Feocromocitoma em cães: saiba o que é, causas e tratamento

Compartilhar:


feocromocitoma em cães

A saúde dos nossos animais de estimação é coisa séria, e se você ainda não sabe o que é um feocromocitoma em cães, vale a pena aprender. O problema pode acometer animais domésticos mamíferos, como os cachorros. A importância de se entender a questão é que este é um tipo de tumor, mas a ótima notícia é que há tratamento.

Ou seja, apesar de sabermos que a descoberta de um tumor nunca é uma boa notícia, neste caso podemos modificar sutilmente a perspectiva e ver a situação com olhos mais esperançosos. Afinal, com tratamento adequado, o seu amigo pode vencer o feocromocitoma e compartilhar de muitos momentos alegres e sadios com você e toda a família! Continue a leitura e entenda melhor!

O que é feocromocitoma em cães?

O feocromocitoma acontece quando há um crescimento anormal, incontrolado e progressivo de determinado tecido de seu cachorro, mediante proliferação celular. Ou seja, é uma espécie de tumor raro – para você ter uma ideia, ele aparece em 0,13% a 0,01% entre todos os tumores. Contudo, sua aparição costuma estar associada à existência de outros tumores que atingiram glândulas e que causam carcinomas de tireoide e hiperplasia.

Mas nada de ficar impressionado com esses termos científicos! Não perca tempo e foque na cura de seu pet! Isso porque o feocromocitoma é grave, mas a idade mais comum para que ele se desenvolva é quando o cachorro está na faixa dos 10 anos. Até existem relatos de animais mais novos, mas são bastante raros.

E pensando se há maior ou menor índice de aparição dessa doença em machos ou fêmeas, estudos apontam uma igualdade de porcentagem nesse sentido.

Além disso, em 50% dos casos, o feocromocitoma pode ser invasivo. Já entre 15 a 30% dos casos pode haver metástase, atingindo órgãos como:

  • pulmões;
  • fígado;
  • baço;
  • rim;
  • ossos;
  • coração;
  • pâncreas.

Feocromocitoma tem cura?

cachorro com feocromocitoma em cães

Outra boa notícia é que, no geral, o feocromocitoma só é descoberto após o falecimento do animal. Então se houver um diagnóstico do tumor no seu pet, as chances de ele conseguir um tratamento eficiente são notáveis.

Quais são os principais sintomas da doença?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a doença, saiba que os sintomas do feocromocitoma podem ser leves, assim como mais complexos. Por isso, estar atento aos indícios da doença pode ser decisivo para o início do tratamento e para a cura.

Entre os sintomas mais comuns é possível mencionar depressão, anorexia, perda de peso, além de indícios respiratórios. Outros sinais deste tipo de tumor são taquicardia e arritmia, além de as gengivas poderem ficar pálidas.

Assim, os sintomas do feocromocitoma podem variar entre os mais brandos, que até mesmo não são percebidos, até aqueles mais graves, que chegam a causar colapso circulatório.

Por fim, as raças com maior predisposição à doença são Boxer, Basset Hound e Golden Retriever. Nos gatos, os casos são ainda mais raros, e as chances de aparecerem são maiores nos pets idosos.

Como é feito o diagnóstico do feocromocitoma em cães?

Para se chegar ao diagnóstico do feocromocitoma, os estudiosos têm testado diversos exames. Entretanto, são poucos os que apresentam a eficiência necessária para que o diagnóstico seja confirmado.

Um deles é o ecocardiograma, tendo em vista que o feocromocitoma pode produzir alterações cardíacas que podem ser indicativos da doença. Testes específicos para se detectar a existência do feocromocitoma também existem e são os mais indicados nesse caso.

Porém, nunca é tarde demais para lembrar, que, aos primeiros sintomas aqui relacionados, é prudente procurar por uma avaliação profissional. Isso porque somente o médico-veterinário terá a clareza para analisar o histórico de saúde de seu pet, realizar exames clínicos e solicitar exames laboratoriais para que se tenha ou não o diagnóstico da doença.

Portanto, nada de se desesperar com uma notícia que ainda não foi dada! Converse com um veterinário de sua inteira confiança e saiba qual é o melhor caminho para o seu melhor amigo.

Existe prevenção?

No geral, ao oferecer qualidade de vida e bem-estar para o seu pet você já está atuando na prevenção de inúmeras doenças. Uma ração rica em nutrientes e com o mínimo ou zero ingredientes artificiais faz a diferença. Em conjunto, lembre-se de manter uma rotina com atividade física com o seu pet e estar em dia com os check-ups veterinários.

Agora que você já aprendeu sobre feocromocitoma em cachorro, aproveite para continuar lendo os conteúdos sobre saúde canina que temos aqui no Blog da Cobasi:

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário