Rinotraqueíte: conheça os sintomas da doença

Compartilhar:


rinotraqueíte

A rinotraqueíte é uma doença muito comum em gatos e pode causar diversos incômodos ao felino. Semelhante à gripe felina, ela é bem conhecida pelos tutores. 

No entanto, apesar de comum, a doença pode evoluir para casos mais graves, como pneumonia. Por isso os cuidados são fundamentais. 

Contudo, ainda existem muitas dúvidas sobre os sintomas da doença, por exemplo, se há tratamento e quais são as formas de prevenção. Então, para esclarecer essas dúvidas, contamos com a colaboração de Marcelo Tacconi de Siqueira Marcos, da Educação Corporativa da Cobasi. 

O que é rinotraqueíte?

“A rinotraqueíte causada pelo herpesvírus é comum nos gatos, principalmente em filhotes não vacinados. Neles, a enfermidade pode ser grave e até fatal”, conta o veterinário Marcos.

Essa doença, que acomete o trato respiratório do felino, é muito conhecida como a gripe dos gatos e pode ser causada por diversos agentes.

Os sintomas da rinotraqueíte em gatos são muito semelhantes aos do resfriado comum que afeta os humanos. Além disso, também costuma atacar os gatos durante os períodos mais frios do ano, como as épocas de inverno e umidade. 

Sua transmissão ocorre através do herpesvírus felino 1 (HVF-1) e da calicivirose, a partir do contato com os aerossóis ou com a saliva de gatos contaminados. Na verdade, os felinos podem ser agentes transmissores antes mesmo de apresentarem sintomas da doença. 

Normalmente um gato com rinotraqueíte pode transmitir a doença por um período de três a quatro semanas, ou alguns dias após estar curado da enfermidade. Sendo assim, caso o pet seja diagnosticado com a doença, o tutor deve separá-lo de outros felinos.

Quais os sintomas da rinotraqueíte?

Os sintomas da rinotraqueíte são muito semelhantes aos da gripe e podem deixar o gato sonolento, com pouca disposição e inativo. 

O maior problema da rinotraqueíte é que, apesar dos sintomas serem comuns, a identificação da doença não é simples. Portanto, o tutor deve estar sempre atento ao felino, especialmente durante os períodos de frio. 

Veja os principais sintomas de rinotraqueíte em gatos:

  • espirros;
  • tosse;
  • corrimento: nasal, ocular e aumento na salivação;
  • conjuntivite;
  • febre;
  • falta de apetite e prostração;
  • estomatite e gengivite;
  • artrite (em casos mais severos da doença).

Tratamento e prevenção da rinotraqueíte em gatos

rinotraqueite

Embora os sintomas da rinotraqueíte sejam simples e a doença não exija muitos tratamentos, é fundamental ficar atento. Isso porque, em caso de os sintomas piorarem, o tutor deve levar o pet ao veterinário o quanto antes.

Além disso, caso o gato esteja apático e com aparência de doente, é importante realizar um exame para a confirmação do diagnóstico. Para isso, na maioria dos casos, o exame realizado é o PCR.

Afinal, é através desse exame que é possível encontrar o agente causador da doença, permitindo um diagnóstico mais preciso. Dessa forma, o médico-veterinário poderá indicar o melhor tratamento de acordo com o diagnóstico.

A rinotraqueíte não tem cura específica, mas existe o que chamamos de “terapia de suporte”. Para isso, o veterinário pode indicar remédios para sintomas de rinotraqueíte, além de uma boa alimentação, descanso e hidratação.

Prevenção da doença

A rinotraqueíte felina costuma causar muito desconforto e mal-estar aos animais. No entanto, a prevenção da doença é bem simples: basta estar com a carteirinha de vacinação do felino em dia.

“A melhor forma de prevenirmos a rinotraqueíte é com as vacinas polivalentes (V3, V4 e V5), que devem ser aplicadas desde quando filhotes”, recomenda o especialista. Para isso, é o médico-veterinário quem deve avaliar o protocolo de vacinas.

Marcelo Tacconi

Colaboração de Marcelo Tacconi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário