Transfusão de sangue em gato: aprenda tudo sobre o tema

Compartilhar:


Transfusão de sangue em gatos

A transfusão de sangue em gato é um procedimento médico veterinário indicado em casos graves de anemia. Quando o organismo do próprio animal não consegue elevar o número de hemácias, o volume de glóbulos vermelhos e o teor de hemoglobina do sangue, é necessário entrar em ação!

Essa manobra médica é capaz de salvar vidas e, por isso, é cada vez mais comum ficarmos sabendo de campanhas de doação de sangue para gatos. Continue a leitura para aprender como o procedimento é feito, qual é o preço de uma transfusão, os riscos e benefícios e quais animais estão aptos a se tornarem doadores de sangue.

Quando o animal precisa do procedimento?

Como funciona a doação de sangue em gatos

Assim como para nós, humanos, a anemia severa é a principal indicação para a transfusão de sangue em gatos. Mas você sabe o que motiva um quadro anêmico?

Diversas doenças podem levar o seu pet a apresentar anemia crônica ou aguda. Se, ao realizar um hemograma, as hemácias, os glóbulos vermelhos e a hemoglobina estiverem muito baixos, pode haver indicação de intervenção para compensar os mecanismos do próprio pet.

Essa condição pode ocorrer por diversos motivos, como acidentes, picadas de animais peçonhentos, intoxicações, doenças renais, microplasma, FeLV, entre outras enfermidades.

A transfusão de sangue em gatos com FeLV, por exemplo, pode ser indicada caso o médico-veterinário encontre alterações hematológicas no exame do animal. A leucemia felina é uma doença viral que prejudica as defesas imunológicas e deixa os felinos vulneráveis e suscetíveis para diversas enfermidades.

Quanto custa uma transfusão de sangue em um gato?

O preço da transfusão de sangue em gatos pode mudar muito de acordo com a clínica veterinária escolhida pelo tutor, mas também existem outras variáveis. Pode ocorrer a indicação de transfusão de hemácias ou sangue total, por exemplo.

Além disso, o tutor pode adquirir a bolsa de sangue para gatos na clínica onde o animal passará pelo procedimento, comprar em um banco de sangue ou fazer a transfusão de um outro animal. Sendo assim, o procedimento costuma variar entre R$200 e R$800.

Ainda é possível fazer a transfusão de sangue em gatos gratuitamente. Para isso, o tutor deve procurar hospitais e clínicas públicas.

Como é feita a transfusão de sangue em gato?

Qual o critério para um gato se tornar doador de sangue

Assim como o procedimento feito em humanos, a transfusão em gatos é bastante simples e, normalmente, indolor. O veterinário introduz um cateter na pata do gatinho, através do qual o sangue é injetado no corpo do animal.

O animal deve ser internado, já que a intervenção pode levar até algumas horas. É importante que o sangue seja transfundido lentamente e sob acompanhamento profissional para avaliações constantes dos sinais clínicos do pet, como frequências cardíaca e respiratória. A recomendação de transfusão também pode ocorrer durante uma cirurgia.

Antes de iniciar o procedimento, é necessário fazer um exame chamado tipagem sanguínea em gatos. Isso porque os felinos podem ser do Tipo A, Tipo B e Tipo AB.

Esse exame também é feito nos animais doadores. Aliás, você sabe quais gatos podem doar sangue?

Que gato pode doar sangue?

Existem diversos critérios que tornam um gato elegível para a doação de sangue. A começar pelo temperamento: quanto mais tranquilo o gatinho, melhor. Isso porque o animal precisa ficar calmo e imóvel durante a doação de sangue.

Todo felino que pretende ser um doador em uma transfusão de sangue em gatos precisa ser testado para algumas doenças que são transmissíveis. São elas: micoplasmose, bartonelose, FIV e FeLV.

Se todos esses testes deram negativo, o gato deve atender a alguns outros requisitos para se tornar um doador, que são:

  • ter entre 1 e 8 anos de idade;
  • ter peso corporal mínimo de 3,5 kg, mas de preferência a partir dos 5 kg;
  • não ser obeso nem ter sopro cardíaco;
  • estar com as vacinas em dia;
  • não tomar nenhum tipo de medicação além daquelas contra parasitas;
  • estar livre de pulgas e carrapatos;
  • comer apenas alimentos comercializados;
  • não ter histórico de doenças graves e nem ter doenças infecciosas;
  • não ter recebido transfusão de sangue nem passado por procedimentos cirúrgicos recentemente;
  • fêmeas não podem estar prenhes nem no cio.

Um dos fatores mais importantes para um gato ser doador de sangue é que ele não tenha qualquer acesso à rua, ou seja, que viva 100% do tempo dentro de casa.

É cada vez mais comum que os tutores tenham mais de um gato em casa. Essa situação pode ajudar a reduzir as despesas, pois o outro animal pode ser passar pelo teste para ser um doador. No entanto, não é toda casa que possui mais de um animal e, por isso, manter os bancos de sangue abastecidos é algo muito importante.

Se o seu pet cumpre todos os critérios, procure o seu médico-veterinário e se informe sobre a possibilidade de realizar a doação de sangue. O seu ato pode salvar vários animais!

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário