Entenda a gravidez psicológica em gatos

Compartilhar:


Gravidez psicológica é uma condição bastante comum entre os cães, mas será que também existe gravidez psicológica em gatos? 

O que é gravidez psicológica?

Pense na seguinte situação. De repente a barriga e as mamas da sua pet começam a crescer, ela passa a procurar lugares quietos e quentinhos, recolhe panos e toalhas para fazer um ninho e chega até mesmo a produzir leite. Só tem um porém: ela não está grávida.

Quando isso acontece estamos diante de um quadro chamado de pseudociese, ou gravidez psicológica. Tal condição é especialmente comum em cadelas, sobretudo nas que nunca foram castradas. Com as gatas, porém, a história é diferente.

A pseudociese em cães e gatos

A gravidez psicológica em gatos pode sim acontecer, mas é uma condição considerada rara. O motivo dessa diferença é porque a pseudociese tem muito mais a ver com os hormônios do que com a psiquê dos animais.

Assim, o que explica o baixo número de casos entre os felinos e a maior suscetibilidade entre os canídeos é consequência das estratégias reprodutivas de cada espécie. O segredo para entender porque a gravidez psicológica afeta mais uma espécie do que outra está no ciclo estral, o famoso cio.

A diferença fundamental no cio de cães e gatos está no momento da ovulação. Enquanto as cadelas ovulam durante todo o cio, as gatas só ovulam depois da cópula. Acontece que é a ovulação que estimula a produção de progesterona, o hormônio responsável por preparar o corpo da fêmea para a gravidez.

Assim, com altos níveis de progesterona durante todo o cio as cadelas são mais suscetíveis a desenvolverem a pseudociese. Porém, se as gatas só ovulam depois da cópula, como é possível que elas também sofram de uma falsa gravidez?

A gravidez psicológica em gatos

Só existem duas maneiras dos gatos desenvolverem a gravidez psicológica: quando há cópula, mas não fecundação; ou quando receberam hormônios para a interrupção do cio. Como são episódios bastante incomuns, a pseudociese nos gatos é bem menos frequente.

Mesmo assim, a possibilidade existe. Se a gata praticamente não tem contato com machos e mesmo assim anda estranha, confira os seguintes sinais que indicam um quadro de pseudociese:

  • A gata lambe muito o abdômen e as mamas
  • Fica agressiva e irritada facilmente
  • Há produção de leite
  • O animal recolhe objetos para fazer ninho
  • Comportamento maternal com objetos ou filhotes mesmo que de outras espécies

Em resumo, a gata com pseudociese apresenta os mesmo comportamentos que teria se estivesse realmente grávida. De fato, é assim que a gata se sente: para ela a gravidez está realmente acontecendo. 

Como ajudar?

Entendendo que o animal está passando por um período de intensa alteração hormonal, por isso o mais importante é manter o ambiente tranquilo e acolhedor. Providencie para seu pet tocas e caminhas confortáveis, além de bichinhos de pelúcia para ela exercer o instinto maternal

Depois de garantir que a rotina e o ambiente são os mais calmos e seguros possíveis para o pet, agende uma consulta com o veterinário. Esse quadro demanda diagnósticos precisos para evitar surpresas, descartar qualquer outro problema e ajudar no tratamento.

O problema mais comum associado à pseudociese é a mastite, quando o leite fica acumulado e as mamas inflamam. Nesse caso o veterinário pode receitar medicamentos para tratar a inflamação, bem como remédios para secar o leite. Além disso, é provável que ele indique a castração do animal para evitar futuros casos de gravidez psicológica.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário