Aprenda tudo sobre a anatomia do gato e saiba como cuidar do seu felino

Compartilhar:


anatomia do gato

Não é novidade para ninguém que os gatos são animais fantásticos, mas se você já observou a habilidade e flexibilidade felina com certeza já se perguntou: “como ele fez isso?”. A resposta é simples: os gatos possuem uma estrutura muscular e óssea incrível. Todos esses aspectos são explicados pela anatomia do gato.

O corpo felino oferece um amplo estudo. Se você é ou pretende ser um tutor, conhecer as características da estrutura felina é fundamental para entender o seu comportamento e até como as doenças se desenvolvem, contribuindo assim para a saúde e o bem-estar do pet.

Então, continue com a gente e descubra todas as curiosidades desse animal tão incrível! Boa leitura!

Anatomia do gato: curiosidades sobre o corpo felino

O gato faz parte da classe dos animais vertebrados e mamíferos, ou seja, as fêmeas possuem mamas para alimentar os seus filhotes. Trata-se de um animal carnívoro e com habilidades de predador. 

Assim, a anatomia do gato tem certas particularidades para ajudá-lo a ser veloz e flexível. Confira as principais curiosidades sobre o corpo do gato a seguir.

  • O coração do gato se divide em 2 átrios e 2 ventrículos. Ele bombeia e distribui o sangue para todo o corpo. A especificidade do coração felino é que o sangue arterial é rico em oxigênio, e o sangue venoso possui as substâncias tóxicas dos demais órgãos. 
  • Apesar da estrutura óssea bem definida, os músculos e o sistema interno do ouvido do gato, chamado de “labirinto”, são os responsáveis pelo equilíbrio. Isso porque o tecido muscular se responsabiliza por unir a coluna vertebral, o que garante a flexibilidade. 

Além disso, a coluna vertebral dos felinos possui uma quantidade de músculos superior aos ossos, influenciando na habilidade e na elasticidade deles.

  • O sistema digestivo do gato é composto pelos mesmos órgãos do sistema do ser humano, porém, o trato gastrointestinal é o ambiente das “bactérias boas” que trabalham para manter o gato saudável. Além disso, o sistema digestivo, com o apoio de células do sistema imunológico, protege o bichinho de possíveis ameaças.
  • O sistema urinário e reprodutor é uma possível ameaça na anatomia dos gatos, pois é a parte responsável de filtrar o sangue e remover resíduos maléficos do corpo, pois é formado pelos rins e pela bexiga. 

Sendo assim, o sistema urinário deve receber os devidos cuidados. Do contrário, pode ser afetado por infecções, cálculos e obstruções.

Anatomia dos gatos: características sobre o corpo felino

Apesar de todas as partes do corpo do gato possuírem especialidades surpreendentes, a anatomia felina se destaca principalmente por sua coluna vertebral, pois encontramos explicações que parecem às vezes impossíveis de serem feitas.

Um exemplo é a façanha desse animal conseguir passar por fendas estreitas e lugares muito pequenos. A seguir, veremos como essa e outras peculiaridades felinas são possíveis. 

Anatomia do gato: esqueleto dos felinos

Inicialmente, o esqueleto de um gato já se diferencia pelo crânio, no qual a única parte que promove a movimentação é a mandíbula inferior.

A coluna vertebral é formada por 7 vértebras cervicais, 13 dorsais, 7 lombares, 3 sacrais e 18 a 26 vértebras caudais. 

Além disso, os felinos não possuem clavícula óssea. Para substituí-la existe uma clavícula minúscula constituída de cartilagem. 

Esse é o segredo de tanta elasticidade que permite ao pet saltar de lugares muito altos com tanta precisão e passar por lugares estreitos com facilidade

No total, não se sabe o número exato de ossos no esqueleto do gato, mas acredita-se que haja 244 ossos. 

Outro fator relevante da anatomia dos gatos é a força dos impulsos que esses animais podem dar. 

Isso acontece porque eles possuem 5 dedos nas patas dianteiras e 4 nas patas traseiras. Além disso, os membros posteriores impulsionam quando se dobram em forma de “Z”. E essa musculatura esquelética potente nas extremidades permite a velocidade do animal. 

Língua do gato

Outro aspecto curioso do gato é que sua língua é muito áspera, pois além da alimentação ela auxilia na limpeza do animal. 

Às vezes isso é um problema, pois esses hábitos de higiene podem causar danos na saúde, como as bolas de pelo no intestino do bichinho. 

Portanto, os tutores devem ficar muito atentos a esses cuidados. O recomendável é sempre utilizar um furminator para que os pelos mortos desapareçam, ao invés de “pararem” no intestino do seu pet. 

Os sentidos aguçados dos felinos

anatomia do gato

Os grandes olhos do gato são ideais para a caça. Por isso, existem os rumores de que os gatos enxergam melhor no escuro, mas isso é um mito! Veja a seguir os verdadeiros sentidos na anatomia do gato.

  • Visão: os gatos não enxergam no escuro, eles apenas possuem habilidades noturnas de caça, com seus olhos adaptados. 
  • Audição: seu ouvido médio permite a transmissão de sons para o ouvido interno pelo pavilhão auricular, que resulta no movimento do gato em direção à fonte do som, portanto o gato tem audição muito boa. 
  • Paladar: os gatos parecem não ser capazes de apreciar o sabor doce, por conta de suas papilas gustativas serem incapazes de identificar. 

Já os salgados são muito identificados e prediletos pelos gatos. Assim, para os tutores de plantão, optem por rações e petiscos salgados para o seu pet!

  • Olfato: a cereja do bolo está aqui! O olfato felino é altamente desenvolvido pela sua habilidade de caça e por ser uma fonte de comunicação entre os gatos. Assim, eles conseguem se comunicar uns com os outros através de feromônios.
  • Tato: diversos receptores perceptíveis de contato exterior são espalhados pelo corpo felino. As sobrancelhas e bigodes, por exemplo, servem para auxiliar o movimento do animal no escuro. 

Enfim, você conseguiu entender como a anatomia dos gatos é recheada de curiosidades e particularidades? Os gatos são mesmo surpreendentes!

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário