Doença do gato: conheça as principais e como prevenir

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:
Gato com médico veterinário para diganosticar a doença renal crônica doença do gato

Quando se fala em doença do gato não existe apenas uma, mas várias delas que podem deixar seu bichinho muito doente. Infecções, doenças virais, bacterianas… a variedade é grande e algumas delas são muito perigosas e não têm cura. Por isso, conhecer muito bem cada uma dessas enfermidades e acompanhar de perto a saúde do seu gato, é a melhor forma de cuidar do seu peludinho amado!

As doenças em gatos são variadas e podem acometer pets de todas as idades. Além de causar danos à saúde e ao bem-estar dos bichinhos, algumas delas ainda podem oferecer riscos à sua família. Para manter seu gatinho sempre saudável e sua família protegida, preparamos este texto completo com as principais doenças do gato. Também listamos aquelas que são zoonoses, doenças transmitidas por animais que podem contagiar humanos.

Vamos falar sobre este tema tão importante?

O que são zoonoses?

Algumas doenças em gatos também podem acometer os humanos. As zoonoses são enfermidades causadas por vírus, bactérias ou parasitas que podem passar dos pets para as pessoas. Com a relação cada vez mais próxima, alguns desses organismos podem afetar a saúde dos tutores de forma perigosa.

As zoonoses podem ser transmitidas através do contato direto e indireto com animais, além de transmissão via carrapatos e mosquitos. Entre as mais comuns estão a toxoplasmose, a esporotricose e a bartonelose. Outra doença do gato muito conhecida é a raiva.

Doença do gato: principais tipos

Apesar das zoonoses oferecerem um risco elevado aos humanos, as principais doenças em gatos, aquelas consideradas mais comuns e até as mais perigosas, não são passadas de uma espécie para a outra. Até mesmo os cães estão protegidos e não correm risco quando falamos de doença do gato comum.

No entanto, isso não quer dizer que você não deva ter muito cuidado e prevenir seu pet dessas enfermidades. Algumas delas não têm cura e proporcionam muito sofrimento ao bichinho.

Conheça as doenças do gato mais comuns aqui no Brasil:

FIV (Imunodeficiência felina): a AIDS felina

Alguns chamam de FILV, mas o nome correto dessa doença do gato é FIV. A sigla é o acrônimo na língua inglesa para Imunodeficiência Viral Felina, ou Feline Immunodeficiency Vírus. Também conhecida como AIDS felina, a FIV não tem cura, mas alguns tratamentos ajudam a manter os sintomas controlados para oferecer qualidade de vida ao animal e longevidade. Nos casos mais crônicos, há lesões de pele, infecções e surgimento de doenças secundárias.

Esta é uma doença de gato que não é transmissível para humanos e nem para cães, mas um felino saudável pode ser infectado através do contato com a saliva ou o sangue de um animal doente. Por isso, é importante manter felinos com FIV+ longe de outros gatos.

Ainda existem outras formas de prevenção, como realizar a castração, assim a doença não se alastra para outros pets. Evitar que seu gato saia na rua é a forma mais segura, pois assim, ele não terá contato com gatos que você não conhece o histórico de saúde.

Não deixe o seu gato sair na rua, faça o acompanhamento veterinário semestral e fique ligado nos sintomas da FIV+:

  • anemia;
  • falta de apetite;
  • diarreia;
  • febre;
  • conjuntivite;
  • inflamações na boca;
  • problemas dentários;
  • mudança de comportamento.

FeLV: doença do gato chamada leucemia felina

A Feline Leucemia Virus, nome em inglês da FeLV, é uma doença causada por um vírus que compromete o sistema imunológico do pet. Essa doença do gato é transmitida por meio do contato com saliva, urina ou fezes de animais infectados.

Os sintomas clássicos de que o seu gato está com FeLV são:

  • perda de peso;
  • vômitos;
  • febre;
  • secreção nos olhos;
  • gengivas anormais;
  • taquicardia.

É muito importante detectar a leucemia felina o mais rápido possível, por isso, visitas periódicas ao médico veterinário são muito importantes. Esta é uma das doenças em gatos que pode diminuir a expectativa de vida do seu felino quando tratada tardiamente. Por mais que a FeLV não tenha cura, você consegue oferecer uma qualidade de vida para o seu gato através de cuidados e medicamentos.

Apesar de extremamente grave, essa doença do gato é muito fácil de prevenir. Existem vacinas que mantêm esses animais protegidos. Elas devem ser dadas em gatos filhotes e repetidas todos os anos por um médico veterinário.

Além disso, também é importante reduzir as chances de contaminação da FeLV e de outras doenças – estas sem vacina – por meio de alguns cuidados muito simples. Nunca deixe seu gato sair de casa sem estar na coleira e guia. Gatos que têm acesso à rua ficam suscetíveis ao contato com outros felinos não vacinados que podem estar doentes. Eles também podem sofrer maus-tratos e atropelamento.

Pneumonite felina: doença do gato perigosa

O surgimento da pneumonite em gatos se dá pelo Chlamydia psittaci, um microorganismo que causa várias infecções no pet, como rinites e conjuntivites. Os principais sintomas são:

  • conjuntivite;
  • lacrimejamento excessivo;
  • espirros;
  • febre;
  • tosse;
  • falta de apetite.

Se notar qualquer um desses sinais ou algum outro indicativo de gato doente, procure um médico veterinário. Esta é uma doença do gato que tem cura, mas para que o seu amigo não corra risco de vida, o tratamento deve começar o quanto antes.

Para evitar a pneumonite felina, não deixe de vacinar o seu gato e não coloque o animal em contato com outros infectados. Por isso, passeios na rua sem supervisão não são recomendados.

Panleucopenia felina: cinomose felina

Bem parecida com o parvovírus canino, a panleucopenia felina é causada pelo contato de um gato saudável com fluídos corporais de um animal infectado. Os principais sintomas dessa, que é uma das doenças em gatos mais perigosas, são:

  • febre;
  • diarreia;
  • depressão;
  • falta de apetite;
  • vômitos;
  • fraqueza.

O tratamento é feito com antibióticos e soro intravenoso e, assim como outras doenças graves em gatos, precisa ser diagnosticado cedo para que o pet não corra risco de vida.

Esta é mais uma doença do gato que é prevenida com a imunização anual. Saiba mais sobre a vacinação de gatos.

Rinotraqueíte felina: doenças do gato no trato respiratório

Uma das doenças em gatos mais comuns que atingem o trato respiratório é a rinotraqueíte, causada pelo herpesvírus. O vírus desenvolve infecções e problemas respiratórios no animal e provoca espirros, coriza, conjuntivite, e em casos graves, úlceras nas córneas.

A vacina para rinotraqueíte felina é fundamental na carteira de vacinação do pet, tanto é que a maior parte dos infectados são gatos jovens não vacinados. Após curado, o pet continua sendo portador do vírus, por isso a vacinação é indispensável logo nos primeiros meses de vida do felino.

Peritonite infecciosa (PIF): coronavírus felina

A PIF é uma doença sem cura conhecida como coronavírus felina. Transmitida via secreções orais e respiratórios, esta enfermidade causa febre, anorexia e acúmulo de líquido na região abdominal do felino.

Mesmo sem cura, você consegue minimizar as dores e desconforto com tratamento paliativos. Medicamentos como antibióticos conseguem impedir a progressão da PIF.

Como pudemos ver, são várias as doenças comuns em gatos, que podem ser contraídas com um simples passeio na rua. É função do tutor proteger o seu pet com a vacinação, visitas ao veterinário e também cuidados para evitar que ele tenha acesso aos animais desconhecidos.

Como evitar a doença do gato?

Algumas das doenças em gatos não possuem cura e mesmo aquelas que podem ser curadas, oferecem muitos riscos à saúde do bichinho. No entanto, todas elas são muito fáceis de prevenir.

A começar pela imunização dos pets! Faça o protocolo vacinal de gatos filhotes e não se esqueça do reforço anual nos adultos. Existem três tipos de imunizantes mais comuns, V3, V4 e V5. Apenas o seu médico veterinário pode indicar qual é o ideal para o seu pet.

A vacina V3 protege o felino contra três doenças do gato: panleucopenia e a rinotraqueíte, que citamos acima, e a calicivirose. Já a V4, ou vacina quádrupla, além das três doenças citadas anteriormente, ainda imuniza o pet contra a clamidiose, doença do gato que afeta o sistema oftalmológico e respiratório.

Por fim, ainda está disponível no mercado o imunizante chamado quíntuplo, ou V5. Além das quatro doenças citadas acima, ele ainda protege o pet contra a leucemia felina, a famosa FeLV.

Levar o pet todos os anos ao médico veterinário é uma excelente forma de manter a saúde do bichinho, mas existem cuidados diários que também precisam ser feitos para que ele não contraia nenhuma doença do gato.

 No dia a dia, é recomendável telar as janelas e evitar rotas de fuga para que gatos domésticos não tenham acesso à rua. É na rua que ele terá contato com gatos doentes e poderá se contaminar com os mais diversos vírus, bactérias e outros microrganismos.

Por fim, a castração é um procedimento simples que ajuda o gato a ficar mais calmo e menos fujão.

Tudo isso colabora para evitar que os felinos adoeçam, já que muitas das doenças não têm cura.

Queremos nossos peludinhos felizes e saudáveis ao nosso lado, desta forma, mantenha as vacinas do animal em dia, ofereça uma boa qualidade de vida a ele, e fique de olho nos outros gatos que estão em contato.

Agora que você já sabe sobre as doenças dos gatos, leia mais conteúdos sobre felinos no nosso blog:

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário