Peixe-palhaço: muito além do Nemo

Compartilhar:


Sonho de todo aquarista, o peixe-palhaço é um bom animal para quem quer começar a se aventurar nos tanques de água salgada.

Popular graças ao filme Procurando Nemo, ele tem como principal característica a coloração avermelhada com listras brancas e um formato único.

Proteção natural

Peixe-palhaço entre anêmonas

Na natureza, o peixe-palhaço é encontrado nos oceanos Pacífico e Índico, em águas quentes e rasas. Ele vive sempre próximo de anêmonas, animais invertebrados que parecem plantas e que são venenosos.

A vantagem natural deste peixe é ter uma camada de muco que o envolve e o protege do veneno. Dessa forma, ao avistar predadores, ele entra no meio da anêmona. Os bichos que tentarem comê-lo vão acabar se machucando ao encostar nos tentáculos.

Para “pagar o aluguel”, o peixinho limpa e retira parasitas da sua salvadora. Essa interação entre espécies é chamada pelos cientistas de protocooperação.

Alimentação do peixe-palhaço

Na natureza, o peixe-palhaço come, além de parasitas das anêmonas, pequenos crustáceos, larvas e algas.

No aquário, porém, eles não são exigentes e se alimentam de comidas para peixes ornamentais de água salgada (no mínimo três vezes ao dia, se possível de quatro em quatro horas).

Se o aquarista quiser dar um mimo a mais, os peixinhos gostam também de patês à base de pescado. Antes de incluir esse tipo de ração na dieta do animal é bom consultar um veterinário especializado em peixes.

Vida no aquário

O peixe-palhaço precisa de um bom espaço: o ideal é que o aquário tenha pelo menos 75 litros e possua também anêmonas e corais. Se ficar muito caro adquirir esses seres, vale colocar cascalho e alguns adereços ocos para garantir que ele se esconda.

Salinidade deve ser mantida em 30%. Mas lembre-se: NUNCA use sal de cozinha. Há produtos específicos para incluir na água e torná-la saudável para os peixes de água salgada.

O PH é fundamental para a saúde dele: deve ficar entre 8.1 e 8.4. A temperatura deve ficar entre 25ºC e 28ºC. Um bom termostato garante isso.

É necessário, também, investir em um bom sistema de filtragem da água, em iluminação e na bombinha para oxigenar o ambiente.

A cada duas semanas, a água precisa ser renovada, mas não totalmente: apenas um quarto. Isso porque, se muita água for retirada, todo o equilíbrio do sistema — consequentemente a saúde do peixe — acabará sendo comprometido.

Saúde do peixe-palhaço

Se todos esses cuidados relatados forem levados a sério, o peixe certamente chegará aos seis anos ou mais de vida.

O aquarista, porém, precisa ficar atento a sinais no corpo do peixe: as listras brancas geralmente mudam quando ele adoece.

A qualquer sinal de que ele está mal, um veterinário especializado em peixes deve ser consultado.

Companhia

O peixe-palhaço é tranquilo e vive bem com outros animais marinhos. Mas será mais feliz se viver com um membro da mesma espécie. Então, vale pegar dois de uma vez.

Se for incluir peixes de outras espécies, opte por animais nada agressivos. E faça a inclusão aos poucos, em um intervalo de um animal por mês. Lembre-se: não misture peixes de água doce com os de água salgada.

Curtiu esse post? Leia mais sobre cuidados com os peixes em nosso blog:

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário