Resgate de animais: o que você precisa saber

Compartilhar:


Resgate de animais: o que você precisa saber

O resgate de animais é cada vez mais frequente, por conta de pessoas que recebem pets em suas casas sem que estejam prontas para assumir as responsabilidades decorrentes disso.

Se você já precisou fazer algum tipo de resgate animal, sabe que é preciso tomar diversos cuidados, tanto para se proteger quanto para não piorar ainda mais a situação em que se encontra o animalzinho.

Nesse artigo vamos falar mais sobre o assunto e dar algumas dicas caso você se depare com uma situação de resgate de animais feridos ou abandonados.

Resgate de animais: 24 h de descaso nas cidades

Resgate de animais: 24 h de descaso nas cidades

Por toda parte há abandono de animais. Filhotes indesejados de cães e gatos são jogados na rua porque os tutores não têm condições ou interesse em cuidar deles. 

Outras tantas, são animais doentes, que geram mais despesa do que o esperado, ou que simplesmente “não servem mais” para uma família que vai mudar para um apartamento, por exemplo.

Com isso, as ONGs que atuam no resgate de animais abandonados não param nunca e ficam permanentemente sobrecarregadas. São milhares de bichinhos recolhidos, tratados e mantidos, sendo posteriormente disponibilizados para adoção. 

No entanto, a quantidade de pets que entram nesses abrigos é muito maior do que a de animais que recebem uma nova chance e um novo lar. Nesse ciclo, a quantidade de animais que sofrem maus tratos ou que estão abandonados nas ruas só cresce. 

Como fazer resgate de cachorro de rua

Como fazer resgate de cachorro de rua

Se você quer se preparar para resgatar algum cachorro ou gatinho na rua caso encontre algum, nós vamos te ajudar. O primeiro passo é se aproximar com muito cuidado, delicadamente, para não assustar o pet ainda mais.

A oferta de um petisco pode ajudar a ganhar a confiança do bichinho e quebrar um pouco a ansiedade do contato com uma pessoa que ele não conhece. Muitos animais abandonados foram, também, maltratados. Com isso, podem ser mais ariscos e querer morder para se proteger.

A seguir, tenha certeza de que o pet encontrado não tem um tutor que costuma deixá-lo solto na rua. Se o cão ou gato parece bem tratado mas não tem coleira, procure pela vizinhança alguém que possa conhecê-lo.

Com auxílio de uma toalha ou um pano, tente pegar o bichinho com cuidado para colocá-lo em uma caixa de transporte ou no carro. É preciso fazer uma visita ao médico veterinário para avaliar o estado geral de saúde do animal, e identificar que medicamentos ou cuidados ele precisa no momento. Caso o cão ou gato não seja castrado, tome as providências necessárias para que isso aconteça o quanto antes.

Caso tenha outros animais em casa, mantenha o bichinho que foi resgatado isolado até ter certeza de que não tenha nenhum tipo de doença transmissível, que possa contaminar os demais.

Por fim, procure você mesmo um lar definitivo para o bichinho em vez de levá-lo para uma ONG. Você pode fazer a ponte entre o cachorro ou gato resgatado e seu novo tutor por meio das redes sociais, de amigos e vizinhos.

Seja criterioso na doação e converse bastante com os interessados para garantir que o novo tutor terá condições de prover tudo o que o pet precisa para ter uma vida digna, com carinho e amor.

Lembre-se: em caso de maus tratos, denuncie sempre.

Como fazer resgate de animais silvestres

Agora que você já sabe como fazer resgate de cachorro e gato, pode estar imaginando como funciona o resgate de animais silvestres. Nesse caso, o mais recomendado é acionar o Ibama, a Polícia Ambiental da cidade ou, ainda, o Corpo de Bombeiros.

Nesse caso, não é recomendável oferecer nenhum tipo de alimento para o bichinho. Tente apenas deixá-lo o mais seguro e tranquilo possível, até que os profissionais capacitados cheguem ao local.

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário