Repelente eletrônico funciona? Descubra!

Compartilhar:


Afastar mosquitos e pernilongos sem usar produtos químicos é sempre melhor para a saúde e para o meio ambiente. Nesse caso, o repelente eletrônico pode ser uma boa opção para se proteger dos insetos de maneira menos poluente e agressiva.

A gente sabe que viver em um país quente e úmido como o nosso é conviver com insetos querendo nos picar na maior parte do tempo. Antigamente, para manter esses bichos distantes, as pessoas utilizavam técnicas como esfumar o ambiente ou espalhar determinadas plantas pela casa.

Descubra as vantagens de utilizar esta opção de repelente e como ela vai te ajudar no dia a dia sem incomodar!

Mantendo a distância de mosquitos e pernilongos

Afinal, vamos combinar, não tem nada mais chato que parasitas sugando o nosso sangue ou zumbindo em nossos ouvidos, não é mesmo?

Contudo, não é só por uma noite tranquila que devemos manter distância desses insetos. Além de incômodos, esses animais são vetores de doenças, por isso é importante deixá-los bem longe.

Com a evolução da indústria química, os repelentes sintéticos surgiram como solução para eliminar mosquitos e pernilongos e garantir uma boa noite de sono. Em seguida, foi a vez da indústria eletrônica se apresentar no combate a esses parasitas.

O que é repelente eletrônico?

Assim como a invenção do repelente eletrônico tornou o controle de pragas mais fácil, ele também se tornou ecologicamente inofensivo. Eles não liberam nenhuma substância tóxica no ambiente e são bastante seguros.

Na verdade, o repelente eletrônico emite uma onda sonora em frequência altíssima chamada ultrassom. No entanto, esse tipo de onda é inaudível para seres humanos e animais de estimação.

Porém, algumas pesquisas divergem da eficácia do aparelho. Alguns estudos sugerem que este método de repelir insetos por ondas ultrassônicas, apesar de não poluente, não é realmente efetivo.  

Repelente eletrônico faz mal?

Por ser ambientalmente inofensivo, o repelente eletrônico não irá matar as pragas, mas desorienta-las e afastá-las. É por esse motivo que tais aparelhos são considerados atóxicos, ecológicos e seguros. Ou seja, eles não passam de emissores de sons irritantes.

Além de mosquitos e pernilongos, os repelentes eletrônicos também irritam outros bichinhos inconvenientes como formigas, aranhas e baratas.

Porém é preciso estudar bem seu ambiente antes de soltar ruídos ultrassônicos por aí, já que este aparelho também afeta ratos e morcegos.

Isso quer dizer que se você for tutor de algum roedor ou não quiser incomodar alguma família de morcegos que viva perto da sua casa, o uso de repelente eletrônico é desaconselhado.

Repelente eletrônico é seguro?

Por não serem agressivos à saúde e nem ao meio ambiente como os repelentes químicos, os repelentes eletrônicos são uma opção segura para utilizar até mesmo em quartos de crianças.

Repelente eletrônico é seguro para criança

Você já sabe que o ultrassom emitido pelo aparelho é inaudível a seres humanos, cachorros e gatos. Contudo, se você é um tutor super zeloso, está tudo bem conferir o comportamento do animal durante o uso do aparelho.

Por isso repare nos sinais. Ele fica irritado e inquieto com o repelente eletrônico ligado? Há alguma alteração no sono? Se não houver alteração no comportamento, basta relaxar e aproveitar um ambiente sem mosquitos e sem venenos.

Como usar o aparelho eletrônico?

O repelente eletrônico funciona da mesma maneira que um aparelho de wi-fi. Ele é um emissor de ondas. Por isso é importante não deixar nenhum móvel bloqueando o aparelho.

Por fim é importante saber que este dispositivo é indicado para ambientes de até 30 metros quadrados. Para espaços maiores é necessário utilizar mais aparelhos. 

Gostou de saber mais sobre repelente eletrônico? Confira outros posts sobre utilidades para casa que separamos para você:

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário