Cachorro desconfiado: como reconhecer e ajudar o pet

Compartilhar:


Cachorro desconfiado: como reconhecer e ajudar o pet

Um cachorro desconfiado pode agir de muitas maneiras. Para reconhecer o comportamento e ajudar o pet da melhor maneira possível, você precisa observar o cão em situações diferentes e em contato com outras pessoas e animais.

Se o seu cachorro é desconfiado, inseguro ou tímido, um bom trabalho de socialização pode ajudá-lo a se sentir mais confiante e relaxado na presença de outras pessoas além daquelas que já convivem com o pet.

Por outro lado, se você é tutor de um cãozinho muito simpático, e quer reconhecer um cachorro desconfiado na rua, durante os passeios, para evitar problemas, nós também podemos ajudar.

Fique com a gente até o final da leitura para entender melhor sobre o assunto e descobrir como você pode ajudar o seu melhor amigo peludo.

Como reconhecer um cachorro desconfiado

Como reconhecer um cachorro desconfiado

Os cães, assim como nós, são repletos de emoções e sentimentos que se manifestam de muitas maneiras. Como eles não falam, é preciso observar a chamada linguagem corporal, que engloba tanto a postura do cão quanto seus latidos, olhares e até a posição das orelhas e da cauda.

Um cachorro desconfiado frequentemente olha de lado para as pessoas e outros animais, em vez de encará-los de frente. Em situações tensas para o cão, ele pode colocar a cauda entre as pernas e contrair o corpo, ficando mais próximo do chão.

Tremores no corpo, rosnados, respiração ofegante e até escapes de xixi podem ser sinais de que o cachorro não está nada confortável com uma situação.

É muito importante ter em mente que não necessariamente um cachorro assustado irá retroceder e procurar abrigo. Pode ser que ele ataque se sentir que está correndo algum perigo, mesmo que não haja nenhuma ameaça concreta.

Isso é bastante comum nos casos de um cachorro traumatizado, por exemplo, que foi resgatado e precisa ser acolhido para aprender a confiar novamente nas pessoas.

Diante de uma situação assim, é preciso manter a calma e respeitar os limites do cão. Você pode tentar se aproximar dele aos poucos, oferecendo algum petisco ou bolinhas de ração, mas espere que venha até você ou que dê algum sinal concreto de que é seguro se aproximar.

Como a socialização pode ajudar

Como a socialização pode ajudar

Muitas vezes um cão que não teve uma boa socialização desde filhote cresce e se torna agressivo ou ameaçador.

Isso é comum em casos de maus tratos, mas também em situações em que o cão fica preso em um espaço confinado. Cachorros que não têm contato com outras pessoas e animais, não saem para passear e nem brincam com o tutor também pode se tornar agressivos.

Algumas raças precisam de mais dedicação por parte do tutor na socialização, pois tem uma tendência natural a se tornarem cães de guarda e desconfiar de estranhos. Mas o fator que mais influencia o comportamento de um cachorro é, definitivamente, o treinamento que ele recebe, em conjunto com o carinho e o afeto dos humanos.

Se você tem um filhote, permita que ele tenha contato com pessoas diferentes, incluindo crianças e idosos, além de outros cães e outros animais. Supervisione essas interações e vá corrigindo os comportamentos que você julga inadequados.

Se o seu pet já é adulto, é possível fazer um trabalho intenso de reforço positivo para quebrar essa barreira. Durante os passeios, mantenha-se atento ao que acontece ao seu redor para garantir a segurança do seu cão e a sua.

Se passar por um cachorro olhando desconfiado para você e o seu pet, mantenha a calma e não interaja a não ser que o outro tutor garanta que é seguro. Espere até que o próprio cão dê sinais de que está tudo bem, como abanar a cauda e deitar mostrando a barriga.

Continue sua leitura com outros artigos selecionados especialmente para você em nosso blog:

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário