Alergia ao pelo de gato: sintomas e tratamento

Compartilhar:


alergia a pelo de gato. gato olhando para frente

A alergia ao pelo de gato é uma das alergias de origem animal mais comum em seres humanos e afeta 1 em cada 5 adultos em todo o mundo. Este é um problema real que merece atenção no seu tratamento e prevenção.

Se você brincou com um gatinho e logo em seguida começou a sentir uma coceira incômoda no nariz, acompanhada por espirros e olhos vermelhos, é muito provável que você tenha alergia a gatos. Por isso, para sanar suas dúvidas, a Cobasi vai desvendar todos os mistérios acerca do assunto. 

Entenda o que realmente causa as crises alérgicas, quais são os sintomas e como evitar o problema de uma vez por todas!

O que causa a alergia ao pelo de gato?

Diferentemente do que muitos pensam, a alergia a gato não está relacionada ao pelo do felino em si.

Por mais que a pelagem realmente cause coceiras e irritações no nariz, as crises alérgicas estão relacionadas a uma proteína presente na saliva do animal, chamada FEL D 1.

Os gatos são reconhecidos por sua higiene e por se limparem com a língua, certo? Então, durante o seu banho, essa proteína é transferida para a pele e o pelo, e ao se coçar, este cai no ambiente, e consequentemente acaba causando os sintomas alérgicos nos humanos sensíveis.

Como o FeL D 1 é produzido nas glândulas salivares e sebáceas (cutâneas) do gato, mesmo gatos com menos pelos ou sem pelos – como o Cornish Rex e o Sphinx – ainda produzem alérgenos.

Importante ressaltar que a FeL D 1 pode ficar em suspensão no ar por horas, ou seja, se o gato passou pelo cômodo em que você está, é provável que sua alergia se manifeste, mesmo em menor intensidade.

Alergia a gato: sintomas

Embora cada pessoa tenha um sintoma diferente, os mais comuns são:

  • espirros e tosse;
  • coceira no nariz, garganta e olhos;
  • obstrução nasal;
  • coriza;
  • lacrimejamento e vermelhidão nos olhos;
  • dificuldade em respirar;
  • garganta ressecada;
  • manchas vermelhas.

Como saber se realmente tenho alergia a gatos?

alergia a pelo de gato. mulher fazendo carinho em felino no colo

Para descobrir se aquela crise alérgica está relacionada aos gatinhos de casa, procure um médico alergologista. Esse profissional será responsável por realizar exames que auxiliarão no diagnóstico do problema.

Geralmente, o médico pede um exame de sangue ou o prick test. Nesse caso, colocam-se gotas de substâncias alergênicas na pele do paciente. A reação do corpo a essas substâncias demonstra se o paciente tem alergia ou não.

Tratamentos indicados

Se o resultado comprovar que você tem sensibilidade ao principal alérgeno dos gatos, Fel D 1, o médico poderá recomendar os seguintes tratamentos:

  • antialérgicos;
  • imunoterapia (vacina para alergia a gato);
  • corticoides nasais ou orais.

Entretanto, é importante ressaltar que esses tratamentos não curam a alergia ao pelo de gato. Eles só são indicados para diminuir as respostas do corpo ao alérgeno. Isso significa que as crises ainda acontecem, mas em menor frequência e com menos agressividade.

Que tal acabar com o problema sem se distanciar dos felinos?

Substitua a ração do pet

Mesmo com o tratamento indicado pelo seu médico, a alergia ao gato pode continuar. Por isso, é importante incluir um outro reforço que vai solucionar a situação: a alimentação do pet.

Existe uma abordagem inovadora e eficaz para diminuir os sintomas alérgicos reduzindo a exposição do tutor ao alérgeno e não ao gato. A ração Pro Plan LiveClear da Nestlé Purina, foi desenvolvida pensando nos tutores ou pessoas que desejam ter gatos em casa, mas sofrem com alergia aos pets.

A ração diminui em média 47% os níveis de FeL D 1 ativo no pelo e caspa do animal a partir da terceira semana de alimentação. Logo, é uma ótima opção para quem quer abraçar, escovar, brincar e aproveitar momentos com seu felino, sem precisar se preocupar com crises alérgicas.

Para diminuir ainda mais o problema, faça o controle correto do ambiente, escove o pet periodicamente e siga as orientações médicas.

Dicas para aliviar a alergia em casa

gato de pelo longo deitado

Se você já tem um gatinho em casa, alguns cuidados básicos devem ser incorporados no dia a dia para evitar a alergia ao pet. Confira:

  • Crie uma rotina de escovação para diminuir a queda de pelos;
  • Na hora de limpar a casa, não use vassouras para eliminar pelos e pó. Prefira panos úmidos e um aspirador de pó;
  • Limpe estofados e móveis com maior frequência;
  • Se o seu gato tem acesso ao seu quarto, troque os lençóis com maior frequência;
  • Compre um purificador de ar com filtro HEPA para auxiliar na eliminação de alérgenos no ar;
  • A castração pode ajudar a diminuir a quantidade deFeL D 1 produzida pelo animal.

Agora que você já sabe tudo sobre alergia ao pelo de gato vai ser fácil evitar crises e aproveitar melhor os momentos com o seu pet!

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário