Anelídeos: o que são, características e exemplos das espécies

Compartilhar:


Anelídeos

O que são anelídeos? Essa dúvida não é incomum, porém é possível identificá-los por meio de características bem peculiares. Eles ainda são classificados em oligoquetos, hirudíneos e poliquetos.

Conforme explicação da bióloga Rayane Henriques, da Educação Corporativa da Cobasi, esse é um termo popular para o Filo Annelida, integrado por espécies como vermes, minhocas e sanguessugas. Os animais podem ser terrestres ou aquáticos, segundo a especialista.

“Os anelídeos são encontrados em ambientes aquáticos ou terrestres e sua principal forma de locomoção é a rastejante e, em alguns casos, a escavação”, conta Rayane.

Henriques também destaca que muitos anelídeos são utilizados a favor dos seres humanos.  No caso da minhoca, ela produz um húmus que é importante para o solo e para a nutrição das plantas.

“Alguns desses animais são comumente usados para os humanos, como, por exemplo, a minhoca, que decompõe resíduos orgânicos e produz húmus que é rico em nutrientes e um dos principais agentes fertilizantes para a agricultura”, complementa.

Características dos anelídeos

Os anelídeos são animais invertebrados, isto é, não possuem coluna vertebral e nem crânio. Eles apresentam celoma e se caracterizam pelo corpo mole, alongado e cilíndrico.

Os bichos ainda têm simetria bilateral e são triblásticos, com os seguintes folhetos embrionários: ectoderma, mesoderma e endoderma. O corpo também é revestido de anéis, composto por uma série de segmentos.

Diferenças entre os oligoquetos, os hirudíneos e os poliquetos

Agora que você já sabe as principais características dos anelídeos, é importante conhecer a classificação das espécies, dividida em oligoquetos, hirudíneos (ou aquetas) e poliquetos. As cerdas são essenciais na hora de diferenciar esses grupos.  

Os oligoquetos contam com poucas cerdas e curtas. Não apresentam parapódios e podem ser vistos no solo ou no meio aquático. A minhoca é um dos animais mais conhecidos dessa subclasse.

Já os hirudíneos, também chamados de aquetas, não possuem parapódios, assim como os oligoquetos. Contudo, eles não têm cerdas. As sanguessugas são um bom exemplo.

Por fim, os poliquetos são exclusivamente marinhos e a espécie costuma ser bentônica (vive no substrato de locais aquáticos). Como exemplo, vale citar o gênero Nereis.

Exemplos das espécies

Abaixo, confira os principais exemplos de anelídeos e veja também suas classificações:

Oligoquetos

  • Minhoca;
  • Minhocuçu;
  • Tubifex;
  • Lumbriculida.

Hirudíneos ou aquetas

  • Sanguessugas.  

Poliquetos

  • Nereis;
  • Tubícolas;
  • Entre outros.

Reprodução dos animais: como funciona

Os animais se reproduzem de maneira sexuada ou assexuada. A fecundação pode ocorrer de forma externa ou interna. Em alguns casos, a fase larval se faz presente.

Ademais, os oligoquetos e os hirudíneos (ou aquetas) comumente são hermafroditas. Por isso, apresentam fecundação cruzada. Em suma, ambos os organismos são capazes de reproduzir.

Por sua vez, os poliquetos também contam com aspectos diferentes em relação à reprodução. Eles são dioicos e a fecundação é externa, uma vez que apresentam sexos separados. Assim, após o processo, uma larva nasce e se desenvolve até a vida adulta.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário