Descubra se cachorro pode comer pitanga

Por Cobasi

Compartilhar:
Descubra se cachorro pode comer pitanga

Quer saber se cachorro pode comer pitanga? Esse artigo foi feito para você! A pitanga é conhecida por alguns outros nomes no mundo. A fruta também pode ser chamada de cereja do Suriname, cereja da Flórida e cereja do Brasil. Seu nome científico é Eugenia uniflora.

Como as pessoas utilizam bastante a pitanga como ingrediente no preparo de sucos e sobremesas diversas, é natural que os fãs dessa frutinha se perguntem: “posso dar pitanga para cachorro?”.

Nesse artigo vamos responder a essa dúvida para que você se sinta seguro sobre o melhor caminho a tomar nesse caso.

Cachorro pode comer pitanga sem perigo?

Cachorro pode comer pitanga sem perigo?

A resposta para essa pergunta é não. A pitanga tem características muito parecidas com a cereja no quesito intoxicação de cães. Isso quer dizer que sua casca e sua semente são tóxicas para os pets e podem provocar envenenamento.

Há relatos de cães que apresentaram sintomas sérios de intoxicação. Entre eles, podemos citar vômitos, diarreia, salivação excessiva, inchaço da boca e da língua e até dificuldades para respirar. Por isso, a pitanga faz mal para cachorro e você não deve oferecê-la ao seu pet.

Até mesmo a poda da pitangueira libera substâncias no ar que são capazes de irritar as vias respiratórias, principalmente dos mais sensíveis. Os cães não estão fora desse grupo.

Caso você tenha um pé de pitanga em casa, ou tenha o hábito de comprar em feiras, mercados e hortifrutis para ter sempre por perto, tome muito cuidado com a armazenagem. Não deixe em um local que o cachorro possa pegar sem que você veja, por exemplo.

Tome cuidado redobrado com o descarte do lixo. Mesmo os cães mais educados podem se sentir curiosos com relação ao cheiro e querer mexer onde não devem para experimentar a fruta.

O que fazer caso seu cachorro coma pitanga

O que fazer caso seu cachorro coma pitanga

Agora que você já sabe que a resposta para a pergunta “cães podem comer pitanga” é não, precisa saber como agir caso isso aconteça por acidente.

O primeiro passo é tentar identificar a quantidade de fruta que o cachorro comeu. Isso pode fazer toda a diferença considerando o porte e o peso corporal do cãozinho, influenciando na gravidade dos sintomas.

O segundo passo é observar seu pet de perto. O objetivo é reconhecer o quanto antes as mudanças no seu comportamento, seja pela apresentação de um ou mais sintomas que descrevemos anteriormente.

Se você notar qualquer alteração no seu cachorro, como prostração, dificuldade para respirar e outros, não espere o agravamento dos sintomas. Entre em contato com o médico veterinário que faz acompanhamento do pet imediatamente e leve-o a uma consulta de emergência.

Pode ser que o veterinário administre algum medicamento para provocar o vômito. Em alguns casos, pode acontecer de ele sugerir que o cão fique em observação por algum tempo para avaliar as consequências da ingestão da fruta.

Você pode incluir alimentos naturais na dieta do seu cão, mas é preciso tomar cuidado com o que oferece como petisco. Em caso de dúvidas, consulte sempre o profissional de saúde, pois ele é o único capacitado a dar essas orientações com segurança.

Para saber mais sobre sinais de intoxicação no seu cachorro e o que você deve fazer, confira esse artigo especialmente selecionado para você em nosso blog.

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário