Esporotricose em cachorro e gato: o que é, como prevenir e tratar

1 de abril de 2021

Saúde e Cuidados
Esporotricose em cães e gatos: o que é, como prevenir e tratar

A esporotricose é uma doença provocada por um fungo, chamado Sporothrix spp, que pode ser encontrado no solo e nas vegetações. Ela pode afetar diversos animais de todos os tipos, tamanhos e idades, o que inclui animais domésticos como cachorros e gatos. Além disso, é uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida de um animal para o ser humano.

A contaminação se dá pelo contato direto do fungo com um machucado presente na pele, por menor que seja. É muito comum que animais que costumam brincar em meio ao mato, próximos de plantas, galhos, troncos e cascas de árvores se arranhem e sejam contaminados, mas o contato também pode acontecer por meio de objetos e ambientes que tenham a presença do fungo, mesmo que dentro de casa.

Características da esporotricose

Uma vez que o animal tenha sido contaminado pelo fungo causador da esporotricose, que também pode ser conhecida como doença da roseira, geralmente são observadas as seguintes fases de evolução da doença:

  • fase cutânea: presença de lesões avermelhadas na pele, que podem ser únicas ou várias, espalhadas pelo corpo.
  • fase linfocutânea: as lesões evoluem e se tornam feridas abertas, que passam a atingir o sistema linfático do animal.
  • fase disseminada: a doença avança ainda mais e toma todo o corpo do animal, podendo afetar até mesmo os ossos, as articulações e os pulmões.

Como diagnosticar e tratar a esporotricose em cachorro e em gatos

Como diagnosticar e tratar a esporotricose em cachorro e gato

Assim como em qualquer outro caso em que haja problemas de saúde, o mais recomendado é levar o pet a uma consulta com o médico veterinário para que ele possa fazer o exame clínico e outros exames que possam auxiliar no diagnóstico.

No caso da esporotricose, o histórico do animal e o exame clínico são fundamentais, mas o diagnóstico exato só será possível por meio da realização de um exame chamado cultura, que avalia a presença do fungo no organismo. Quando existirem lesões na pele, também podem ser realizadas biópsias para confirmar esse diagnóstico. 

O tratamento geralmente é feito com antifúngicos orais, que atacam diretamente o Sporothrix spp, além de antibióticos para combater infecções secundárias em outras partes do corpo.

O tratamento da esporotricose é bastante demorado e pode ser de difícil recuperação, nos casos em que a doença já está avançada. É muito comum que os médicos veterinários optem por manter as medicações por várias semanas, mesmo depois de o animal apresentar melhora e ter indícios de que está curado.

Essa é uma maneira de evitar que a doença volte, com ainda mais força, caso todos os vestígios do fungo não tenham sido completamente eliminados do organismo.

Cuidados extras com a esporotricose em gatos

Cuidados extras com a esporotricose em gatos

De maneira geral, os gatos são mais suscetíveis a contrair esporotricose do que os cães e os seres humanos. Como estão instintivamente habituados a arranhar e roçar o corpo em diversas superfícies, felinos que têm acesso a jardins e outras  áreas externas tendem a se infectar com o fungo da esporotricose com mais frequência do que cachorros e pessoas.

A esporotricose em gato costuma ser mais, por conta da grande quantidade de Sporothrix spp encontradas em cada uma das lesões. Por isso, diante de qualquer sinal de anormalidade na aparência ou no comportamento do seu pet, é preciso levá-lo imediatamente ao médico veterinário para uma avaliação clínica. Se for diagnosticada no início, essa doença tem maiores chances de ser curada com mais rapidez e sem tanto sofrimento para o animal.

Dica: a melhor maneira de proteger seu gato da esporotricose é colocar telas nas janelas da casa, para que ele não possa sair e frequentar ambientes potencialmente contaminados.

Como prevenir a esporotricose

Assim como acontece com diversas outras doenças, a melhor maneira de evitar a contaminação do gato, cachorro e mesmo das pessoas pelo fungo que provoca a esporotricose é a adoção de medidas de higiene e limpeza.

O fungo precisa de umidade e altas temperaturas para se proliferar, então suas chances diminuem consideravelmente em ambientes organizados e limpos. Caso um animal seja diagnosticado com esporotricose, é necessário fazer seu isolamento de todos os outros animais que possam morar na mesma casa, além de tomar cuidados extras na sua manipulação, ao dar medicamentos, oferecer alimento e água. Use luvas descartáveis ao tocar no pet, no seu bebedouro, comedouro, brinquedos e outros acessórios, lave bem as mãos depois que terminar e faça uma higiene completa do ambiente. Converse com o médico veterinário para receber orientações específicas para o tratamento.

Continue sua leitura com a gente! Confira mais algumas sugestões de artigos: