Casco de tartaruga: conheça as principais características dessa carapaça curiosa

Compartilhar:


Casco de tartaruga marinha visto de cima, enquanto o animal nada

Quando pensamos nas tartarugas, a primeira característica física que vem a mente é o casco. Não é à toa! Esse é o aspecto mais marcante do animal e nenhuma outra espécie possui uma carapuça como o réptil. O casco de tartaruga é firme, extremamente rígido e cheio de mistérios.

Por isso, para desvendar algumas dúvidas, descubra as particularidades sobre o casco, meio proteção de todas as espécies de tartarugas!

Para que serve casco de tartaruga?

O casco de tartaruga é usado como proteção. Isso porque a carapuça cobre todo o corpo do animal. Como é mais lenta, fica muito mais simples encolher e se esconder na presença de predadores. Tanto é que poucos animais conseguem quebrá-lo, com exceção à onça-pintada.

Diferente do que muitos desenhos animados mostram, contudo, as tartarugas não conseguem viver sem o casco, porque todos os seus ossos, órgãos e vértebras estão ali dentro.

Em suma, o casco da tartaruga é formado a partir da fusão da costela e da coluna vertebral e possui três partes principais: a camada externa, a estrutura óssea e a membrana interna.

A camada externa é formada por queratina, a mesma substância que compõe as unhas humanas. Mas, nesse caso, são ainda mais duras. Já a estrutura óssea possui mais de 50 ossos, garantindo sua resistência.

A parte superior do casco, conhecida como costas, possui a espinha e as costelas unidas. Essa característica diminui a capacidade de locomoção, por isso as tartarugas andam devagar.

Por fim, a membrana interna é responsável por revestir músculos e órgãos.

Todas as tartarugas têm o mesmo casco?

Não! Por mais que o casco de tartaruga seja uma característica universal entre as espécies, cada uma tem um tipo diferente, de acordo com o seu habitat.

Enquanto o casco de tartaruga marinha é largo na frente e meio achatado atrás, de modo hidrodinâmico, para que elas se movam com agilidade dentro d’água, os jabutis possuem o casco arredondado e saliente.

Também existe a tartaruga-de-casco-mole! A espécie aquática é encontrada em rios e lagos. Elas possuem o casco mais leve, porque são consideradas nadadoras natas.

O casco da tartaruga se regenera?

Sim! As tartarugas aquáticas trocam de casco com frequência, conforme crescem e se desenvolvem.

Outras espécies conseguem regenerar o casco, caso seja machucado por predadores, ou devido a outros danos. Os répteis continuam crescendo, enquanto o casco se cura sozinho, com uma nova camada de queratina.

As novas faixas formam os chamados anéis, ou estrias, de crescimento. Tartarugas mais velhas possuem várias linhas no casco que podem denunciar a idade do animal em anos humanos. Contudo, muitos anéis aparacem e desaparecem em apenas um ano, por isso pode ser complicado estimar a idade do pet a partir delas.

O que fazer o casco quebrar?

Jabuti andando na terra

As tartarugas domésticas devem ser cuidadas com muita atenção. Se por acaso o casco quebrar, é fundamental levá-la ao veterinário o mais rápido possível, porque os ossos e órgãos ficam expostos, e podem infeccionar.

A rachadura causa dores intensas e muitas vezes intervenções cirúrgicas podem ser necessárias.

Agora que você já descobriu os mistérios acerca do casco de tartaruga, confira mais posts sobre esses répteis adoráveis no blog da Cobasi:

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário