

Por isso, é fundamental quando o aquário passe a ficar pequeno, elas sejam transferidas para tanques ou lagos. Quanto maior for o espaço, maiores elas ficarão, até o seu limite que é aproximadamente 100 centímetros.

2 – Instalação de filtros de limpeza de qualidade

Assim como qualquer outra espécie de peixe, é necessário pensar em equipamentos que ofereçam a higienização da água, para a prevenção de doenças. Por isso, os filtros são necessários. Através da filtragem da água, eles conseguem garantir a sua qualidade, as mantendo sempre boas condições para as carpas e ainda impossibilitando a presença de qualquer resíduo tóxico que podem ser prejudiciais aos peixes.

Vale considerar que esses equipamentos devem ser higienizados a cada três meses, no entanto, essa necessidade pode variar conforme a marca escolhida. Filtros mais eficientes, por exemplo, podem ficar sem limpeza durante anos e ainda assim assegurar a boa filtragem dos tanques. 

3 – Alimentação equilibrada

A alimentação das carpas devem ser realizadas de maneira equilibrada. Isso faz com que as fezes desses animais sejam reduzidas e, portanto, o excesso de excrementos no tanque também. É importante saber que quando estão em contato constante com uma grande quantidade de fezes, as carpas podem ter sua saúde prejudicada.

Existem inúmeras qualidades de rações voltadas para esse tipo de peixe e algumas delas podem contribuir com essa situação. Os tutores devem alimentar as carpas durante várias vezes por dia, mas sempre com pouca quantidade. Sendo onívoros, também é normal que as carpas completem a sua refeição com:

  • Insetos;
  • Minhocas;
  • Larvas;
  • Lesmas;
  • Caramujos. 

Esses peixes também são inteligentes e caso queira criar laços com eles, procure alimentá-los sempre no mesmo local. Elas vão reconhecer os ruídos e podem até permitir alguns carinhos. 

4 – Limpeza e qualidade da água para a carpa

Após a transferência dos peixes para os tanques, nunca utilize produtos químicos para a limpeza do local. As carpas são sensíveis a esses produtos e podem ter reações fatais. Para limpeza, é indicado a troca da água parcial.

É preciso controlar também a quantidade de cloro presente na água. Lembre-se que a água natural da torneira já possui componentes químicos, por isso, conte com produtos desclorificantes. Os criadores também devem ter atenção em relação ao pH da água, o nível indicado é mantê-lo de 7 a 7,4. Já sobre a temperatura, esses peixes vivem bem em temperaturas até 18 graus. 

5 – Oxigênio

Por último, a dica mais importante: o oxigênio. Todos os peixes precisam de oxigênio na água para viver. Por isso, não se esqueça de instalações que liberem esses gases na água, por exemplo, bombas e ainda cascatas ou quedas d’água.

Gostou desse post? Leia mais sobre outros pets em nosso blog:

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário