40 plantas medicinais e como usá-las

Compartilhar:


Valeriana

Não é de hoje que as plantas medicinais são usadas para trazer benefícios à saúde. Desde os primeiros registros históricos da humanidade, as propriedades da flora eram utilizadas para tratar dores, ferimentos e até como pós-operatórias.

Podendo ser usadas por meio de infusões, compressas, vapor, entre outras formas, esses vegetais podem ser cultivados em casa. Entretanto, não basta plantar, colher e utilizá-las, porque elas também podem fazer mal, causar alergias e até ser tóxicas.

Então continue a leitura e descubra tudo sobre plantas medicinais e suas indicações.

Se é natural não faz mal?

Nada disso! As plantas medicinais podem, sim, fazer mal se usadas de forma inadequada ou então por pessoas com algumas doenças pré-existentes. Essas plantas e flores medicinais podem conter substâncias e, dessa forma, causar sérios problemas.

A arruda, ou Ruta graveolens L., planta com propriedades que auxiliam no tratamento de varizes, dores menstruais, além de ser cicatrizante, entre outros benefícios, pode fazer muito mal para algumas pessoas. Seu consumo pode causar vômitos, edema na língua e hemorragia em mulheres grávidas. Outro caso é a Phyllanthus amarus L., mais conhecida como quebra-pedra. Apesar ser eficaz para eliminar pedras nos rins, ela pode ser abortiva.

Ou seja, apesar de naturais, as plantas podem ser muito perigosas. Por isso, nunca faça o uso de plantas medicinais sem a orientação de um médico.

Qual a diferença de plantas medicinais e fitoterápicos?

A fitoterapia vem ganhando cada vez mais espaço na sociedade. Isso se deve à busca por produtos mais naturais a fim de evitar mais química dentro do organismo.

É importante saber, também, que plantas medicinais e fitoterápicos são coisas diferentes. Os fitoterápicos são remédios, enquanto as plantas, não, apesar da sua ação semelhante. A principal diferença é que os ativos dos fitoterápicos passaram pela avaliação de especialistas e são seguros para consumo de acordo com a recomendação de médicos e informações da bula.

No caso das plantas medicinais, pode não existir o acompanhamento de um especialista garantido a segurança, afinal é só plantar, colher e preparar. Caso haja indicação para o tratamento com plantas, é necessário conhecê-las e saber como funcionam.

Conheça as 5 principais plantas medicinais

O tratamento fitoterápico pode servir como uma terapia complementar, auxiliando na solução de problemas de saúde junto com outros tipos de remédios. No entanto, eles devem ser feitos sob recomendação, assim como o uso de infusões e compressas das plantas medicinais in natura ou desidratadas.

Conheça algumas plantas mais usadas.

Arnica

Arnica

Fácil de ser encontrada, esta florzinha é famosa por tratar machucados, amenizar dores e contusões. E não é para menos! Isso porque a arnica é uma das plantas cicatrizantes e anti-inflamatórias mais utilizadas graças a uma substância chamada quercetina. Com ela, a resistência dos vasos aumenta, melhorando a irrigação sanguínea na região.

Boldo-do-Chile

Boldod-do-Chile

Outra planta muito conhecida, o boldo é muito utilizado para a elaboração de medicamentos estomacais e para o fígado. Ele possui uma ação desintoxicante, melhorando a digestão e as funções hepáticas. No entanto, o consumo dessa planta merece atenção, afinal, no Brasil é muito comum encontrarmos o falso boldo em hortas ou jardins.

Erva-cidreira

plantas medicinais

Muito tomada em chás, a erva-cidreira é famosa por ajudar na digestão, no combate às cólicas e ainda alivia os gases. Além disso, é uma planta relaxante, ajudando a acalmar e proporcionando uma ótima noite de sono.

Guaco

Esta planta era uma das plantas medicinais indígenas muito utilizadas para tratar picadas de cobras e insetos, no entanto, suas funções terapêuticas vão mais além. A planta é ótima para compor xaropes caseiros, ajudando a diminuir os problemas respiratórios como asma, bronquite e pneumonia. Além disso, ela é uma planta cicatrizante e ajuda a curar feridas. O guaco também está entre as plantas anti-inflamatórias, colaborando para a redução de edemas.

Pata-de-vaca

Fácil de ser encontrada nas ruas e praças, esta planta medicinal ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue. No entanto, ela não deve ser utilizada sozinha por pessoas que apresentam diabete tipo 1, mas funcionam como um ótimo complemento para o tratamento.

Veja a lista com 40 tipos de plantas medicinais:

  1. Agrião
  2. Alfazema
  3. Alcaçuz
  4. Alecrim
  5. Alho
  6. Arnica
  7. Arruda
  8. Babosa
  9. Boldo-do-Chile
  10. Calêndula
  11. Camomila
  12. Canela
  13. Capim-limão
  14. Carqueja
  15. Cáscara-sagrada
  16. Coentro
  17. Confrei
  18. Cravo-da-Índia
  19. Dente-de-leão
  20. Erva-cidreira
  21. Erva-doce
  22. Eucalipto
  23. Guaco
  24. Guaraná
  25. Hortelã-pimenta
  26. Jaborandi
  27. Laranja-da-terra
  28. Louro
  29. Malva
  30. Macela-do-campo
  31. Manjericão
  32. Pata-de-vaca
  33. Pimenta
  34. Pitanga
  35. Rosa-mosqueta
  36. Sálvia
  37. Tamarindo
  38. Tomilho
  39. Unha-de-gato
  40. Valeriana

Confira a nossa galeria com fotos de plantas medicinais:

Animais podem fazer uso de plantas medicinais?

Assim como ocorre com os humanos, existem alguns medicamentos e cosméticos para animais que são elaborados a partir de propriedades de plantas medicinais.

Contudo, quando o assunto é o uso de plantas em pets, é importante consultar um veterinário para saber sua opinião e como utilizar a planta.

Em muitos casos é comum que os próprios animais sofram de problemas digestivos e procurem ajuda de grama ou plantas. Aliás, essa é outra questão que merece atenção, afinal, algumas plantas são nocivas aos animais.

Porém, existem casos em que o veterinário pode indicar o uso de algumas plantas medicinais, como camomila, babosa, erva-cidreira e hortelã.

Sempre que perceber algum sintoma no pet, não tente tratá-lo em casa, afinal, o veterinário saberá examinar o animal e diagnosticar melhor o quadro de saúde para indicar algum tratamento.

Em dúvida sobre se um vegetal é ou não medicinal? Deixe nos comentários!

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário