Saiba tudo sobre adoção de cachorro e gato

28 de janeiro de 2019

Adoção de Animais
cachorro e gato no fundo branco

A adoção de cachorro, assim como a de gato, é uma grande responsabilidade. Afinal, ao adotar, você passa a se responsabilizar por uma vida.

Quem acolhe um animal sem lar ganha, em troca, o mais fiel dos amigos. Essa decisão, porém, exige muita responsabilidade. É semelhante a uma família que está próxima de ter um bebê: há todo um planejamento para que essa criança seja muito bem recebida e cuidada.

Na adoção de cachorro ou gato existem cuidados antes, durante e após o pet chegar em casa. E todos eles fazem a diferença para que a escolha não crie problemas entre dono e animal. Afinal, trata-se de uma vida que acompanhará o proprietário por muitos anos.

Continue a leitura e confira as 11 dicas para adotar um animal com responsabilidade.

11 dicas para a adoção de cachorro ou gato

Um cachorro pode viver entre 15 e 20 anos. Por isso, ao levar um filhote para casa, é fundamental refletir sobre sua escolha agora e no futuro. Separamos dicas importantes para guiar você para decidir sobre a adoção de cachorro.

Pense, reflita e questione

Algumas perguntas ajudam a ter mais consciência da adoção de cachorro. Pense nos motivos que fazem você querer adotar. Reflita sobre seu momento atual, seus objetivos de vida e seu futuro nos próximos 15 anos.

Mudança de casa? Viajar pelo mundo? Volta a estudar? Talvez viver em um outro país.. cada pessoa tem sonhos e planos diferentes e nem todos eles são possíveis com um cão ou gatinho para cuidar. Por isso, pense, reflita e questione.

Decidiu que você quer se comprometer por 15 anos ou mais e está animado para viver a aventura de adotar um cachorro? Reflita mais um pouco sobre emergências, como ter disponibilidade para levar o animal ao veterinário no meio da noite, paciência para adestrar e ensinar comandos e, claro, passear diariamente com pet.

Quem vai cuidar do cachorro? Todos da família estão de acordo? As pergunta são muitas e não existe resposta errada. Elas são muito pessoais e indicam se estamos preparamos ou não para a adoção responsável.

Faça este exercício!

Um pet cabe no seu orçamento?

Alimentação de qualidade, banho e tosa, creche, idas ao veterinário, tapete higiênico, caminha, roupinhas, guia e coleira, brinquedos, petiscos… ufa! É uma delícia mimar o seu pet, mas isso também exige dinheiro.

Abra sua conta, pense no futuro e planeje suas finanças com o pet. Aproveite para pesquisar a ração para cachorro ou alimento para gato, escolher a caminha e encontrar um veterinário de confiança.

Ter um pet é muito bom, mas também exige investimento financeiro para ele ter saúde e bem-estar. Além disso, é importante sempre ter uma reserva para emergências.

Planeje as companhias do animal

cachorro e gato com cobertor

É fundamental que alguém sempre esteja à disposição para dar atenção e carinho ao novo integrante. Procure definir desde já com quem ele ficará durante o dia e até em períodos de viagens. Pesquise hotéis e creches para animais.

“O cachorro não tolera ficar mais do que quatro ou seis horas em isolamento. A partir disso, já pode começar a ter transtornos de comportamento”, afirma a médica veterinária Ceres Berger Faraco

Por isso, reflita sobre sua nova rotina com a melhor companhia de todas!

Adoção de cachorro exige cautela

É comum ouvir dizer que o animal que escolheu o tutor. São várias as histórias de pessoas que chegam ao abrigo, e um cão logo vem em sua direção e conquista seu carinho. Mas cuidado com situações parecidas!

A adoção de cachorro e de gato precisa ser consciente e responsável. Ela deve ser baseada no comportamento do animal e na sua reflexão sobre estilo de vida e rotina.

Adotar um animal que tenha o temperamento adequado para seu padrão de vida reduz as chances de arrependimento e da temida devolução. Como saber qual o cachorro ideal para meu perfil de adotante? Separamos algumas regrinhas básicas para guiar você!

  • O tamanho do pet não importa. O que realmente faz diferença é o temperamento.
  • Quem vive em apartamentos ou casas pequenas deve dar preferência por animais mais velhos e calmos.
  • No entanto, isso não é um impeditivo para a adoção de um cachorro mais agitado. Basta compensar o excesso de energia com muitos passeios, dias na creche, brincadeiras e até um outro cãozinho.
  • O tamanho é algo fundamental para você? Adote um cachorro adulto, pois você já saberá o tamanho dele.
  • Filhotes precisam se alimentar a cada 4 horas para evitar crises de hipoglicemia. Se você fica mais de 4 horas fora de casa, opte por um adulto.
  • Cães peludos exigem uma rotina intensa de escovação. Eles precisam de tempo diariamente do tutor.
  • Cães grandes podem viver em apartamento. Da mesma forma que os pequenos, o que importante é o comportamento.

Saiba tudo sobre o cachorro ideal para apartamento.

Faça consultas com o veterinário

veterinário com cachorro

“O veterinário será o ‘pediatra’ ou ‘médico familiar’ do seu novo companheiro”, conta o médico-veterinário José Manuel Mouriño. Faça essa visita o quanto antes para tirar todas as dúvidas e garantir a saúde do animal desde o início da adoção do cachorro.

Nunca se esqueça das vacinas. É sempre melhor prevenir do que remediar. O dr. Mouriño orienta que o dono siga um protocolo de vacinação estipulado pelo médico veterinário e não deixe de realizar as vacinas anuais.. O uso de vermífugos é periódico e deve ser feito quando o especialista indicar. O mesmo vale para a administração do antipulgas.

Pense sobre a castração

Reproduzir um animal envolve muita responsabilidade, gastos e riscos. “Castrando fêmeas antes do primeiro cio, evitamos problemas como infecção de útero e tumores de mama, além de não ter um animal com cio e gravidez psicológica dentro de casa”, explica Mouriño.  

“Já nos machos castrados há menos complicações de comportamento e de próstata, evitando-se indesejáveis problemas de urina dentro da residência”, completa o médico veterinário.

A cirurgia de castração não é um procedimento complexo e é muito seguro desde que feito com a preparação adequada e por profissionais capacitados.

Saiba mais sobre castração.

Estabeleça limites desde cedo

Para a médica veterinária Ceres Berger Faraco, a atitude correta deve ser recompensada com carinho. “O limite não pode ser estabelecido por associações punitivas, mas por resultados positivos”, afirma.

O adestramento ajudará na adaptação do cachorro adotado e tornará toda a experiência muito mais agradável.

Crie um local certo para ele dormir

cachorro na caminha

É comum que o cachorro, sobretudo filhote, chore nos primeiros dias à noite por estar só em um ambiente estranho. “Evite que a primeira experiência dele seja traumática”, aconselha Ceres.

Nos primeiros dias, se necessário, deixe-o mais próximo de outras pessoas, mas vá mudando isso aos poucos para não virar um comportamento indesejado.

Acima de tudo, lembre-se de que a adaptação de um cachorro pode levar semanas e até meses. Por isso, seja paciente!

Ofereça ração Super Premium

O alimento ideal é balanceado por um médico veterinário. “As quantidades necessárias devem ser ditadas por esse profissional, e não pelo apetite do bichinho”, afirma Mouriño. Ele ainda alerta que “comida de gente” nunca deve ser dada ao animal.

Prefira sempre oferecer ração seca e alimentos úmidos de qualidade Super Premium. Desenvolvidas com ingredientes selecionados, essas rações oferecem nutrição completa para seu pet.

Adoção de cachorro e convívio com crianças

Se há pequenos na casa, lembre-se de ensiná-los que cachorro não é brinquedo. “Crianças muito novas nunca devem interagir com animais sem supervisão, é uma regra”, diz Ceres. Este cuidado evita acidentes e traumas, como a criança machucar o cão ou levar uma mordida.

Vai adotar um cachorro e tem crianças em casa? Prefira um cão brincalhão, paciente e equilibrado. Essa combinação comportamental é ideal para fazer companhia e se divertir com os pequenos.

Cães adultos costumam ser mais indicados para casas com crianças, pois já estão desenvolvidos e tem o temperamento definido. Além disso, filhotes têm o hábito de morder para brincar. Apesar de para ele ser uma brincadeira, as mordidas machucam principalmente a pele delicadas das crianças e dos idosos.

Onde adotar um animal de estimação?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que só no Brasil existam entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães abandonados.

Para ajudar esses bichinhos a encontrar um novo lar, existem as associações protetoras de animais, que resgatam, tratam e doam cães e gatos para famílias responsáveis. A ONG Vira-Lata é Dez é uma delas!

Atualmente, nos dois sítios que a organização mantém, vivem cerca de 1.000 cães e 450 gatos, a maioria deles vira-latas, prontos para ser doados. Ou seja, examinados, castrados e vacinados. Para adotar entre em contato pelo site da ONG.

A Cobasi realiza eventos para adoção de animais em diversas lojas físicas. Para saber a data do próximo evento, consulte nosso calendário.

Gostou do conteúdo? Saiba mais sobre adoção e ações sociais da Cobasi: