Ganhe 10% OFF* na primeira compra. Use o cupom 10BLOG
*Limitado a um uso por CPF

Dermatite em gatos: saiba como evitar essa doença!

| Atualizada em

Por Cobasi   Tempo de leitura: 4 minutos

Compartilhar:
Compartilhar:

O seu gatinho está se coçando ou lambendo muito? Sabemos que os felinos, por instinto natural, são discretos e evitam apresentar sinais de dor na apresentação clínica das doenças. Porém, mudança específica no comportamento pode ser sinal de uma doença muito comum: a dermatite em gatos. 

Essas reações alérgicas são provocadas por diversos agentes alérgenos, como: poluição, ácaros, pólens, fungos e até produtos químicos. Então, quando se fala em problemas de pele em gatos, o prurido (coceira que pode surgir em diferentes pontos da pele) é um dos sintoma mais importante para entender que o pet precisa de ajuda.

Devido ao aumento de registro da dermatite felina, a necessidade por informação se faz cada vez mais presente. Esse artigo é justamente para preencher essa lacuna, com conteúdo sobre sinais clínicos, medidas preventivas, diagnóstico, tratamentos e muito mais.

O que pode causar dermatite em gatos?

Primeiramente, atópica ou alérgica, a dermatite é um diagnóstico comum em clínicas veterinárias. Por isso, conhecer os tipos de dermatite em gatos e as suas causas é de extrema importância para cuidar da saúde do seu amigo.

Em suma, a dermatite em gatos é uma reação alérgica à saliva da pulga. Então, uma picada dos parasitas pode gerar coceira intensa, que em alguns casos, pode durar por muitos dias. Com isso, é comum surgirem feridas na pele do gato.

dermatite em gatos

Apesar de ser uma condição mais comum em cães, por trás da dermatite atópica nos gatinhos (DA), os principais agentes causadores da doença, são:

  • picadas de pulgas;
  • alimentos;
  • alérgenos: pólens, ácaros e fungos;
  • perfumes específicos;
  • mofo;
  • ácaro;
  • lã;
  • produtos de limpeza;
  • plástico.

Esses são alguns dos motivos mais frequentes que causam doenças de pele em gatos. Como nem sempre é fácil identificar a evidência de pulgas e seus dejetos, conheça cinco padrões de lesão dermatológica em felinos.

Dermatite Alérgica à Picada de Ectoparasitas (DAPE)

Essa condição é ocasionada por picada de ectoparasitas. Em gatos, a DAPE é uma resposta imunológica dos animais hipersensíveis, em relação aos componentes presentes na saliva dos parasitas, pulgas e carrapatos.

Dermatite Trofoalérgica (DT)

A DT, conhecida também como alergia alimentar, pode acometer cães e gatos. Essa doença causas de distúrbios dermatológicos e gastrointestinais. Mas, especificamente nos felinos, a dermatite trofoalérgica fica na segunda colocação nas doenças que mais causam reações alérgicas.

Dermatite Atópica (DA)

A dermatite atópica em gatos se caracteriza pelas feridas e irritação da pele, que também pode vir acompanhada de queda de pelos. Essa é uma condição que tem controle, mas não tem cura. Porém, vale destacar que a enfermidade não é contagiosa, ou seja, não pode ser transmitida para outros animais que vivem no mesmo ambiente.

Dermatite Miliar (DM)

Dermatite Miliar em gatos

A dermatite miliar em gatos é um problema dermatológico, caracterizado por uma erupção cutânea que geralmente se manifesta na região do pescoço, dorso, cabeça e abdômen. As lesões podem ser generalizadas ou localizadas.

Micose em gatos

Uma das doenças mais comuns em gatos é a micose. Trata-se de uma zoonose causada pelo fungo Microsporum canis, ou seja, é contagiosa e pode acometer seres humanos, como também pode afetar animais de todas as idades e raças. Os principais sintomas são: queda de pelos, pele descamando, gato com casquinhas na pele.

Dermatite em gatos: como prevenir? 

A prevenção de gatos com alergia na pele envolve cuidados específicos que são bastante semelhantes com os procedimentos de tratamento. Basicamente, o pet deve estar sempre com a higiene em dia, ou seja, sem excesso, banhos com shampoo e visitas ao pet shop por exemplo, são ótimas alternativas para manter seu bichinho sempre limpo e saudável. 

Além disso, manter o ambiente que o seu amigo vive sempre limpo é fundamental para evitar problemas de pele em gatos. Então, atenção especial com a caminha do seu gato. Por fim, uma dica importante é a escovação diária. Essa é uma ação benéfica para evitar nós e  manter a superfície da pele limpa e arejada.

Alimentação também é importante para prevenir e tratar doenças de pele em gatos

De acordo com a gravidade, o médico-veterinário, além de indicar medicamentos, pode também solicitar uma mudança na rotina alimentar, indicando uma dieta hipoalergênica. Portanto, esse recurso é responsável por ajudar a controlar o quadro e reduzir as chances de uma resposta alérgica, deixando o pet mais confortável para se alimentar, dormir e brincar normalmente.

Qual melhor ração para gato com dermatite?

A Royal Canin, por exemplo, tem uma linha completa de produtos relacionados a dermatologia, pois sabe que independentemente do problema, a nutrição tem um papel fundamental sobre como prestar os melhores cuidados ao seu gato.

Então, se por acaso o seu gato foi diagnosticado com parasitas, como pulgas, agentes de sarnas ou carrapatos, a ração Hypoallergenic é a indicada. A sua fórmula atua no suporte à barreira protetora natural da pele, como também auxilia em casos de alergia alimentar.

A ração Anallergenic é outra excelente opção para manifestações clínicas do quadro hipersensível, que variam desde sinais clínicos em pele gastrointestinais. Uma ferramenta para diagnóstico de hipersensibilidade alimentar em gatos.

Agora você sabe como ajudar seu gato com doenças na pele. Garanta uma diagnóstico correto consultando um médico-veterinário para assimilar com mais detalhe quais tratamentos, alimentação e o quadro de saúde do seu amigo.

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário