Gato come rato? Descubra o que fazer se isso acontecer

Compartilhar:


gato come rato

O gato apareceu com um rato na boca? Se não for uma cena do clássico desenho “Tom & Jerry”, saiba que o felino pode estar em apuros. Já que um gato come rato, isso aumenta a chance de existir algum problema de saúde ao seu animal de estimação. Quer saber como ajudar o seu gato? Continue a leitura e descubra tudo sobre o assunto! 

Afinal, por que um gato come rato?

O motivo de um gato gostar de comer rato é devido à sua origem: os felinos são caçadores, eles têm um instinto natural de caça. Portanto, os gatos comem ratos não por estarem com fome, mas sim pela vontade genuína de perseguir uma possível presa.  

Por conta de ser adepto à caça, o gato tem uma espécie de técnica apurada quando ocorre o momento da busca por algum animal. Desde a vigilância e espera paciente pelo ataque até a hora da perseguição. Isso é uma característica nativa do gato, um comportamento instintivo que ele carrega devido a sua ancestralidade selvagem. 

Vale dizer que, além de um gato comer rato, ele adora o fato de caçar o roedor, trazendo uma verdadeira alegria à rotina do felino. 

Quando um gato come rato, o que pode acontecer?

Primeiramente, a postura do gato ao comer um rato pode ser a de compartilhar a “conquista” com o tutor. Ou seja, o animal de estimação pode exibir o rato morto como se fosse oferecer um presente ao tutor. É uma forma de carinho e demonstração do talento de caça do felino. Não estranhe, é uma atitude normal do gato. 

Porém, se o gato come rato, existe algum problema nisso? Sim, são vários os riscos à saúde do felino. Vamos explicar alguns problemas a seguir, confira: 

Toxoplasma

Infecção causada por um parasita, a toxoplasmose pode afetar todos os animais de sangue quente, inclusive os humanos. Para contraí-la, o gato precisa comer um rato contaminado, adoecer e produzir cistos do parasita pelas fezes, infectando o ambiente. O perigo está nos cistos que podem trazer danos a um animal com imunidade enfraquecida. 

Entre os sintomas possíveis, o felino pode ter febre, diarreia, tosse e pneumonia, além de distúrbios oftálmicos. 

Raiva

Em geral, a raiva se transmite pela mordida de animais infectados, mas também pode ser contraída pela saliva de um animal contaminado que esteja no corpo de outro pet. No caso do gato, a chance de ingerir um rato infectado é menos comum se comparada ao contato direto com animais silvestres, como gambás e morcegos. 

Verminose 

Mais comum ao gato, a verminose é uma doença na qual endoparasitas estão no intestino do rato e são enviados para o organismo do felino. Como ocorre a contaminação? Novamente, através das fezes do gato que acabam espalhando o contágio no próprio local. 

Envenenamento

Se o gato come rato envenenado por alguma substância tóxica, é chamado de infecção secundária. Assim, o grau de toxicidade que o felino venha apresentar dependerá do tempo, quantidade e tipo de veneno ingerido pelo rato. 

Com relação aos sintomas, pode existir desde uma diarreia até problemas neurológicos, semelhantes aos demonstrados pela presa. 

gato come rato

O que fazer se o gato comer um rato?

Meu gato comeu um rato, o que fazer? Primeiramente, busque se livrar o quanto antes do rato morto. Se o tutor não tomar nenhuma atitude, o gato entende que não haveria problema de colecionar outras “conquistas” em comer mais roedores. 

Para isso, tenha um par de luvas guardadas em casa e remova o rato do alcance do felino. 

Depois, observe se existe o surgimento de algum sintoma no gato. Se perceber qualquer sinal diferente, não hesite em levá-lo ao veterinário o quanto antes para realizar uma consulta e descobrir o que está ocorrendo com o seu pet. 

No entanto, o tutor pode impedir que o gato venha a comer um rato. Listamos algumas dicas simples para se prevenir nessa situação: 

  • Incentive mais brincadeiras com o gato em casa. Em vez de perseguir outros animais, faça-o gastar energia com brinquedos e outras atividades; 
  • Se puder, mantenha o seu gato em casa, evitando que ele vá para rua e encontre ratos, sobretudo os que são mais passíveis de contaminação; 
  • Caso ele goste de passear, reserve um espaço ao ar livre voltado para isso, como o quintal; 
  • Sempre mantenha a vacinação e vermifugação em dia; 
  • Tenha coleiras com sinalizadores para espantar as vítimas do ataque; 
  • Leve-o para fazer consultas e exames regulares no veterinário. 

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

2 Comentários

  1. CARDOSO disse:

    Muito interessante essa materia porque trás muitas informações que ajuda a gente aprender a cuidar do bichanos e connhecer o melhor comportamento e exigências deles.

Deixe o seu comentário