Camundongo de estimação: guia de cuidados

Compartilhar:


camundongo dentro de meia de lã

Apesar de ser muito conhecido como rato de laboratório, o Camundongo pode ser um excelente bichinho de estimação. Inteligente, sociável e hiperativo, esses pequenos roedores são ótimos pets e se dão bem em todos os tipos de lares.

Apesar de ocupar pouco espaço e contar com um manejo simplificado, o Camundongo possui diversas peculiaridades e, se você quer adotar um, precisará conhecer sobre os seus cuidados.

Vamos lá?!

Qual a diferença entre Rato e Camundongo?

Antes de conhecer quais os cuidados com o seu Camundongo, vamos ajudar você com uma das principais dúvidas dos interessados nesse bichinho. É comum o receio de ter roedores em casa por causa de doenças, como a leptospirose. Mas será que o Camundongo transmite doenças?

A resposta é não! Os ratos domésticos, como o Camundongo de estimação, são criados em cativeiro, ambientes controlados e livres de doenças. Ou seja, não existe risco, especialmente por ser um animal doméstico e que vive apenas dentro da sua gaiola. É importante ressaltar que um rato que transmite doenças vive em um ambiente inadequado, desta forma, ele fica mais suscetível a ser um transmissor.

Além disso, esses dois animais pertencem à mesma ordem, a Rodentia, mas são de espécies diferentes. Os ratos que transitam pelas ruas, córregos e esgotos são normalmente de duas espécies: Rattus rattus e Rattus norvegicus. Eles medem mais do que 40 centímetros com a cauda. Já o nosso amiguinho rato Camundongo não ultrapassa os 12 centímetros.

Características do Camundongo

Vários Camundongos

Muito diferente das ratazanas e dos ratos comuns em cidades, o Camundongo é da espécie Mus Musculos. Os Camundongos são originários da Europa e Ásia, mas atualmente podem ser encontrados em todo o mundo. Como já mencionamos, ele mede até 12 centímetros já com a cauda. Apesar de algumas pequenas variações, eles pesam cerca de 20 kg. Tão pequeninos!

Seu tamanho reduzido e sua fragilidade, os torna um pet pouco indicado para crianças. Além disso, são animais com uma expectativa de vida curta, podendo viver em média entre 2 e 3 anos.

Já os tutores adultos podem se divertir muito com os seus ratinhos. Eles são animais muito dóceis, inteligentes e muito ágeis. Inclusive, sua hiperatividade exige muitos cuidados durante o contato com o bichinho. Brinque com o seu Camundongo apenas em ambientes fechados e sem rota de fuga. Tenha cuidado especial para não pular da sua mão e cair.

Tipos de Camundongo

Esses são bichinhos muito interessantes, não é mesmo? E as curiosidades não param por aí! Existem dois tipos de Camundongo: o Topolino e o Hairless. Conheça um pouco mais sobre cada um deles:

Topolino

topolino

O Camundongo Topolino é o menor da espécie Mus musculus. Ele é muito delicado e pode pesar entre 10 e 21 gramas. Esse pequenino possui apenas 10 cm de comprimento junto com a cauda.

Este pet pode ser encontrado em duas cores: Camundongo branco ou mesclado de branco e preto. Quem nunca se encantou por um Camundongo de pata branca?!

O Topolino exige um cuidado muito especial na hora de escolher a sua gaiola. Opte pelo viveiro com a menor distância entre as grades para evitar fugas.

Hairless

camundongo hairless

O rato sem pelo recebe o nome de Hairless. Apesar de ser da mesma espécie do Topolino, esse pequeno roedor possui uma mutação genética que o faz não possuir pelos. Desta forma, pode ser conhecido como Camundongo pelado.

Esta variedade tem os mesmos comportamentos do Camundongo comum, mas precisa de alguns cuidados devido a ausência de pelagem. Neste caso, é importante cuidar da temperatura e da incidência de luz. Ter casinhas, caminhas e outros abrigos é ainda mais importante para o Hairless.

E por falar em gaiola para Camundongo, vamos conhecer um pouco mais sobre a sua criação em cativeiro?

Gaiola ou viveiro

Se você quer ter um Camundongo de estimação, saiba que a gaiola será a casa dele. Por isso, é fundamental garantir que ele receba o maior conforto possível para viver dentro dela.

Desta forma, garanta que o tamanho da gaiola seja adequado ao pet. Quanto mais Camundongos você tiver, mais espaço ela deve ter.

Não esqueça de equipar a gaiola com comedouro, bebedouro e brinquedos. Os ratos são famosos por gostar das rodinhas, então, não deixe de colocar uma delas para o seu pet.

E não se esqueça: atenção à distância entre as grades. Os Camundongos são muito pequenos e podem fugir com facilidade.

A higiene também é fundamental para garantir qualidade de vida ao pet. Por isso, é importante usar um bom substrato no fundo da gaiola para absorver os dejetos do pet. Porém, isso não garante que o local esteja sempre limpo e sem odores. É fundamental realizar a manutenção. Fizemos um checklist de tudo o que você precisa fazer:

  • Remova resíduos do substrato diariamente;
  • Troque o substrato pelo menos uma vez por semana ou de acordo com a necessidade;
  • Limpe a casinha, os brinquedos, o comedouro e o bebedouro com sabão e água corrente pelo menos uma vez por semana;
  • Não deixe restos de frutas e outros vegetais;
  • Não dê banhos no seu Camundongo. Ele se limpa sozinho de forma semelhante aos gatos.

Comportamento e territorialismo

filhotes de camundongo

Os Camundongos se dão muito bem com pessoas e outros animais. Inclusive, é indicado deixar um companheiro para o seu pet se divertir, mas evite casais!

Apesar disso, podem ser um pouco territoriais, mas isso varia muito de um indivíduo para o outro. Para entender isso um pouco melhor, conversamos com o biólogo Claudio Soares, da Educação Corporativa da Cobasi.

“Os camundongos machos são mais territoriais, porém é possível cria-los na mesma gaiola, seja em dupla ou mais indivíduos. O importante é que a gaiola seja espaçosa e que tenha bastante tocas e abrigos para que cada um possa ter o seu espaço (território)”, explica o especialista.

No geral, as fêmeas são mais sociáveis entre si, mas vale observar cada indivíduo. Alguns são mais territoriais do que outros e o cenário também faz toda a diferença.

Além da gaiola para Camundongo espaçosa e repleta de abrigos, nosso biólogo Cláudio Soares recomenda avaliar se eles cresceram juntos, mudanças com a introdução de novos indivíduos em grupos já formados ou se há algum movimento e indícios de conflitos.

Quando o assunto é misturar machos e fêmeas, o problema é outro: eles se reproduzem com muita facilidade. Por isso, é importante não deixar machos e fêmeas juntos na gaiola.

sexagem do camundongo

Os Camundongos machos e fêmeas podem ser identificados a partir da análise da distância entre os orifícios, ânus e vulva. As fêmeas possuem os orifícios mais próximos, já nos machos, pode ser observado os testículos.

Como tornar meu Camundongo dócil?

Apesar de curiosos e sociáveis, o tamanho reduzido desses bichinhos faz com que também sejam muito medrosos. Por isso, trazemos algumas dicas para você socializar o seu Camundongo e evitar mordidas!

A forma mais indicada é fazer com que ele se acostume com a sua presença. Interaja diariamente com o bichinho. Comece colocando o dedo na grade da gaiola e depois a mão dentro para arrumar a casinha ou alimentá-lo.

Com o tempo procure tocar no seu ratinho e até pegá-lo na mão. Quando ele se adaptar ao toque, repita a rotina de brincadeiras e carinhos diariamente. Se você não estabelecer um horário para a interação, é provável que ele volte a ser assustado.

Por isso, apesar de ser um pet que não precisa de muito espaço e tem o manejo facilitado, ele precisa de um tutor com tempo para brincadeiras!

Saúde e cuidados

O Camundongos é um animal muito fácil de cuidar. A manutenção adequada da sua gaiola é a melhor forma de manter a sua saúde. No entanto, é recomendável o acompanhamento semestral com um médico veterinário especialista em animais exóticos e silvestres.

Alimentação do Camundongo

Famosos por serem gulosos, é preciso ter cuidado na hora de escolher a alimentação adequada para estes pets. A ração própria para roedores é a melhor opção, ela é elaborada com base em nutrientes e minerais adequados para estes animais.

As frutas e legumes podem ser oferecidos como petiscos, mas com cuidado. Além disso, apesar de muita gente associar o queijo aos ratos, jamais ofereça o alimento para seu pet!

Agora que você já sabe tudo sobre o Camundongo, vamos conhecer mais curiosidades sobre outros pequenos roedores?

Franciclaudio Soares Silva

| Atualizada em

Colaboração de Franciclaudio Soares Silva

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

6 Comentários

  1. Andressa Paiva Silva disse:

    Boa noite! Gostaria de saber se topolino pode viver sozinho e qual o valor deles na Cobasi da Marginal Tietê. Grata!

  2. Yasmin disse:

    Olá, muito bom o blog mas esqueceram de colocar uma informação importante, de que camundongos machos não vivem com outros macho por serem extremamente territorialistas.

  3. flavio disse:

    olá, Boa noite!
    gostaria de saber o valor de um topolino macho
    na Cobasi do lado da havan proxima ao Catuai shopping em londrina.
    obrigado!

  4. Jade de Souza Farias disse:

    Sim, topolinos machos devem viver sozinhos, femeas em grupos.

Deixe o seu comentário