Entenda o que é a tríade felina e como tratar essa doença

Por Cobasi

Compartilhar:
triade felina

A tríade felina é uma condição de saúde composta por três doenças inflamatórias que atingem o fígado, o pâncreas e o intestino dos gatos. É importante ter em mente que o pet diagnosticado com essas doenças precisa do acompanhamento de um médico-veterinário. 

O especialista da Cobasi Marcelo Tacconi de Siqueira Marcos explicou um pouco mais sobre essa condição de saúde. “A tríade felina caracteriza-se por abranger três doenças inflamatórias associadas, sem predileção de raça, sexo ou idade. São elas: colangiohepatite (inflamação dos ductos biliares e do parênquima hepático), doença intestinal inflamatória e pancreatite.”

Então, para entender como essa doença se manifesta e a maneira correta de tratá-la, acompanhe o artigo! Assim, você saberá tudo para cuidar do seu pet da melhor forma.

Possíveis causas para a tríade felina

O diagnóstico dessa doença não costuma ser simples, afinal, essa condição envolve três órgãos diferentes. Como vimos, as enfermidades provocadas por essa doença são: colangite ou colangiohepatite felina, doença intestinal inflamatória e pancreatite.

É importante citar que essa enfermidade acomete apenas os gatos. Supostamente, sua causa está relacionada à grande proximidade dos órgãos afetados. Isso porque, na maioria dos gatos, há os ductos pancreáticos e biliares. 

Esses canais se juntam com o intuito de formar um só duto, que dá no duodeno. Contudo, em alguns gatos também existe um ducto pancreático separado, que não se liga ao duto biliar comum. Então, há uma outra entrada no duodeno.

Portanto, para os médicos-veterinários, essa ligação estreita entre o fígado, o pâncreas e o duodeno é uma dos fatores que causa a predisposição a essa condição nos pets. 

tríade felina

Como saber se seu gato tem tríade felina

Os sintomas mais frequentes e que podem ser percebidos facilmente pelos tutores são os seguintes:

  • vômito;
  • diarreia;
  • ausência de apetite;
  • desidratação;
  • febre;
  • emagrecimento;
  • desconforto e sensibilidade quando apertam o abdômen.

Outros sintomas que os os felinos que têm essas condições podem apresentar, mas que devem ser diagnosticados pelos veterinários, são: espessamento das alças intestinais, aumento do tamanho do fígado, anemia e aumento de enzimas hepáticas.

Contudo, para garantir o diagnóstico, exames laboratoriais e de imagem são indispensáveis. Além disso, o exame histopatológico dos três órgãos é o único capaz de diagnosticar a doença corretamente.

Qual é o tratamento para essa situação?

O especialista da Cobasi, Marcelo Tacconi de Siqueira Marcos, nos contou o tratamento indicado nesses casos. “Isso irá depender do estado do animal que será avaliado pelo médico-veterinário responsável, consistindo pelo tratamento em conjunto das três doenças. Fluidoterapia, cuidados na alimentação –  muitas vezes sendo preciso garantir uma alimentação por meio de tubo nasofágico; administração de antibióticos e antieméticos também são muito comuns no protocolo.”

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário