Papilomatose canina: entenda o que é e como tratar

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:
Papilomatose canina: entenda o que é e como tratar

Apesar de ser um problema, às vezes, difícil de notar, a papilomatose canina é muito comum em cachorros. É uma enfermidade que pode acometer cães de todas as idades e que, apesar de não ser grave, necessita da atenção dos tutores. E para você conseguir ficar de olho, vamos falar sobre as principais causas, sintomas e tratamento para essa doença. 

Afinal, o que é a papilomatose canina?

Apesar de o nome parecer estranho, é uma doença bastante comum e conhecida. Trata-se de uma enfermidade infectocontagiosa, gerada pelo vírus papiloma vírus. Quando em contato com o organismo do cachorro, esse vírus causa o aparecimento de papilomas, ou seja, pequenas verrugas que são consideradas tumores benignos. 

O papiloma canino surge através do contato de um cão infectado com um cão saudável. Esse contágio pode ocorrer através de lambidas, mordidas, ou compartilhamento do mesmo pote de ração ou de água. 

Um ponto importante de destacar sobre o papilomavírus canino é que ele difere do papilomavírus humano, comumente conhecido como HPV. Sendo assim, essa doença que acomete os cães não pode ser transmitida para humanos, apenas para outros cachorros. 

Como identificar a papilomatose no meu cachorro?

Perceber a papilomatose canina é bem fácil. O principal sintoma é o aparecimento de verrugas pelo corpo do cachorro. Essas verrugas têm a forma de uma couve-flor e podem ser escuras, acinzentadas ou esbranquiçadas. As regiões em que elas mais aparecem são a boca, focinho, cavidade ocular, genitais e pele da barriga. 

A verruga no cachorro não costuma ser dolorosa, mas pode incomodar bastante dependendo da região em que se encontra. Normalmente, quando se instala no olho ou na boca do pet, por exemplo, ele pode ficar bastante incomodado ou ter dificuldades para ver ou comer. Além disso, por serem regiões muito úmidas, as verrugas ficam ainda mais suscetíveis a se multiplicarem. 

Prevenção da papilomatose canina

Com relação à prevenção da papilomatose canina, não existem muitas maneiras de evitar que o cachorro pegue. Afinal, essa é uma doença bem comum e contagiosa.

Mas no caso de você possuir mais de um pet em casa e perceber que um deles pode estar sofrendo com as verrugas, procure separá-lo dos outros animais, assim como os objetos dele, tais como potes de ração e cama. Isso serve para evitar que o vírus se espalhe. 

Tratamento do papiloma canino

Papilomatose canina: entenda o que é e como tratar

Se o seu cachorro estiver com a saúde em dia e a imunidade funcionando bem, a doença provavelmente irá regredir e sumir em algumas semanas. No entanto, caso ela persista por muitos dias, é importante ficar de olho e levar o cachorro ao veterinário, para que isso não gere mais complicações. 

O tratamento pode envolver remédios antivirais ou vacinas. E em casos mais extremos, como numa situação em que o cachorro esteja tendo sangramentos, dificuldade para comer ou esteja sofrendo com a coceira ao redor do papiloma, o médico veterinário também pode indicar a remoção das verrugas através de cirurgia. Esta, por sua vez, é um procedimento bem simples e que não apresenta muitos riscos ao animal. 

É importante ressaltar que, caso o seu cachorro apresente sintomas de papilomatose, não se recomenda o uso de remédio caseiro para tirar a verruga do cachorro, pois isso pode agravar a enfermidade e causar desconfortos ao animal. Por isso, nessas situações, sempre prefira levá-lo ao veterinário para que um profissional especializado avalie a gravidade do problema e consiga determinar o melhor tipo de tratamento de forma segura. 

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário