Mordida de cachorro: você sabe o que fazer?

Compartilhar:


mordida de cachorro

Por mais dócil que seja um cachorro, pode ter certeza: em algum momento ele vai se comunicar com você através da mordida, sem que seja como parte de uma brincadeira. E nem precisa ser o cachorro com a mordida mais forte do mundo. Na verdade, um pequeno filhotinho já basta para oferecer algum risco e causar mais problemas do que podemos imaginar.

A mordedura de cão pode colocar nossa pele em contato com mais de 300 tipos de micro-organismos, como bactérias, fungos e vírus. A grande maioria é facilmente combatida pelo nosso sistema imunológico, mas não é por isso que vamos sair por aí nos descuidando.

Neste artigo vamos falar sobre mordedura de cachorro, como prevenir, que cuidados tomar caso aconteça e como evitar que o seu cão recorra a isso sempre que possível.

Primeiros cuidados com mordida de cachorro

Primeiros cuidados com mordida de cachorro

O primeiro passo, é claro, é sempre evitar que a mordida aconteça. Mas se o acidente já ocorreu, é muito importante que você consiga avaliar a gravidade do ferimento para agir de acordo o quanto antes. É claro que os casos mais severos exigem tratamento médico imediato, mas os primeiros cuidados fazem toda a diferença.

Existem quatro tipos de lesão que podem ser provocadas por uma mordida de cachorro:

  • arranhão: bastante superficial, pode provocar pouco ou nenhum sangramento;
  • perfuração: pode ser profunda ou superficial; há sangramento e o risco de infecção é real;
  • dilaceração ou esmagamento: geralmente são provocadas pela mordida de cães de porte médio, grande ou gigante, que possuem muita força no maxilar. Há sangramento intenso, comprometimento de várias camadas de pele, tendões, músculos e até mesmo ossos.

Em qualquer uma dessas situações, os primeiros socorros podem fazer toda a diferença na prevenção de infecções com diferentes graus de gravidade. Por isso, caso você ou outra pessoa tenha sido mordida por um cachorro, faça o seguinte:

  • lave o local da mordida com água corrente e sabão neutro, ou então com soro fisiológico em abundância. O objetivo aqui é remover a saliva do cachorro do machucado, então capriche na higiene;
  • caso haja sangramento, faça uma compressa utilizando gaze de maneira a estancar o fluxo de sangue. Não utilize algodão para evitar que fique grudado na ferida;
  • procure imediatamente atendimento médico. Ainda que a lesão não pareça grave, ela pode se complicar em poucas horas.

Atenção: nunca menospreze uma ferida

É claro que uma lesão severa assusta, especialmente quando há exposição das camadas mais profundas da pele. Mas mesmo os arranhões superficiais e os casos em que não há hemorragias podem levar a uma mordida de cachorro infeccionada.

Somente um médico terá condições de avaliar o estado geral da pessoa que foi mordida para prescrever antibiótico para mordida de cachorro, anti-inflamatórios e analgésicos, por exemplo.

Caso seja possível, informe tudo o que puder sobre o cachorro envolvido no acidente, como porte, raça e se está vacinado ou não. A mordida de um cachorro não vacinado pode oferecer riscos ainda mais sérios, que precisam ser tratados o quanto antes.

Se você não tem certeza se o cachorro está vacinado, informe ao médico. Nesse caso, é bem provável que ele recomende uma vacina para mordida de cachorro, ou seja, uma vacina antirrábica. 

A raiva e outras infecções provocadas por mordida de cachorro

A raiva e outras infecções provocadas por mordida de cachorro

A raiva é, sem dúvida, a doença que mais assusta quando pensamos em mordida de cachorro. E não é para menos: a condição, provocada por um vírus, é gravíssima e quase sempre fatal. Cerca de 90% dos casos de raiva em seres humanos foram causados por mordidas de cães não vacinados.

O vírus da raiva se espalha pelo sistema nervoso central e provoca sintomas como febre, dor e formigamento. A inflamação progride até tomar completamente o cérebro e a medula espinhal. Por isso a vacinação é tão importante: além de proteger as pessoas diante de um eventual acidente com mordida de cachorro, protege também os cães.

Além da raiva, as mordidas que atingem os tecidos mais profundamente podem provocar infecções nas articulações, nos tendões e nos ossos, devido à presença de grande quantidade e variedade de bactérias na saliva de um cachorro.

Como se portar diante de um cão

Mordida de cachorro bravo

Para evitar que ocorra um acidente com mordida de cachorro, há alguns cuidados que você pode e deve tomar. Eles se diferenciam um pouco entre um animal estranho e o seu próprio cão, mas o que basicamente há em comum é o respeito pelos limites do cão. Veja a seguir.

  • Se você tem um cão filhote, evite estimular brincadeiras de morder. Ainda que seja bonitinho enquanto ele é um bebê, reforçar o comportamento ao longo dessa fase da vida torna muito difícil interrompê-lo quando o cão chegar à idade adulta.
  • Caso o seu cachorro seja do tipo reservado, que prefere ficar sozinho para fazer suas refeições, respeite isso e ensine as crianças e os outros adultos da casa a fazer o mesmo. O mesmo vale para quando ele estiver dormindo ou cuidando de seus filhotes.
  • Se você vir um cãozinho na rua e quiser muito interagir com ele, fazendo carinho, por exemplo, pergunte ao tutor se ele é manso e se tolera bem contato com estranhos. Caso ele autorize, aproxime-se devagar e permita que o animal o cheire antes de tocar nele.
  • Se o cão desconhecido estiver solto na rua, tome cuidado redobrado. Muitas vezes o animal passa por situações que fazem com que ele fique alerta o tempo todo, pronto para se defender ao menor sinal de ameaça.
  • Nesses casos, não faça movimentos bruscos, não corra nem grite, pois ele pode atacar por instinto.
  • Caso perceba a presença de um cão desconhecido com o qual não quer interagir, não faça contato visual com ele. Caso o animal queira cheirá-lo, fique parado até que ele vá embora.

Não consegui prevenir o ataque – e agora?

Se mesmo com todas essas orientações não for possível impedir o ataque, use qualquer objeto que esteja ao seu alcance para se proteger. Se você cair, não segure o cachorro para impedir suas mordidas, pois ele irá ferir suas mãos e dedos rapidamente.

Em vez disso, curve-se sobre o seu próprio corpo, formando uma bola, e fique bem rente ao chão. Use seus braços para proteger suas orelhas e pescoço e grite por ajuda. Assim que se livrar da situação, procure atendimento médico de urgência.

Morder significa que o cachorro é violento?

Não necessariamente. As mordidas podem ocorrer por diversos fatores. Nos filhotes elas são muito comuns quando a dentição está sendo trocada e eles sentem dor e coceira. As mordidas também são comuns – em adultos e filhotes – na hora da brincadeira. É assim que eles brincavam na natureza.

No entanto, com outros cães eles aprendem o quanto podem morder sem machucar, já que recebem mordidas de cachorro de volta. Quando a brincadeira é com humanos, isso não acontece e, por isso, eles podem se exceder e nos machucar. O ideal é não estimular brincadeiras que envolvam mordidas, mesmo que não tenham nenhuma violência.

Você levou uma mordida de cachorro e não parecia brincadeira? Isso é possível, já que os cães mordem como defesa também. É importante saber avaliar e entender qual motivo está levando o cachorro a morder. Se ele estiver demonstrando comportamentos agressivos, é necessário ter cuidado.

Fui mordido por um cachorro: o que aconteceu?

Fui mordido por um cachorro: o que aconteceu?

São vários os motivos que geram a temida mordida de cachorro. Um dos principais é quando não conhecemos o pet e mesmo assim queremos fazer carinho. A intenção pode ser boa, mas o cãozinho não sabe disso!

Não é porque seu cachorro adora pessoas e carinho que todos os outros são iguais. Se você não conhece o animal, só toque nele com a permissão do tutor. Isso é potencialmente perigoso quando o animal está na guia ou quando você entra no território dele.

Mesmo se o tutor autorizar, avalie a situação e o animal antes de enchê-lo de mimos. O ideal é prestar atenção aos sinais do animal.

Isso vale para cães desconhecidos e também para o seu pet. Os cães costumam se expressar através do corpo, e isso vai muito além do rosnado e do latido. O rabo entre as pernas, corpo arqueado ou pelo eriçado são sinais de medo, que podem anteceder uma mordida.

Acredite: nem todo cachorro gosta de abraços, e é muito importante respeitar isso. Portanto, evite pegar um cachorro no colo ou tentar beijá-lo e abraçá-lo antes de ter a certeza de que o pet é adepto a essas manifestações de afeto. Uma boa dica é iniciar o contato com petiscos. Eles amam!

Por fim, tenha cuidado com as brincadeiras. Sem querer, algumas brincadeiras podem acabar incentivando maus hábitos nos cães. É muito comum que os tutores achem divertido mordida de cachorro na mão quando são filhotes. Porém, incentivar esse comportamento pode acabar gerando transtornos maiores no futuro.

Que tal agora aprender como evitar uma mordida de cachorro?

Quando as mordidas de cachorro são brincadeiras, a melhor forma de evitá-las é direcionando o animal. Tenha sempre um brinquedo em mãos e, quando o pet morder, coloque o brinquedo na boca dele e estimule-o a dar sequência na diversão. Com o tempo, ele entenderá que pode morder o brinquedo e não a sua mão.

Não use seu corpo para controlar uma agressão. Ao notar um comportamento agressivo nos animais, é muito comum que alguns tutores coloquem os braços ou pernas de forma a afastar o animal. Isso não é o ideal, afinal, se ele estiver mesmo agressivo pode acabar direcionando a mordida e te acertando. Dê espaço para ele se acalmar.

Algumas brincadeiras, como assoprar o focinho do cachorro, se aproximar de seus brinquedos ou comida podem fazer com que o animal se sinta inseguro e ameaçado. O que, claro, pode deixá-lo nervoso e incentivar um ataque. Portanto, evite esse tipo de brincadeira e, no caso da comida e dos brinquedos, faça a associação positiva. Procure deixá-lo confortável enquanto se alimenta e dê um petisco quando ele entrega o brinquedo.

Como fazer a mordida de cachorro parar?

Se o cachorro está mordendo apenas porque é um filhote, a causa pode ser a troca da dentição, que gera incômodo aos animais. Nesses casos, o indicado é oferecer ao animal mordedores, que irão ajudar o pet a ficar distraído e se sentir menos desconfortável com os dentinhos. 

Outra dica para fazer o cachorro parar de morder é mostrando que este é um comportamento errado. Fale alto e forte que “não” e direcione a mordida para um brinquedo. Caso as mordidas continuem, passe a ignorar o cachorro. Provavelmente ele estará fazendo isso para chamar a atenção e, ao ignorá-lo, você irá mostrar que esta não é a forma correta de ele conseguir o que deseja. 

Repita esse comportamento até que o animal compreenda que você não está contente e pare de morder. Os cachorros aprendem de forma gradual, por isso é importante estar sempre atento e ensinando.

Se mesmo com tudo isso o cachorro continuar apresentando um comportamento agressivo, talvez seja o momento de conversar com um veterinário ou adestrador profissional para receber ajuda.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário