Você sabe como cuidar de um peixe filhote? Descubra agora!

Compartilhar:


Primeiramente, é importante considerar que o mercado de peixe filhote é grande, seja no aquarismo ou na piscicultura.

Isso ocorre pela grande proliferação de peixes, pois cada linhagem gera recém-nascidos de uma forma distinta, mas sempre em grande quantidade.

Sendo assim, é imprescindível o conhecimento sobre como cuidar desses bichinhos. Considerando que os filhotes de peixes correm um risco muito grande de não passar desta fase.

Isso acontece pela falta de habilidade das larvas de se adequarem a um ambiente novo e também pela sua fragilidade.

Neste artigo, apresentaremos todas as formas de cuidados, para você entender como criar seu peixinho com uma formação saudável. Fique conosco!

O que é exatamente um peixe filhote?

Originalmente, o peixe filhote é chamado de alevino. Consiste em um peixe recém-nascido que se forma naturalmente entre três maneiras distintas, seja do saco vitelino ou logo após o nascimento. 

As categorias são: ovíparo, vivíparo e ovovivíparo. Veja, seguir, como funcionam essas proliferações:  

  • Ovíparo: com cerca de 90% de espécies pertencentes a essa categoria, os ovíparos se tornam a principal forma de formação de peixes. Consiste no desenvolvimento do filhote feito no corpo de sua mãe, ou seja, dentro de um ovo que contém os nutrientes necessários para o alevino. 
  • Vivíparo: esse peixe filhote se desenvolve no corpo de sua mãe, assim como os humanos, com todos os nutrientes garantidos para a sua formação. 
  • Ovovivíparos: já essa categoria é a mais rara e ocorre uma combinação das duas formas anteriores, isto é, o desenvolvimento é feito mutuamente e os filhotes saem do ovo. 

Essas categorias são relevantes para a forma de alimentação de cada peixe filhote, pois, dependendo delas, os alimentos variam. A seguir, veremos como aplicar a alimentação correta para cada alevino. 

Como alimentar um peixe filhote?

Em distinção aos outros animais, após o nascimento, os peixes já nascem se alimentando. Entretanto, há especificações na forma de alimentação entre algumas classificações/espécies. 

Os onívoros, por exemplo, já nascem em formato de um pequeno peixe e podem ser alimentados por rações e microorganismos. 

Esse tipo de peixe filhote não apresenta dependência dos pais. Alguns exemplos são: Paulistinha, Kinguio, Tetra Negro e Tetra Neon. Eles podem ser carnívoros ou herbívoros. 

O vivíparo, no que lhe concerne, depende dos pais para sua alimentação. Se acopla no corpo do pai ou da mãe e, através de uma placenta, encontra os nutrientes essenciais para sua formação. 

No entanto, após cerca de 7 dias, eles devem ser alimentados de crustáceos aquáticos em fase lavar como o náuplio. As espécies correspondentes aos vivíparos são: Molly, Guppy, Cauda de Espada e Plati. 

Já os ovovivíparos quando ainda estão em seus ovos, eclodem na fêmea e são alimentados por vitelo(material existente no ovo). Ao nascer se nutrem por um saco vitelínico até se formarem. Entre eles estão: alguns Ciclídeos, Lebistes e Acarás.

Quais são os alimentos adequados?

No mercado já existem alimentos especializados para peixe filhote. Eles são produzidos para cada fase do peixinho: fase larval, alevino e juvenil. 

Deve ser oferecido duas ou três vezes ao dia em quantidade adequada para o crescimento e fortalecimento do peixe.

Como cuidar de um peixe filhote?

respiração dos peixes

Assim como é necessário o cuidado com a alimentação do peixe filhote, também é preciso alguns requisitos para o ambiente de criação de alevinos. 

Para o cultivo em viveiros a prioridade é verificar se existem peixes predadores por perto

Portanto, é essencial a instalação de telas e redes no local, como proteção para os pequenos animais.

Além disso, é importante avaliar no sistema de abastecimento, a quantidade de água correspondente ao preparo do viveiro. 

Já a criação do peixe filhote ornamental, a água deve estar estabilizada com filtro, termostato, aquecedor e iluminação fraca. 

A instalação de substratos, plantas ou enfeites deve ser bem planejada para não dificultar o manejo, a manutenção e a atenção aos alevinos.

Outro fator importante consiste na troca de água. O recomendado é que a utilização da água esteja na mesma temperatura do aquário, evitando um choque térmico que pode matar o animal.  

Por fim, outras observações relevantes são: manter a higiene do aquário, higienizar as mãos no momento de manutenção de alimentos e água e retirar, em imediato, qualquer alevino do aquário que esteja morto.  

Manter seu animal saudável e fortalecido é uma prioridade não é mesmo? Portanto, continue conosco para mais informações sobre peixes nos artigos abaixo:

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

2 Comentários

  1. Amanda disse:

    Vocês vendem vacina v10? Qual valor?

Deixe o seu comentário