Convulsão em cachorro: guia de primeiros socorros

Por Cobasi

Compartilhar:
Convulsão em cachorro

A convulsão em cachorro acontece quando existe uma descarga elétrica do cérebro para os músculos do animal, gerando movimentos involuntários e repetitivos. As crises costumam não durar mais do que um minuto. Os motivos são muitos e podem ir desde um trauma, como uma pancada, até intoxicações por plantas ou produtos de limpeza.

Por isso, é importante conhecer quais os primeiros socorros fazer antes de levar seu pet ao veterinário.

Quais são as causas da convulsão em cachorro?

Se você tem um cachorro com convulsão é fundamental levá-lo ao veterinário para investigar a causa e tratá-la. As contraturas involuntárias da musculatura e os movimentos desordenados resultados da convulsão em cachorro podem ter muitos motivos e a única forma de acabar ou diminuir as crises é tratando a causa.

Confira alguns dos motivos mais comuns de um cachorro convulsionando:

  • epilepsia;
  • intoxicação por plantas, medicamentos, produtos de limpeza e até alimentos;
  • traumas, como pancadas, quedas ou atropelamentos;
  • hipoglicemia;
  • tumor cerebral;
  • infecções;
  • doenças metabólicas.

Saber a causa da crise convulsiva em cachorro é importante para o tratamento, mas antes de levar o pet ao veterinário, o tutor precisa saber como socorrer o animal.

Primeiros socorros em caso de convulsão

A crise convulsiva é muito característica. Ele normalmente cai ou se deita no chão, os músculos se movem sem o controle do animal e ele faz movimentos parecidos com uma pedalada. O cachorro tendo convulsão pode emitir sons e, normalmente, perde a consciência. Muitas vezes, o animal não controla as fezes e a urina. Após o fim da descarga elétrica, ele acorda desorientado.

Ao notar a convulsão em cachorro, o tutor tem um papel muito importante: garantir a segurança do animal. Montamos um passo a passo para esses casos:    

  1. Mantenha o animal deitado de lado sobre um cobertor ou a cama do próprio pet. Nunca deite ele em um lugar alto, como a sua cama;
  2. Prefira um ambiente com pouca luz;
  3. Não coloque a mão dentro da boca do animal ou tente segurar a língua;
  4. Proteja-o contra as batidas em paredes ou no chão, mas não impeça os movimentos;
  5. Assim que a crise acabar, aguarde alguns minutos e vá ao veterinário.

O mais importante é ficar calmo durante todo o processo e assim que o cachorro retomar os sentidos, levá-lo ao veterinário.

Como evitar convulsão em cachorro?

Convulsão em cachorro idoso, por exemplo, é mais comum do que em jovens, mas em todos os casos, a melhor forma de evitar é fazendo o acompanhamento veterinário. Para adultos as visitas devem acontecer pelo menos uma vez ao ano e para idosos, a cada 6 meses. Apenas um profissional pode avaliar o pet e diagnosticar doenças no início.

Além disso, um dos motivos mais comuns para a convulsão em cachorro é a intoxicação. Não deixe plantas tóxicas ou produtos de limpeza ao alcance de pets e nunca dê medicamentos sem a prescrição de um veterinário.

Cachorro com convulsão pode morrer?

Apesar de ser bastante impressionante, a convulsão em cães não costuma levar a óbito. No entanto, algumas das doenças que causam as crises podem ser fatais. Por isso, se seu pet teve convulsões, procure um veterinário!

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário