Cravo em cachorro: entenda o problema!

Compartilhar:


Cravo em cachorro: entenda sobre o problema!

Quem nunca sofreu com cravos – seja no corpo ou no rosto, não é mesmo?! Principalmente no quesito estético, esses pontinhos pretos podem ser bastante incômodos. Mas e quanto aos cães? Você já viu cravo em cachorro? Porque, sim, os nossos pets também podem ser acometidos por esses comedões.

Neste artigo, explicaremos tudo sobre os cravos em cachorros. O que é? Como se forma? Será que existe tratamento? Continue lendo para entender mais sobre o assunto e, assim, ficar atento à saúde do seu pet!

Cachorros podem ter cravos?

Podem, sim! De acordo com Joyce Aparecida, médica-veterinária da Educação Corporativa Cobasi, “o cravo é a obstrução de um folículo piloso (o responsável pela produção e crescimento do pelo e pela excreção do sebo) por oleosidade e células mortas. Se não tratado, o cravo pode ser contaminado por bactérias e se tornar uma espinha”. 

E sim, cachorros podem ter espinhas, assim como a gente. Isso ocorre quando a produção de matéria sebácea forma uma superfície dura de excesso de sebo. Dessa forma, a doença que tem cravos e espinhas como sintoma clínico é a seborreia.

Mesmo que muitos tutores não tenham o conhecimento de que cachorros têm espinhas e cravos, essa doença pode ser considerada frequente, sendo mais comum perto da boca e do queixo de cães jovens. 

Mas, por mais que cravos e espinhas pareçam algo simples e supérfluo, é preciso prestar bastante atenção ao problema quando diz respeito aos cães. Esses comedões são um defeito crônico da produção de sebo e da queratinização. Na maior parte dos casos, esses são apenas sintomas secundários de doenças de pele, tais como as micoses superficiais, deficiências nutricionais, hipotireoidismo, pulgas e alergias. 

Como tratar cravo em cachorro?

cravo em cachorro

Como já mencionamos, existe uma lista bastante extensa de fatores que podem causar cravo em cachorro. E mesmo que o pet não esteja sofrendo de outros sintomas e problemas, a seborreia pode ser a responsável pelo surgimento desses comedões. Portanto, é necessário procurar um veterinário para analisar o que está causando esses cravos no pet.

“Caso você observe alguma alteração na pele do seu animal, procure um médico-veterinário. Não tente espremer ou utilizar medicamentos humanos no seu animal, pois isso pode abrir uma porta de entrada para bactérias, gerar cicatrizes e agravar o quadro”, alerta a veterinária Joyce Aparecida.

Além disso, é importante ressaltar que o tutor não deve, de forma alguma, aplicar medicamentos para humanos ou receitas caseiras nos cravos do pet, visto que isso pode agravar ainda mais o problema.

De acordo com Joyce, “normalmente, o tratamento envolve a limpeza do local com produtos específicos indicados pelo veterinário e o uso de pomadas ou cremes que contenham antibiótico (para reduzir risco de infecção bacteriana) e anti-inflamatório”.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário