Cardiopatia em cães: doenças do coração comuns em cachorros

Compartilhar:


veterinário fazendo exame de cardiopatia em cães

A cardiopatia em cães é um tema que traz preocupações para os tutores. Isso porque nenhum dono de pet quer que o seu amigo tenha um problema no coração, órgão fundamental para o bichinho ter uma vida plena e agradável. Porém, é importante conhecer o assunto, causas e sintomas, visto que cães idosos têm uma probabilidade maior de sofrer com doenças cardíacas, assim como determinadas raças.

Entenda melhor sobre o conjunto de patologias relacionadas ao coração dos animais com a ajuda de Lysandra Barbieri, veterinária da Cobasi.

O que é cardiopatia em cães?

“As cardiopatias são anormalidades no coração, tanto no formato quanto na função. Elas possuem diversas causas, como infecções virais ou bacterianas, idade, peso, alimentação, genética, dentre outros, que levam a problemas cardíacos”, explica a veterinária. 

Tipos de cardiopatia canina

Existe mais de uma cardiopatia em cães, entretanto, reunimos as doenças do coração mais comuns, além das causas de cada uma delas.

Cardiomiopatia dilatada

A disfunção cardíaca também é conhecida como miocardiopatia e se caracteriza por uma doença no músculo do coração que o torna fino e fraco, levando a uma redução da contração do coração. Desta forma, o sangue que volta para o órgão não atinge a velocidade necessária para oferecer oxigênio ao resto do corpo.

É um problema que atinge em especial raças grandes ou gigantes de cachorro. Além disso, o problema pode evoluir para um quadro de insuficiência cardíaca congestiva.

Cardiomiopatia hipertrófica

Por mais que seja uma doença que chega aos cães, ela se apresenta com maior frequência nos gatos. De origem genética, a cardiomiopatia ocorre quando há um engrossamento do músculo do coração, o que dificulta o relaxamento do órgão e aumenta as chances da formação de coágulos. O caso é de grande urgência, pois a falta de cuidado leva a um quadro de tromboembolismo aórtico distal.

Doença valvar degenerativa

Por fim, uma cardiopatia em cães idosos bem comum é a mixomatosa valvar, que nada mais é que os sintomas de um coração cansado. Entretanto, além de cachorros mais velhos, o problema atinge também raças pequenas. 

A doença se dá por conta da degeneração das válvulas, de forma que elas sofrem dificuldade para manter o sangue fluindo corretamente. Sendo assim, por não fechar da forma certa, o líquido acaba voltando em uma espécie de regurgitação. Se não houver um acompanhamento, a patologia pode se agravar e virar uma insuficiência cardíaca.

Sopro no coração

Uma outra possibilidade de um cão cardiopata é o sopro cardíaco, uma disfunção que aparece como resultado de uma cardiopatia, como a endocardiose. A alteração, que como o próprio nome diz, permite que se escute o sangue transitando através de um estetoscópio, também pode ser congênita. Isto é, nascer com o animal.

Quais os sintomas de problemas cardíacos em cachorros?

tutor fazendo consulta para ver cardiopatia em cães

Os principais sintomas da cardiopatia em cães são parecidos com aqueles que nós humanos desenvolvemos ao se ver frente a uma doença cardíaca. Contudo, não é fácil identificar doenças do coração, por isso é essencial estar com os exames do seu pet em dia. 

A veterinária Lysandra Barbieri comenta sobre os sinais de uma doença no coração:

  • Dificuldade respiratória;
  • Vômitos;
  • Falta de apetite;
  • Desmaios;
  • Aumento de volume na barriga, que está relacionado ao acúmulo de líquido;
  • Tosse;
  • Extremidades como patas e orelhas podem ficar geladas enquanto o corpo está quentinho;
  • Mucosas e línguas começam a ficar arroxeadas por não receberem oxigenação.

Como diagnosticar uma cardiopatia em cães?

Em primeiro lugar, a cardiopatia em cães precisa ser identificada, e para isso o bichinho deve passar por alguns exames, como a avaliação cardiológica. “Apenas o médico veterinário é capaz de diagnosticar qual é o tipo de cardiopatia que o animal tem, mediante exames físicos, laboratoriais e complementares como raio-x de tórax, eletrocardiograma, ecocardiograma, exame de sangue, dentre outros”, explica a médica da Cobasi.

O que fazer quando o cachorro é cardiopata?

O diagnóstico serve para controlar possíveis sintomas da doença, melhorar a qualidade de vida do animal e também reduzir a evolução do quadro. Desta forma, o pet deve ser monitorado frequentemente pelos seus tutores, sendo que rações medicamentosas para problemas renais e uma alimentação balanceada são fundamentais na rotina do seu amigo. 

Ainda existe a possibilidade de correções cirúrgicas para um cachorro cardiopata em tratamento, mas o quadro deve ser analisado com carinho pelo médico do cão para entender o melhor caminho. 

No mais, o médico veterinário pode recomendar tratamentos com medicamentos para evitar estresse, ansiedade e aumento de peso do cão. Os efeitos colaterais dos remédios tendem a ser maior frequência ao urinar e cansaço aparente. 

Por fim, a atividade física é um tema bastante discutido, mas o exercício deve fazer parte do dia a dia do animal, mesmo que em quantidade menor. O excesso cansa o coração do cachorro, então se apoie nas recomendações de um profissional de confiança para não passar dos limites com o pet.

Quanto tempo vive um cachorro cardiopata?

O acompanhamento com um cardiologista em conjunto com os medicamentos e mudanças no estilo de vida do pet são cruciais. Não se esqueça que seu amigo precisa de todo o apoio possível neste momento, afinal, são nossos companheiros para o que der e vier. Ao seguir as instruções de um profissional especialista em saúde canina, seu cão terá um tempo significativo ao seu lado.

Gostou do conteúdo e quer aprender mais sobre cães e como cuidar do seu bichinho de estimação? Então vem com a gente e escolha sua próxima leitura no blog da Cobasi:

Lysandra J. Barbieri

| Atualizada em

Colaboração de Lysandra J. Barbieri

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário