Cachorro pode comer pão? Saiba a resposta

Compartilhar:


As rações caninas são planejadas para suprir todas as necessidades de nutrientes e vitaminas dos pets. Apesar disso, quem tem um amigo peludo em casa, sabe que ele pode ser propenso a querer compartilhar refeições cotidianas com seus tutores, como pedir o pãozinho do café-da-manhã, por exemplo. O que fazer nesses casos? Será que cachorro pode comer pão?

Se você veio em busca de uma resposta definitiva, prepare-se para uma reflexão mais profunda e contextualizada. Afinal, a resposta para essa pergunta irá depender de uma série de variáveis.

Em quais cenários o cachorro pode comer pão?

Como é sabido, o escopo dos pães existentes na culinária mundial é extremamente vasto. Para cada tipo de pão, são utilizados diferentes tipos de ingredientes e adotados diversos modos de confecção.

Este contexto exige uma atenção especial dos tutores, afinal, algumas dessas receitas de pão carregam conteúdos tóxicos para os pets.

Dentre estes ingredientes que tornam negativa a resposta da pergunta se cachorro pode comer pão, se destacam como os mais comuns: o alho; a cebola; a uva-passa; as macadâmias; e o xilitol, adoçante comumente utilizado na fabricação de pães doces.

Este último, o xilitol, se une à gama de uma série de outros produtos que são acrescentados aos chamados pães industrializados. Sem economia nos corantes e conservantes, estes alimentos devem ser mantidos longe do alcance dos pets, pois apresentam riscos à saúde dos bichinhos.

Por isso, se o seu café conter pães de forma ou mesmo de fabricação caseira, mas que contenham os ingredientes citados, esteja preparado para dizer não ao seu amiguinho.

Em contrapartida, os chamados pães artesanais desprovidos destes ingredientes tóxicos em seu processo de produção podem ser compartilhados sem maiores problemas.

Dentro deste grupo, está o pão de sal. Iguaria tão presente na mesa do brasileiro e que pode, com parcimônia, integrar esporadicamente a rotina de alimentação do pet.

Mesmo quando permitido, pão deve ser administrado com cuidado pelo tutor

Agora que você sabe que o cachorro pode comer pão, a depender do tipo, é preciso estar atento a alguns detalhes que garantirão que seu consumo será feito de forma responsável.

Afinal, tal como acontece com os humanos, comer este alimento de maneira exagerada pode trazer prejuízos à saúde no médio e no longo prazo.

De maneira geral, os pães possuem uma alta carga de carboidrato. Durante o processo de digestão, estes carboidratos tendem a ser convertidos em açúcar na corrente sanguínea, dinâmica que aumenta os riscos de o pet desenvolver quadros de diabetes e obesidade.

Portanto, não é porque o cachorro pode comer pão, que ele poderá fazê-lo indiscriminadamente. Mais do que isso, é importante, inclusive, consultar um veterinário de confiança em busca de orientação sobre a quantidade considerada razoável para cada ocasião.

Especializado no tema, é este especialista quem definirá a quantidade conveniente a depender do porte e do atual estado de saúde do bichinho.

Este procedimento de consulta ao veterinário, aliás, não se limita ao caso do pão. Um tutor responsável, deve saber que todo alimento a ser acrescido para além da ração canina deve ser validado pelo especialista.

Quer saber mais sobre os cuidados com a saúde dos pets? Confira no blog da Cobasi:

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário