Stomorgyl: quando este medicamento é indicado?

Compartilhar:


stomorgyl

Stomorgyl é um medicamento indicado para o tratamento das afecções bucodentárias em animais de estimação. No entanto, é importante ressaltar que, assim como outros medicamentos, você não deve oferecê-lo ao pet sem orientação veterinária

O Stomorgyl é um medicamento em forma de drágea, que deve ser indicado para os quadros de estomatites, gengivites, glossites, periodontites ou piorreias. 

O que é Stomorgyl?

Este medicamento é composto por dois princípios ativos principais: a espiramicina, um antibiótico da classe dos macrolídeos, e o Metronidazol, um agente antiinfeccioso da série dos nitroimidazois. 

Este medicamento, atua sobre Peptostreptococcus spp, Streptococcus spp, Actionomyces spp, Bacteroides spp, Fusobacterium spp, Actinobacillus spp, Capnocytophaga spp, Spirochaeta, Clostridium spp, Entamoeba histolytica, Giardia lamblia, Balantidium coli, 

Essas espécies de vírus e bactérias podem causar doenças estomacais em cães e gatos, assim como gengivites, glossites, periodontites e piorreias. 

Você pode encontrar esse medicamento nas versões Stomorgyl 2, Stomorgyl 10 ou Stomorgyl 20. 

Como usar Stomorgyl?

O Stomorgyl é um medicamento muito indicado para o tratamento de doenças bucodentárias, ou seja, as doenças que afetam a região bucal e todo o sistema digestivo dos animais. 

O ideal é que que a administração do medicamento seja via oral. Para isso, recomenda-se a base diária de 7.000 UI/kg de Espiramicina e 12,5 mg/kg de Metronidazol, entre 5-10 dias. Ou seja, 1 comprimido a cada 24 horas para cada quilo de peso

Além disso, o tratamento deve ser continuado por 48 horas, mesmo após o desaparecimento dos sintomas.

Entretanto, vale ressaltar que o tutor não deve administrar esse medicamento por conta própria. Ao notar algum sintoma no animal, leve-o imediatamente ao veterinário para fazer o diagnóstico correto. 

Quais são os efeitos colaterais deste medicamento?

stomorgyl

Embora as reações sejam pouco comuns, pode ocorrer problemas isolados em relação à intolerância à espiramicina, o que pode ocasionar vômitos. Nesse caso, o ideal é suspender o medicamento e procurar o veterinário para saber como proceder de maneira correta. 

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário