Mudar a ração do cachorro faz mal?

Compartilhar:


mudar a ração do cachorro faz mal

São vários os motivos pelos quais você pode querer trocar a ração do seu cachorro, desde a vontade de melhorar a qualidade da alimentação dele, até por questões de orçamento. Mas, afinal, mudar a ração do do cachorro faz mal ou não? Se não, como é possível fazer essa mudança? Ele vai sentir diferença? São muitas dúvidas, principalmente porque é algo que afeta diretamente seu amigo. Vamos responder todas elas neste artigo. Siga com a gente!

Por que trocar a ração pode ser complicado?

Apesar de terem uma audição e olfato incríveis, derrubando facilmente o dos humanos, as papilas gustativas dos cachorros perdem fácil para a de seus tutores. Então, eles não vão sentir essa mudança de ração a partir delas, ou melhor, do gosto do alimento. Mesmo que fiquem animados com algo diferente, eles se habituam facilmente ao que estão comendo. Ainda bem, né?! Já que não é recomendado que a ração seja trocada várias vezes.

Ao trocar a comida do pet, muitos tutores percebem algumas reações em seus cachorros, tais como diarreias e dores na região do abdômen. Mas isso só acontece se a mudança for feita de forma repentina. Ou seja, feita de forma gradativa, a troca da ração não faz mal.

Lembre-se que o mais importante nisso tudo é manter a qualidade de vida do seu animal de estimação. 

Mudar a ração do cachorro faz mal? A troca pode ser ótima!

Como dito antes, a troca da ração  pode melhorar a qualidade de vida do seu pet. E qualquer um desses produtos é feito para que o intestino do seu cão funcione bem, mas existem algumas diferenças. Algumas rações, por exemplo, contêm ingredientes mais simplificados e também uma digestibilidade menor. Já outras têm nutrientes que são absorvidos de maneira mais fácil pelo organismo dos animais. 

mudar a ração do cachorro faz mal

Além disso, é preciso lembrar que seu amigo não vai ser filhote para sempre. Portanto, o alimento precisa ser alinhado com cada fase. Nessa troca de fases, o organismo do animal passa por grandes mudanças. Por isso, é de extrema importância ter atenção na hora de fazer essa adaptação, principalmente porque nem todos os nutrientes necessários para um cão filhote são os mesmos para um adulto ou mais velho.

Isso, inclusive, pode vir a ser a causa de alguma ou algumas doenças ao longo do crescimento dele. Por isso, mantenha-se atento à faixa etária: filhote, adulto ou idoso. E também ao porte deles, porque além de tudo, é indispensável entender que cães menores envelhecem mais devagar do que os maiores. 

Qual é o jeito certo de fazer a troca?

Como já vimos, a mudança da ração deve ser feita de forma gradativa. E para que não ocorram problemas com o intestino do seu pet, você pode ir adicionando um pouco da ração nova à antiga, durante uma semana. Nos dois primeiros dias, acrescente 25% da nova a 75% daquela com a qual seu cão já está acostumado. Nos dias três e quatro, metade de uma e metade de outra. Já nos dias seis e sete, o tamanho das porções é invertido: 75% da nova e 25% da antiga. No sétimo dia, você já pode inserir totalmente a ração nova.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário