Feridas na pele do cachorro: o que podem ser?

Compartilhar:


Feridas na pele do cachorro: o que podem ser?

feridas na pele do cachorro tem várias causas possíveis e, consequentemente, uma grande diversidade de tratamentos. Por isso, fazer um diagnóstico precoce e correto das feridas no cão é imprescindível para melhorar o quadro geral de saúde do pet e evitar, sempre que possível, que o problema aconteça novamente.

Nesse artigo vamos falar sobre as causas mais frequentes para um cachorro com feridas e queda de pelo, dentre outros sintomas.

Feridas na pele do cachorro: causas mais comuns

Feridas na pele do cachorro: causas mais comuns

O primeiro passo para cuidar de feridas na pele do cachorro, com pus ou não, é descobrir a causa primária dos machucados. As ocorrências mais frequentes para um cãozinho com feridas estão indicadas a seguir.

Dermatite: alergia de pele que pode ser provocada por contato com fungos, bactérias, ácaros, mofo etc. A dermatite atópica é uma inflamação crônica, que precisa de tratamento específico para ser controlada.

Feridas provocadas por pulgas e carrapatos: as mordidas provocadas por esses parasitas podem provocar crostas na pele do cachorro. Muitas vezes o pet se coça tão intensamente que fere a pele a ponto de provocar queda de pelo.

Alergia de contato: produtos que não possuem indicação de uso veterinário, como itens de limpeza e manutenção da casa, podem provocar sérias reações alérgicas nos cães. Além disso, até mesmo acessórios de uso canino podem ter esse efeito colateral negativo se não forem usados com cautela, como peitorais e coleiras muito apertadas, e roupas de tecido inapropriado.

Sarna: a sarna é uma das causas mais frequentes para coceira e queda de pelo em cães. É preciso investigar pois existem dois tipos diferentes, e um deles é altamente transmissível (inclusive para seres humanos).

Piodermite: um cachorro com caspa e feridas, possivelmente, está com esta infecção provocada por bactérias. Os sintomas incluem coceira, bolhas, formação de crostas e cascas e descamação.

Câncer de pele: provocado pela exposição excessiva ao sol, sem proteção adequada. Afeta com mais frequência os cães com pele e pelos claros, mas pode acometer qualquer animal.

Leishmaniose canina: doença causada por protozoário. Provoca feridas na pele e nas mucosas, tanto do nariz quanto da boca. Antigamente os pets diagnosticados com leishmaniose eram obrigatoriamente sacrificados, mas hoje já há tratamento.

Estresse: um cachorro sem atividade física e mental adequadas pode ficar estressado e entediado a ponto de coçar e morder a própria pele até feri-la. Não basta, portanto, curar apenas os machucados. É preciso atacar a causa do estresse.

Traumas e brigas: cães que têm acesso à rua e outros animais são mais propensos a se machucar em brigas ou brincadeiras mais vigorosas, além de poder se ferir em acidentes mais ou menos graves.

Meu cachorro está com feridas na pele: como tratar?

Meu cachorro está com feridas na pele: como tratar?

Como você viu, as causas das feridas na pele dos cães são muito diversas. O tratamento vai variar de acordo com cada caso, com base na avaliação que o médico veterinário vai fazer do estado geral de saúde do pet.

No que diz respeito à prevenção e cuidados, você deve:

  • manter seu pet sempre protegido contra parasitas (internos e externos);
  • utilizar apenas produtos de uso veterinário para fazer a limpeza da casa;
  • escolher itens de uso individual, como roupas, cama, coleira, de tamanho adequado ao corpo do cão e de materiais de qualidade;
  • observar sempre o corpo e a pele do pet, para identificar o quanto antes qualquer sinal de anormalidade.

A alimentação também pode provocar alergias e feridas na pele do cachorro. Nesse caso, converse com o médico veterinário para escolher a ração mais segura para o seu peludo.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário