Asma felina: o que é e como tratar

Compartilhar:


gato laranja com asma felina

Entre as doenças mais comuns nos felinos domésticos estão aquelas respiratórias. Entre elas, a asma felina. Muito confundida com a bronquite, a asma de gato possui sintomas e, principalmente, tratamento específico.

Para você que tem um gatinho em casa e quer cuidar dele da melhor forma possível, continue a leitura!

O que é asma felina?

“Asma felina e bronquite crônica são doenças de vias respiratórias posteriores comuns nos gatos, com diferentes componentes inflamatórios, porém, com os mesmos sinais clínicos. Não sendo transmissível, tendo uma predisposição genética, normalmente sendo diagnosticada em animais mais jovens em suas crises”, explica o médico veterinário Marcelo Tacconi de Siqueira Marcos (CRMV 44.031) da Educação Corporativa da Cobasi.

Para entender o gato com asma é fundamental compreender como a doença acomete o animal. Para isso, o primeiro passo é saber mais sobre os brônquios, as estruturas que são mais afetadas.

Eles possuem a função de fazer a troca gasosa, ou seja, levar o ar da traqueia para os pulmões do gato. Isso também acontece no organismo dos cães e no nosso, porém os brônquios dos felinos são um pouco diferentes.

As células são mais arredondadas e possuem muita musculatura lisa nas paredes. Também existe uma maior quantidade de cartilagem hialina, a mesma encontrada nas narinas e na traqueia. Por fim, os gatos ainda possuem uma grande quantidade de mastócitos nos pulmões, que são células que ajudam na resposta imunológica do corpo.

Todas essas características aumentam a ocorrência da asma felina e de outras doenças respiratórias causadas pela aspiração de alérgenos. Vocês se lembram que os mastócitos atuam na imunidade? Por isso mesmo que a aspiração de alérgenos ou aerossóis gera respostas em dimensões maiores, como a produção de muco e edema brônquico, uma espécie de inchaço e obstrução.

Somado a isso, as outras particularidades também colaboram para dificultar a passagem de ar e resultar em asma ou outras doenças como a bronquite.

Qual a diferença entre asma em gatos e bronquite?

A asma felina e a bronquite em gatos são doenças muito parecidas e que são de alta decorrência. Muito confundida por tutores, elas, no entanto, possuem particularidades que o veterinário pode avaliar.

Quando o gato tem asma ele solta um chiado ao respirar. Isso é em decorrência de broncoespasmos comuns durante as crises da doença. Apesar de ser possível tratar as crises, a asma felina não tem cura, por isso, o pet tem o pulmão mais sensível e precisa de cuidados extras para evitar novas crises.

Entre os principais sintomas das crises de asma felina, estão:

  • Falta de ar
  • Dispneia
  • Taquipneia
  • Sons semelhantes a um assobio durante a respiração
  • Falta de ar
  • Espirros
  • Respiração oral
  • Mucosas arroxeadas
  • Apatia
  • Cansaço excessivo
  • Redução na quantidade de exercícios
  • Anorexia

Já a bronquite felina é um processo inflamatório que acontece por causa de um processo alérgico ou patógenos. Ela também resulta na produção de muco e em edemas nos brônquios. Apesar de ser tratável, a bronquite pode se tornar crônica e lesionar de forma permanente as paredes dos brônquios e estreitar a passagem de ar.

Os sintomas da bronquite são semelhantes aos da asma, mas somados a uma tosse permanente.

O gato transmite asma?

O pólen e a grama são alérgenos que podem desencadear crises em gatos com asma.

Se você está se perguntando se gato passa asma, fique tranquilo, a resposta é não. A doença tem predisposição genética e o animal a contrai por meio de alérgenos e aerossóis do ambiente.

Entre os alérgenos mais comuns, estão:

  • Poeira
  • Ácaros
  • Areia para gatos muito fina
  • Pólen
  • Grama
  • Poluição
  • Fumaça de cigarros
  • Produtos de limpeza

Como prevenir a asma em gatos e outras doenças respiratórias?

Como já mencionamos, a asma felina é uma condição genética, mas é possível evitar crises. A melhor forma de evitar que o seu animal tenha dificuldades para respirar por causa da doença é eliminando os alérgenos.

Evite que o gato tenha acesso à rua e, assim, à poluição, à sujeira e à grama. Dentro de casa o cuidado com a higiene deve ser redobrado. Tire o pó com frequência, passe aspirador e faça a higienização de estofados pelo menos uma vez ao ano. Além disso, evite flores que soltam muito pólen e não fume dentro de casa.

Por fim, tenha atenção redobrada aos itens usados na limpeza e na higiene. Prefira desinfetantes de uso veterinário para evitar o desencadeamento de alergias. Escolha uma areia higiênica que não seja muito fina e não seja aspirada pelo animal.

Asma felina: tratamento

Após uma visita ao médico veterinário e à realização de exames, o especialista orientará sobre um tratamento para evitar crises. Além de evitar alérgenos, é possível a indicação de broncodilatadores e corticoides. Alguns veterinários ainda indicam o uso de bombinhas para asma em gatos.

Ficou com alguma dúvida? Envie as suas perguntas nos comentários! 

Marcelo Tacconi

| Atualizada em

Colaboração de Marcelo Tacconi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário