Transfusão de sangue em gatos

1 de abril de 2021

Gatos
Transfusão de sangue em gatos

Os felinos, assim como nós, podem vir a precisar de uma transfusão de sangue em gatos em algum momento da vida. Pode ser tanto em função de um procedimento cirúrgico, quanto por algo imprevisto acompanhado de um grande susto, como acidentes, picadas de animais peçonhentos, intoxicações e doenças do sangue do próprio gatinho, como anemias severas.

Nesse artigo vamos falar sobre como acontece a transfusão de sangue em gatos e o que é preciso para o bichano se tornar um doador.

Como funciona a transfusão de sangue em gatos

Como funciona a doação de sangue em gatos

A transfusão de sangue em gatos é um procedimento bastante simples e indolor. Um dos critérios para eleger um gatinho doador de sangue é o seu temperamento: quanto mais tranquilo, melhor. Pode ser que o médico veterinário responsável pelo procedimento opte por dar um sedativo bem leve para o gato, apenas para que ele fique calmo, não se estressando ou se assustando durante o período da doação.

É muito importante destacar que os gatos possuem três tipos sanguíneos: A, B e AB. No Brasil, o tipo A é o mais comum, mas é fundamental fazer um exame de sangue antes da transfusão para garantir que haja compatibilidade entre o doador e o receptor da transfusão. Casos de incompatibilidade podem levar à morte, por isso a tipagem sanguínea é tão importante.

Uma vez que tenha sido feito o teste e localizado um doador compatível, a transfusão deve ocorrer sem maiores problemas. Como precisa ser feito com calma, é comum que seja feita a internação do gato na clínica ou hospital veterinário onde o procedimento será realizado.

Qual o critério para um gato ser doador em uma transfusão de sangue

Qual o critério para um gato se tornar doador de sangue

Todo bichano que pretende ser um doador em uma transfusão de sangue em gatos precisa ser testado para algumas doenças que são transmissíveis. São elas: micoplasmose, bartonelose, FIV e FeLV.

Se todos esses testes derem negativo, o gato deve atender a alguns outros requisitos para se tornar um doador, que são:

  • ter entre 1 e 8 anos de idade;
  • ter peso corporal mínimo de 3,5 kg, mas de preferência a partir dos 5 kg;
  • estar com as vacinas em dia, livre de pulgas e carrapatos;
  • comer apenas alimentos comerciais;
  • não ter histórico de doenças graves;
  • não ter doenças infecciosas;
  • não ter recebido transfusão de sangue nem passado por procedimentos cirúrgicos recentemente;
  • não tomar nenhum tipo de medicação além daquelas contra parasitas;
  • não ser obeso nem ter sopro cardíaco;
  • fêmeas não podem estar prenhes nem no cio.

Um dos fatores mais importantes para um bichano ser doador em uma transfusão de sangue em gatos é que ele não tenha qualquer acesso à rua, ou seja, que viva 100% do tempo dentro de casa.

Como é muito comum que os tutores tenham mais de um gato em casa, quando uma transfusão de sangue se faz necessária é natural que os outros gatos que convivem com aquele que precisa receber sangue sejam testados para verificar se há compatibilidade. Mas, como nem todos se encontram nessa situação, ou dão a sorte de encontrar o doador dentro da mesma casa, vale a pena ajudar e tornar o seu gatinho um doador de sangue regular. Esse é um ato de amor!

Saiba mais sobre gatos com esses artigos em nosso blog: