Cinomose tem cura? Descubra isso e muito mais sobre a doença

Compartilhar:


cinomose tem cura

Saber se a cinomose tem cura é uma das dúvidas mais comuns dos tutores quando seu cachorro recebe o diagnóstico da doença. Grave, essa enfermidade pode atingir cães de todas as idades, mas é especialmente perigosa para filhotes.

Antes de mais nada, saiba que a cinomose tem cura, sim, mas seu tratamento exige muita dedicação do tutor e, mesmo assim, a taxa de mortalidade é alta.

Continue a leitura e saiba tudo sobre a cura da cinomose, como prevenir e tratar.

O que é cinomose?

Cinomose canina: o que é e como proteger seu cachorro

Antes de mais nada, todo tutor de cachorro precisa saber o que é a cinomose. Essa doença de nome estranho é causada pelo vírus CDV, pertencente à família Paramyxovirus e do gênero Morbillivirus.

Como a maior parte das doenças virais, a cinomose é altamente contagiosa, e os animais diagnosticados devem permanecer totalmente isolados de outros cães. Apesar de altamente fatal e transmissível, a prevenção da cinomose ocorre facilmente através da vacinação.

A doença ataca os sistemas nervoso central, respiratório e gastrointestinal. Assim, ela deixa o animal debilitado e, muitas vezes, com sequelas.

Como se pega a cinomose?

Apesar de ser altamente contagiosa, a transmissão da cinomose ocorre somente entre cães. Sendo assim, ela não oferece nenhum risco para gatos e outros animais, nem humanos.

A transmissão pode acontecer de várias maneiras:

  • contato direto com animal doente;
  • fezes, urina, sangue e outros fluídos;
  • de mãe para filhote;
  • objetos contaminados;
  • pelo ar.

Um animal pode pegar cinomose ao passear na rua na mesma calçada que um cachorro doente urinou. Ou, então, o tutor brincar com um cachorro doente e assintomático, além de ser possível levar a doença para casa nos sapatos.

O vírus da cinomose é muito resistente e resiste por até um ano no ambiente. Sendo assim, locais que abrigaram cães infectados devem ser higienizados com desinfetantes especiais e com a supervisão de um médico-veterinário.

Por isso, é imprescindível que todo cachorro filhote complete o protocolo vacinal, e que todo cão adulto faça o reforço anual. Afinal, é muito difícil controlar a disseminação do vírus, e o caminho é manter seu pet sempre protegido.

A cinomose tem cura, mas os sintomas são preocupantes

O que é cinomose canina

A cinomose costuma se manifestar em fases, sendo a primeira respiratória, a segunda gastrointestinal e a terceira e última, neurológica. O tempo de duração de cada uma varia muito, e em alguns animais a doença pode trocar a ordem das fases.

Tratar a doença na fase inicial é muito importante para a cura para cinomose e evitar sequelas.

Mais uma vez: a única forma de proteger seu pet é com a vacinação correta.

Sintomas respiratórios:

  • tosse;
  • secreções nasais;
  • secreções oculares amareladas;
  • espirros;
  • dificuldade de respirar;
  • febre;
  • pneumonia.

Sintomas gastrointestinais:

  • diarreia;
  • dor abdominal;
  • vômitos;
  • falta de apetite;
  • prostração.

Além desses sintomas ligados diretamente com o trato gastrointestinal, é comum que os coxins e o focinho fiquem ásperos, e que apareçam bolinhas na região abdominal e lesões na retina.

Sintomas neurológicos:

  • tremores no corpo;
  • mioclonias (espasmos musculares);
  • convulsões;
  • paralisia;
  • uivos e choro chamados de vocalizações.

A progressão da doença costuma seguir primeiro com sintomas respiratórios, depois gastrointestinais e, por fim, os neurológicos. No entanto, não existe uma precisão de quanto tempo cada fase dura, e nem sempre elas ocorrem na mesma ordem. Portanto, vacine seu pet e não corra riscos. Afinal, apesar de a cinomose ter cura, é uma doença muito agressiva.

Cinomose tem tratamento?

A resposta é: mais ou menos. Isso porque não existe um tratamento específico para a cinomose, bem como não se trata outras doenças virais. Desse modo, a cura da cinomose é feita por meio do tratamento dos sintomas.

O primeiro passo é fazer o diagnóstico correto da doença, o que exige exames laboratoriais, já que os sintomas observados na avaliação clínica do veterinário podem ser confundidos com outras doenças.

Entre os exames solicitados estão:

  • hemograma;
  • PCR (Reação em Cadeia da Polimerase);
  • teste rápido para cinomose.

O hemograma serve para analisar os parâmetros do animal; já os dois outros identificam o vírus em si. O teste rápido pode ser feito com secreções oculares ou sangue e têm seu resultado em cerca de 15 minutos. O PCR é feito normalmente com sangue e leva cerca de 15 dias.

Você já sabe que a cinomose tem cura para cachorro, quais os sintomas e a importância do diagnóstico correto. Então que tal entender um pouco mais sobre o tratamento?

A cinomose em cachorro tem cura, mas esse tratamento não é feito com medicamentos específicos para isso. Até existe remédio para cinomose, mas, no geral, os veterinários encontram mais sucesso no tratamento dos sintomas.

Durante o tratamento da cinomose, o tutor deve isolar seu animal de outros cães. O período costuma corresponder ao ciclo de vida do vírus, e durante todo esse tempo o pet não deve sequer sair na rua, para não colocar outros animais em risco.

Os medicamentos e terapias são usados visando minimizar os sintomas, reduzir as infecções secundárias e fortalecer a imunidade do animal. Dessa forma, outras doenças não pioram o quadro e o cachorro fica forte o suficiente para combater o vírus.

Além de medicamentos, fluidoterapia e antitérmicos, os veterinários costumam indicar suplementos e alimentação de alta qualidade para o pet ter todos os nutrientes que precisa para ganhar a guerra contra a cinomose.

A cinomose canina tem cura, mas o tratamento deve ser feito com o acompanhamento do veterinário.

Cinomose tem cura, mas é melhor prevenir

vacina-v10

A cinomose tem cura, mas durante todo o período o animal poderá sofrer e ainda ficar com sequelas. Por isso, não existe uma solução melhor do que prevenir a doença com a vacinação adequada.

Filhotes são os mais expostos e devem receber pelo menos três doses da vacina V8, V10 ou V12, aplicadas por um médico-veterinário. Os bebês só devem sair na rua e ter contato com outros cães 15 dias após a última dose.

Para adultos, é igualmente importante o reforço anual. Sendo assim, cães a partir de um ano devem receber uma dose da vacina V8, V10 ou V12, uma vez por ano.

Além da vacinação, os tutores também devem ter cuidado especial ao ter contato com animais com cinomose. Lave as mãos, a roupa e os sapatos com produtos com amônia quaternária antes de ter contato com seu pet – vacinado ou não.

Melhor não sair na rua com meu cachorro?

Passeios na rua são recomendados para o cachorro praticar atividade física e também manter o bem-estar. São neles que o pet é socializado e convive com outros animais e pessoas, sente cheiros e pode se aventurar. Não é recomendado suspender os passeios de cães saudáveis.

Animais vacinados e saudáveis têm muitos mais benefícios do que riscos com o passeio na rua.

A cinomose tem cura, mas o melhor mesmo é não contrair a doença. Vacine seu pet e aproveitem a vida!

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

5 Comentários

  1. Alfredo Marinho da Silva disse:

    Gosto de vê o meu cachorro feliz…

  2. Alfredo Marinho da Silva disse:

    Quando digo: quero vê meu cachorro feliz é que um ser feliz é um /uma que tem saúde ( é bem cuidado).

  3. David Alberto disse:

    Boa tarde, eu estou passando por isto e sinceramente não está sendo fácil. Mesmo com os 5 reforços da V8 e V10 minha cadelinha de um ano adquiriu o vírus. Se alguém passou por tal experiência e seu cãozinho sobreviveu entre em contato comigo.
    O texto me deu mais confiança e fé!

    • Gersina Costa Inoue disse:

      Boa noite. minha cadeia tbm foi vacinada e contraiu o vírus. Estamos a 20 dias lutando incansavelmente pra salva lá. Está na fase de Mioclonia. Estamos dando muito amor 💘 Não está sendo fácil. Assim que ela sarar eu posto .

Deixe o seu comentário