Cachorro ansioso: como prevenir e tratar

Compartilhar:


cachorro ansioso deitado

Ter um cachorro ansioso pode ser motivo de preocupação para alguns tutores. A ansiedade é um distúrbio muito comum na vida dos cachorros e, assim como acontece com humanos, pode ser prevenida e também tratada. Ela costuma ter alguns sintomas clássicos que são comuns em outras doenças e quadros clínicos, por isso, será importante você observar os sintomas e levar seu amigo a um veterinário logo em seguida. Dessa forma, você evita que o pet desenvolva outras doenças ainda mais graves.

O quadro de um animal ansioso pode estar ligado a diversos fatores, como traumas anteriores, pouca atividade física, mudança brusca na rotina, falta de liderança do tutor e até mesmo falta de enriquecimento ambiental – estímulos físicos e mentais no lugar onde ele vive. Aqui, você encontra tudo que precisa saber sobre a ansiedade, seus sintomas mais comuns e também como prevenir e tratar do quadro. 

Sintomas comuns de cachorro ansioso

Cada raça de cachorro tem suas características, principalmente em relação ao comportamento típico do animal. Além disso, eles têm personalidade própria, individual. Observe a rotina do seu amigo e, caso perceba alterações do comportamento, ou sintomas típicos da ansiedade, é hora de procurar um veterinário. Conheça os principais sinais de alerta:

  • Medo em excesso
  • Fazer xixi e cocô fora do lugar de costume
  • Comer muito ou pouco
  • Latidos em excessivos
  • Tentativa frequente de fuga
  • Lamber frequentemente as patas
  • Hiperatividade

Como ajudar a aliviar a ansiedade nos cachorros

cachorro ansioso

Mantenha uma rotina 

A correria do dia a dia dos tutores nem sempre permite uma rotina para os cachorros, mas é importante que ele tenha minimamente alguns horários estabelecidos para as atividades mais importantes. Escolha os horários para alimentação, para brincadeiras, para passeios e para o descanso.

Passeios diários

Leve seu cachorro para passeios, se possível, de duas a três vezes ao dia. A atividade física ao ar livre contribui para que ele libere energia acumulada, aliviando o estresse que o confinamento prolongado pode trazer. Fique atento aos melhores horários, evite períodos de muito calor e, em dias de chuva, redobre a atenção. Não deixe seu animal beber água em poças e faça uma higiene completa quando voltar pra casa.

Enriquecimento ambiental

Para seu pet ficar longe dos quadros de ansiedade você precisa criar um ambiente confortável e com estímulos para que ele se desenvolva física e emocionalmente. Você pode oferecer alimentos com consistências diferentes, incentivar a interação dele com outros cães e inserir brinquedos inteligentes, como os  que liberam ração aos poucos. Sua dedicação com pet também fará toda a diferença. 

Acostume seu pet com sua ausência

O ideal é não deixar o seu amigo sozinho por longos períodos de tempo. Mas é importante que ele aprenda desde cedo a lidar com sua ausência, para que não sofra quando precisar se separar de você. Comece com saídas curtas e vá aumentando o tempo fora da presença dele. Deixe um ambiente agradável para ele aproveitar a casa. 

Qualquer dúvida, já para o veterinário

Como dissemos, cada pet é um ser único, com comportamento e dinâmicas muito particulares. Mas quem é tutor geralmente sabe quando alguma coisa não vai bem. Nesses casos, não deixe de procurar a ajuda de um médico veterinário. A ansiedade é um distúrbio tratável e, com muito carinho e atenção, seu amigo sairá dessa. Se não tratada, ela pode gerar complicações ainda mais graves. Não arrisque. 

Gostou do conteúdo sobre cachorro ansioso? Tem mais sobre o comportamento dos cachorros para você aqui:

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário