Tumor em cachorro: existe uma forma de prevenir a doença?

Compartilhar:


cachorro doente

Tumor em cachorro é um assunto muito delicado e que causa muita preocupação nos tutores. Entretanto, conhecer mais a doença é a melhor forma de buscar um tratamento precoce. 

Assim como os humanos, os cachorros também são suscetíveis a diversas doenças, inclusive os tumores. No entanto, a medicina veterinária também está em constante avanço. 

Isso permite que os animais tenham o melhor tratamento para diversos tipos de tumores. Mas lidar com isso nem sempre é fácil, por isso, separamos as principais dúvidas para te ajudar a entender melhor o que é o tumor em cachorro. 

O que é tumor em cachorro?

Falar sobre tumor em cachorro é bem complicado e delicado, afinal, a primeira coisa que vem a nossa cabeça em conjunto com essa palavra é “câncer”. 

No entanto, é importante saber diferenciar os tipos de tumores em cachorro e entender o que realmente é o câncer. 

O câncer é um conjunto de milhares de doenças, que se inicia a partir do surgimento desordenado de células em determinada região e órgãos do corpo. Essas doenças podem se tornar o que chamamos de tumores

Os tumores podem ser malignos, tornando-se uma condição mais complexa e preocupante para o tutor, ou benigno, em que há tratamento rápido e fácil. 

Um dos exemplos de tumores benignos é o lipoma em cachorro. O lipoma corresponde a pequenas bolinhas que aparecem por baixo da pele dos animais, mais comum em cães idosos. 

O lipoma é um tipo de tumor benigno, em que o tratamento é efetuado de maneira simples. Já o linfoma em cachorro é uma condição mais grave, que afeta o sistema linfático dos cães. 

“Tumores são neoplasias que podem surgir em diversos tecidos e órgãos dos animais, cada um com uma característica diferente, não havendo um padrão estabelecido para todos os tumores. Os locais mais comuns para o seu desenvolvimento são mamas, útero e ovários em fêmeas; testicular em machos; pele, fígado e baço em ambos os sexos”, afirma Joyce Aparecida Santos Lima, médica veterinária.

O grande problema do tumor em cachorro é que, na maioria das vezes, é uma doença silenciosa. Este é o caso do linfoma, que pode aumentar a concentração de células nos gânglios sem causar dor

Com isso, o câncer em cachorro pode demorar a ser diagnosticado. Portanto, é importante manter uma rotina saudável e com acompanhamento veterinário sempre que possível. 

Existe uma forma de evitar tumores em cachorro?

Infelizmente, ainda não existe uma forma precisa de prevenir a formação de tumores em cães, especialmente porque alguns animais são mais propensos do que outros a desenvolver o problema. 

Portanto, é muito complicado indicar métodos para evitar o aparecimento da doença. Além disso, algumas raças como poodle, labrador e rottweiler estão entre as mais fáceis de desenvolver neoplasias. 

A idade do animal também acaba sendo um fator de risco. Cachorros idosos têm mais chances de desenvolver problemas de saúde como os tumores. No entanto, existem algumas medidas para diminuir os riscos:

Alimentação saudável e atividades físicas

Consumir uma ração de qualidade e alimentos próprios para animais diminui as chances de obesidade e o surgimento de outras doenças que contribuem para o aparecimento de tumores. 

Ademais, as atividades físicas regulares são importantes para auxiliar no controle de peso, além de ajudar na imunidade. 

Acompanhamento veterinário e castração

Muitas vezes, os tumores em cachorros ocorrem nas regiões dos órgãos reprodutores, as fêmeas possuem maior chances de desenvolver tumores mamários, uterinos e ovarianos

Já os cachorros machos, podem desenvolver câncer nos testículos. A castração é uma grande aliada na prevenção de tumores. 

Além disso, por ser uma doença costumeiramente silenciosa, o acompanhamento veterinário frequente é essencial para o diagnóstico precoce, aumentando as chances de um tratamento de sucesso.

Lembre-se de que se você ainda não tem um veterinário de confiança, a gente te ajuda a encontrar. A SPet é parceira da Cobasi e conta com uma série de serviços veterinários para te ajudar a cuidar do seu amigão!

Quais os sintomas de tumor em cachorro?

De modo geral, o câncer em animais costuma ser uma doença assintomática, ou seja, sem apresentar muitos sinais de problemas. 

No entanto, quando atinge um estado mais avançado, alguns indicativos podem aparecer. 

“Os sintomas dependem muito do órgão onde o tumor se localiza, por exemplo, animais com neoplasia em pulmão podem ter dificuldade respiratória. Mas em geral, os animais podem apresentar alguns sintomas de alerta como a presença de nódulos pelo corpo, aumento de volume em uma região, fraqueza, apatia, falta de apetite e perda de peso”, relata a médica veterinária, Joyce.

Entre os sintomas mais comuns, estão:

  • Nódulos no corpo ou nas patas;
  • Inchaço;
  • Fraqueza;
  • Apatia;
  • Dificuldade respiratória;
  • Diarreia com sangue;
  • Sangramentos pelo corpo;
  • Secreções nas mamas.

Nestes casos, a melhor forma de ter a confirmação da doença é através de exames clínicos e laboratoriais. Vale ressaltar que nem sempre os nódulos significam tumores malignos, pois os lipomas são tumores benignos que ocorrem devido à presença de sebo na pele

Quais os principais tipos, como funciona o tratamento?

Existem diversos tipos de tumores que podem afetar os animais de estimação. Contudo, há alguns que são mais frequentes e comuns nos animais: 

Tumores cutâneos

Os tumores cutâneos se encontram na pele do animal e costumam apresentar protuberâncias maiores ou menores, fáceis de identificar. 

Entre os tipos mais comuns estão:

  • Papiloma: um tumor benigno semelhante a verrugas;
  • Lipoma: compostos por células gordurosas, sendo um tumor benigno;
  • Lipossarcoma: um tumor maligno semelhante ao lipoma;
  • Histiocitoma: composto por leves elevações no pelo do pet;
  • Mastocitoma: comuns em raças braquicefálicas e, na maioria dos casos, são malignos, se apresentando avermelhados e em forma de elevações na pele;
  • Carcinomas: causado pela exposição UV;
  • Melanomas: nódulos escuros na pálpebra ou boca do animal, considerados tumores malignos.

Tumores ósseos

Podem ser benignos ou malignos e aparecerem a qualquer idade. O maligno se denomina osteossarcoma e costuma surgir nas patas dianteiras. 

O benigno se denomina osteocondroma e se encontra na cabeça, face, costelas e patas. Costuma afetar cães jovens. 

Tumores no sistema reprodutivo

Encontram-se no sistema reprodutor dos animais, sendo facilmente prevenidos com a ajuda da castração. 

  • Testicular: mais comum em machos com mais de 6 anos;
  • Venéreo transmissível: é contagioso e passa para outros animais através do contato direto;
  • Vaginal: atinge especialmente as fêmeas não castradas e com idade avançada;
  • Ovárico: pode ser maligno e assintomático, se estendendo pela cavidade abdominal;
  • Mamário: atinge as cachorras a partir dos 6 anos e pode ser detectado com a palpação da região. 

Sarcoma de tecidos

São tumores malignos que podem ter origens distintas, aparecendo tanto na pele quanto em alguns órgãos. 

O sarcoma é encontrado em três versões: hemangiossarcoma, osteosarcoma e linfoma ou linfossarcoma.

Linfoma

Como dito anteriormente, o linfoma é um tumor maligno que afeta o sangue na medula óssea, atingindo especialmente cães de meia-idade ou idosos. 

câncer em cachorros

Como é o tratamento para os tumores em cachorro?

Segundo a médica veterinária Joyce Aparecida, “O tratamento depende da realização de exames de imagem, histopatológico e avaliação clínica do animal. Pode ser realizada a remoção cirúrgica do tumor acompanhada ou não de quimioterapia, criocirurgia ou radioterapia, dependendo do protocolo escolhido pelo Médico Veterinário especializado em tratamentos oncológicos”.

Existem diversas formas de tratamento, no entanto, a eficácia irá depender de inúmeros fatores, como a saúde do pet, a idade, raça e o estágio em que o tumor se encontra. 

O diagnóstico precoce é fundamental para o início imediato do tratamento e para que os resultados sejam positivos. 

Joyce Lima

| Atualizada em

Colaboração de Joyce Lima

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário