Coceira em cachorro e gato: causas e como ajudar os animais

Compartilhar:


coceira em cachorro

Nada pior do que ver seu melhor amigo tenso, angustiado e estressado, se coçando sem parar, não é?! Existem diferentes causas para a coceira em cachorro e gato. Além disso, elas podem se manifestar em menor ou maior intensidade e possuem diferentes tipos de tratamento, dos mais simples aos mais complexos.

Para saber tudo sobre esse assunto, vem com a gente acompanhar este artigo que preparamos para você sobre a temida coceira em cachorro! E então, vamos lá?!

O que pode causar coceira em cachorro e gato?

A coceira é um hábito comum para cães e gatos. No entanto, ao notar o cachorro se coçando muito, é fundamental avaliar a presença de outros sinais clínicos, como, por exemplo:

  • queda de pelo;
  • pele com descamação, avermelhada e irritada;
  • lesões ou feridas pelo corpo;
  • o animal se coçando e se mordendo com maior frequência.

Existem diversas causas para coceira em cachorro, portanto vamos falar sobre algumas delas. Mas, antes, é importante ressaltar que somente um profissional capacitado como o veterinário pode diagnosticar a real causa da coceira no seu animal, por meio de exames físicos. Portanto, ao perceber qualquer alteração no comportamento do seu pet, leve-o até um médico-veterinário assim que possível.

1) Pulgas e carrapatos

Pulgas e carrapatos são, geralmente, a primeira suspeita quando nossos pets começam a se coçar desenfreadamente, especialmente nos casos em que o cão passeia na rua, em praças e parques ou frequenta lugares com grande circulação de animais. Nesse caso, as chances de haver um contágio é realmente muito alta se o pet não estiver protegido.

Mas, além disso, há casos em que a contaminação acontece “por cima do muro”, ou seja, animais de casas vizinhas podem contaminar um ao outro caso não seja feito o controle e combate adequado a esses e outros parasitas.

Por isso, quando falamos de pulgas e carrapatos, o melhor caminho para evitar a coceira é a prevenção: converse com o médico-veterinário que faz o acompanhamento do seu pet e decida junto com ele qual é o melhor medicamento para o seu amigo peludo.

2) Sarna e perda de pelos

A coceira da sarna e a perda de pelo

Transmitida por um ácaro, a sarna faz com que o pet se coce desesperadamente, até que o pelo comece a cair. Em alguns casos a situação é tão séria que o bichinho chega a ficar “careca”, com grandes áreas do corpo totalmente sem pelo.

A boa notícia é que a sarna pode ser curada e os pelos podem voltar a crescer. O tratamento envolve medicações, shampoos, sabonetes e cremes, dependendo da gravidade e da conduta escolhida pelo médico-veterinário para cada caso.

3) Alergia alimentar

Algumas raças de cachorros e gatos têm maior tendência a apresentar alergia alimentar. Nesses casos, geralmente os médicos-veterinários indicam e recomendam rações específicas, desenvolvidas para esses animais que têm o organismo mais sensível. Além disso, podem recomendar algum medicamento ou suplemento alimentar.

No entanto, mesmo que você ofereça uma alimentação natural ao seu pet, tome cuidado: nem todas as frutas, verduras e legumes podem ser consumidos por animais. Sendo assim, consulte sempre um médico-veterinário.

4) Dermatite atópica e a coceira

coceira em cachorro

Essa é uma doença hereditária, ou seja, passa de pai para filho, e ataca cachorros que têm sensibilidade a ácaros, poeira ou produtos de limpeza mais fortes. Geralmente esses produtos são inadequados para uso em locais onde há presença e circulação de animais domésticos.

É muito comum que a coceira provocada pela dermatite atópica evolua para descamação e feridas na pele, pois o incômodo é realmente muito grande e faz com que o animal se coce sem conseguir parar.

Existem pomadas e comprimidos que ajudam no tratamento e, de qualquer maneira, um diagnóstico precoce faz toda diferença. Por isso, ao observar seu pet se coçando, mesmo sem a presença de parasitas, não deixe de fazer uma consulta ao médico-veterinário o quanto antes. Não espere a doença avançar! As feridas não tratadas podem ter consequências graves.

5) Plantas: fique de olho na decoração da casa

Você sabia que algumas plantas são tóxicas para os animais de estimação? É isso mesmo! Tanto gatos quanto cachorros podem ser afetados pela presença de plantas inadequadas, que podem provocar coceira e inclusive problemas respiratórios.

Por isso, se você já tiver animais de estimação e estiver pensando em colocar umas plantas pela casa, faça uma pesquisa antes sobre as espécies vegetais que está considerando para se certificar de que elas são seguras. Em caso de dúvida, não arrisque!

6) Infecção

Há uma série de infecções que podem acometer o pet a partir de feridas ou lesões anteriores que causam coceira. Por isso é importante ficar atento ao corpo do cão. Se notar algum machucado, vá ao veterinário imediatamente para investigar as causas.

7) Seborreia canina

A seborreia canina causa muita coceira nos cães. Ela acontece quando as glândulas sebáceas, que filtram o sebo da pele, produzem o componente em excesso e inflamam a pele, causando crostas, manchas vermelhas e feridas. Ela pode ser primária, ou seja, hereditária (mais rara e sem cura), ou secundária, causada por problemas hormonais ou doenças parasitárias, como sarna e micoses.

8) Otite

Notou seu cachorro coçando a orelha com muita frequência? A coceira está relacionada à otite. O problema é causado a partir de infecções no ouvido do animal, devido à limpeza inadequada ou entrada de água.

Como o ouvido fica machucado, cães coçam a região com maior frequência e podem arrastar as orelhas no chão como forma de aliviar o incômodo.

Como tratar coceira em cães?

coceira em cachorro

Se notar seu cachorro se coçando muito, não perca tempo e visite um médico-veterinário de confiança. Afinal, é ele o responsável por analisar este e outros sinais clínicos que afetam o pet e, assim, indicar o problema enfrentado e o melhor tratamento.

Além disso, evite receitas caseiras e medicar o cão ou gato por conta própria. Isso porque, apesar da boa vontade em ajudar o animalzinho, você pode piorar a situação.

Prevenção

coceira em cachorro pug triste

Com algumas ações cotidianas é possível evitar a coceira em cachorro e gato para manter seu animal de estação feliz.

Para evitar otite e outras inflamações no ouvido dos pets, tutores devem ter cuidado redobrado em passeios à praia, cachoeira e até mesmo durante o banho. Uma sugestão é usar algodão para evitar a entrada de água.

Em relação aos banhos, se não for possível cuidar do seu animal em casa, sempre leve o pet em profissionais capacitados. A frequência deve ser estabelecida junto ao veterinário, sobretudo em se tratando de cães e gatos alérgicos. Para tanto, produtos com componentes relaxantes e hidratantes, como aloe vera, aliviam a coceira.

A alimentação também não deve ficar de lado. Sempre invista em rações de qualidade, com todos os nutrientes responsáveis pela boa nutrição do pet, de acordo com suas necessidades.

De todo modo, a melhor maneira de evitar coceiras e incômodos é indo ao veterinário. Contudo, as idas não devem acontecer apenas quando o cachorro ou gato estiverem se coçando com maior intensidade. Na verdade, é essencial realizar consultas regulares para prevenir qualquer problema com antecedência.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário