Síndrome de cushing: como diagnosticar a doença no seu cão ou gato

1 de abril de 2021

Saúde e Cuidados
cachorro que tem síndrome de cushing

A Síndrome de Cushing é uma doença que atinge cães e gatos, sendo o hiperadrenocorticismo felino (HAF) mais raro. A patologia, complexa de ser identificada e também explicada, pode ser confundida com o envelhecimento, por isso os check-ups anuais são tão importantes.

Saiba mais sobre esta alteração que está ligada a presença de tumores no organismo do bichinho e também outras doenças.

Síndrome de cushing em cachorro

O problema é causado pelo aumento do cortisol, um hormônio produzido pelas glândulas adrenais, mas a disfunção também está ligada a alterações da hipófise. Desta forma, a Síndrome de Cushing, se não identificada precocemente, pode estimular outras doenças como a diabetes.

Algumas raças de porte pequeno, como Poodle e Dachshund, além do Boxer, que é de porte grande, são propensas a desenvolver a patologia após os 6 anos.

Por fim, entre as causas mais comuns da Síndrome de Cushing estão tumores, tanto nas glândulas hipófise como nas adrenais, e também o consumo excessivo de medicamentos com glicocorticóides.

Como diagnosticar a síndrome de Cushing?

A maioria dos casos de hiperadrenocorticismo são diagnosticados quando há um acompanhamento da saúde do pet, seja ele um cão ou gato, visto que os sintomas não são específicos e facilmente são confundidos com a velhice

Entretanto, fique atento aos sinais da Síndrome de Cushing, pois qualquer alteração física ou comportamental do seu pet é motivo suficiente para uma visita ao veterinário:

  • Sede e excesso de urina;
  • Apatia;
  • Atrofia dos músculos com maior risco de lesões;
  • Queda de pelos com possíveis falhas;
  • Ganho de peso na região do abdômen;
  • Agitação;
  • Escurecimento e desidratação da pele;
  • Aumento do sono durante o dia e insônia.

O diagnóstico da doença é feito através de coleta de sangue, que acusa alterações, e exames complementares que ajudam a confirmar a patologia, como o ultrassom que pode mostrar possíveis tumores, que nem sempre são malignos.

Síndrome de Cushing tem cura?

cão recebendo tratamento para síndrome de cushing

Esta é uma doença que não tem cura, mas que já existem tratamentos avançados que proporcionam uma boa qualidade de vida para o bichinho. É importante que um cão ou gato diagnosticado com Síndrome de Cushing faça acompanhamento com um médico veterinário cardiopata para manter a produção de cortisol regulada.

Tratamento para hiperadrenocorticismo

O primeiro passo é identificar a causa da patologia, após a conclusão de um veterinário, o profissional vai sugerir o melhor tratamento. As intervenções são essenciais para amenizar os sintomas e reúnem os medicamentos que o pet precisa tomar temporariamente ou pelo resto da vida.

Em alguns casos, é possível que seja recomendado procedimento cirúrgico e quimioterapia, visto que o tumor pode ser maligno ou benigno. Outros remédios, como trilostano e mitotano, são os mais comuns durante o tratamento da enfermidade.

Como falamos, a Síndrome de Cushing é uma doença que aparece com maior frequência em cães mais velhos, então os exames são essenciais para um diagnóstico precoce. 

Um pet que já tem mais de 6 anos precisa de uma atenção maior em relação a sua saúde, tanto para evitar problemas como esta patologia, além de outros que podem surgir por conta da idade do bichinho.

E agora, quer ler mais sobre saúde pet? Então veja outros conteúdos do blog Cobasi: