Ganhe 10% OFF* na primeira compra. Use o cupom 10BLOG
*Limitado a um uso por CPF

Cardiopatia em cães: doenças no coração dos pets

Colaboração de Lysandra Barbieri   Tempo de leitura: 4 minutos

Compartilhar:
Compartilhar:
veterinário fazendo exame de cardiopatia em cães

A cardiopatia em cães é um tema sensível para os tutores, pois ela diz respeito a uma série de doenças do coração que afetam os animais de estimação. Por isso, trouxemos Lysandra Barbieri, médica-veterinária da Educação Corporativa da Cobasi, para explicar melhor o que é cardiopatia canina e como tratar o seu pet. Confira!

Cardiopatia em cães: o que é?

“As cardiopatias em cães são anormalidades no coração, tanto no formato quanto na função. Elas possuem diversas causas, como infecções virais ou bacterianas, idade, peso, alimentação, genética, dentre outros, que levam a problemas cardíacos”, explicou Lysandra.

Tipos de cardiopatia canina

A cardiopatia em cães não é uma doença, mas uma variedade de anomalias que afetam o principal órgão do pet. Conheça os tipos de cardiopatia canina mais comuns que podem prejudicar a saúde do seu pet.

1. Cardiomiopatia dilatada

Essa disfunção cardíaca também é conhecida como miocardiopatia e se caracteriza por uma doença que torna o músculo do coração mais fino e fraco. Isso leva a uma redução na quantidade de contrações do órgão. Desta forma, o sangue que volta para o órgão não atinge a velocidade necessária para oferecer oxigênio ao resto do corpo.

Esse tipo de enfermidade atinge especialmente raças de cachorro grandes ou gigantes. Além disso, é necessário ficar atento, pois ela por evoluir para um quadro mais grave como a insuficiência cardíaca congestiva.

2. Cardiomiopatia hipertrófica

A cardiomiopatia hipertrófica em cães é uma complicação que aparece também em gatos. De origem genética, ela tem como característica engrossar os músculos do coração do pet, dificultando o relaxamento do órgão e aumenta as chances da formação de coágulos. Ela é considerada em enfermidade grave, pois pode levar a um quadro de tromboembolismo aórtico distal.

3. Doença valvar degenerativa

Uma doença que surge em cachorros idosos é a mixomatosa valvar, conhecida popularmente como coração cansado. Mas não engane, apesar de ser aparecer em pets mais velhos, ela também pode afetar cães de raça pequena.

A enfermidade se dá por conta da degeneração das válvulas, que passam a ter uma dificuldade maior em manter o fluxo sanguíneo. Pelo músculo não contrair corretamente, o sangue acaba voltando em uma espécie de regurgitação. Se não for tratada, pode se tornar insuficiência cardíaca grave.

4. Sopro no coração

Uma outra possibilidade para um cão cardiopata é o sopro cardíaco, uma disfunção que aparece como resultado de uma cardiopatia, como a endocardiose. A alteração que, como o próprio nome diz, permite que se escute o sangue transitando através de um estetoscópio. Ela  pode ser congênita e acompanhar o pet desde o nascimento.

As causas da cardiopatia em cachorro

As causas de cardiopatia em cachorro, em alguns casos, tem a ver com a predisposição genética do animal de estimação. Porém, outras vezes, o aparecimento desses problemas de coração estão ligados a fatores comportamentais, como:

  • obesidade: animais acima do peso têm maior propensão a problemas de coração;
  • alimentação: dieta alimentar desregulada é outro fator que contribui para doenças cardíacas;
  • sedentarismo: animais que não praticam exercícios são mais sensíveis a cardiopatia;
  • idade: quanto mais velho o pet, maiores as chances de problemas cardíacos.

Os sintomas da cardiopatia em cães

tutor fazendo consulta para ver cardiopatia em cães

Os principais sintomas da cardiopatia em cães são semelhantes ao que acontece no coração dos seres humanos. Por não ser fácil de identificar, é necessário que o tutor faça visitas frequentes a um médico-veterinário e ficar atento aos sintomas de cardiopatia canina listados por Lysandra Barbieri.

  • dificuldade respiratória;
  • vômitos;
  • falta de apetite;
  • desmaios;
  • aumento de volume na barriga, que está relacionado ao acúmulo de líquido;
  • tosse;
  • extremidades como patas e orelhas podem ficar geladas enquanto o corpo está quentinho;
  • mucosas e línguas começam a ficar arroxeadas por não receberem oxigenação.

Cardiopatia em cães: diagnóstico

A melhor maneira fazer o diagnóstico da cardiopatia em cães é levá-los a uma médico-veterinário “Apenas o médico veterinário é capaz de diagnosticar qual é o tipo de cardiopatia que o animal tem, mediante exames físicos, laboratoriais e complementares como raio-x de tórax, eletrocardiograma, ecocardiograma, exame de sangue, dentre outros”, ressaltou Lysandra.

Cardiopatia canina: tratamento

Se o seu animal foi diagnosticado com cardiopatia canina, há três maneiras de realizar o tratamento. De acordo com a gravidade do caso, o médico-veterinário poderá optar por cirurgia de coração e administração de medicação para controlar os níveis de estresse, ansiedade e aumento de peso do cão.

Além das opções acima, pode ser necessário que o tutor faça uma mudança da dieta alimentar do animal de estimação. Uma das opções é a Ração Royal Canin Veterinary Diet Cardiac Cães, criada especialmente para manter a saúde e o bem-estar de cães com problemas de coração em todos os níveis.

Apesar de não ser essencialmente um tratamento, a prática de exercícios físicos deve fazer parte da rotina do cão. Para evitar excessos e cansar o coração do seu cachorro, siga a orientação do médico-veterinário.

Você tem um cachorro com problemas do coração em casa? Compartilhe com a gente como está sendo o tratamento do seu pet.

Lysandra Barbieri

Colaboração de Lysandra Barbieri

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

3 Comentários

  1. Edna disse:

    Muito bom poder ter acesso a estes conteúdo e poder ficar ligado à saúde dos pets

  2. Edmilson Escher disse:

    Hoje recebi o diagnóstico da minha cachorrinha (Duim) e fiquei muito abalado!
    Ela tem insuficiência cardíaca e precisará ser medicada para o resto de sua vida! Nunca imaginei que seu problema pudesse ser cardíaco! Gostaria que ela vivesse muito ainda, apesar de seus 19 anos! Se Deus quiser vai dar certo!

Deixe o seu comentário