Platinosomose felina: entenda o que é!

Compartilhar:


platinosomose

Os gatos são animais que, por natureza, gostam de caçar. Eles possuem um instinto predatório bastante apurado e, por conta disso, é muito comum vê-los correndo atrás de brinquedos ou animais menores. Mas, infelizmente, isso pode ser bastante perigoso, afinal, algumas presas podem trazer danos à saúde do pet. A platinosomose, por exemplo, é uma doença que pode acometer gatos que predam lagartixas!

Neste texto vamos explicar tudo sobre a doença, sintomas e prevenção, para que você consiga sempre priorizar a saúde do seu gatinho. Vamos lá?!

O que é a platinosomose felina?

Segundo Joyce Aparecida, médica-veterinária da Educação Corporativa Cobasi, a platinosomose é uma doença causada pelo verme Platynosomum fastosum, transmitido para os gatos quando eles comem ou mordem lagartixas infectadas. 

“No gato, os vermes habitam o fígado, ductos biliares, vesícula biliar e, raramente, o intestino delgado. A doença apresenta mais riscos à vida do animal de forma proporcional ao número de vermes adultos no gato, pois os parasitas começam a migrar, causando lesões e inflamações”, explica Joyce. 

Quais são os principais sintomas?

A gravidade da doença varia muito de acordo com a quantidade de vermes habitando o organismo do felino. Quando há uma grande quantidade destes parasitas, eles procuram migrar e se desenvolver em outras partes do corpo do pet. Dessa forma, acabam causando lesões e inflamações. Além disso, existe a possibilidade de obstrução do ducto biliar por conta da presença desses vermes.

“Os sinais mais comuns são falta de apetite, apatia, perda de peso, vômitos e diarreia. Quando o gato está com muitos parasitas pode ocorrer anemia, aumento do volume do fígado e abdômen, icterícia (pele e mucosas amareladas) e até a morte”, informa Joyce.

Como prevenir a doença?

platinosomose

De acordo com a veterinária, a melhor forma de prevenção é manter os gatinhos longe de pequenos vertebrados, como lagartixas e sapos. “Isso é mais fácil de ser realizado com gatos domiciliados. O tutor pode adquirir brinquedos para que o gato exerça seu instinto caçador de forma segura.” 

Dessa forma, é importante manter o seu gatinho dentro de casa para que ele não tenha contato com animais infectados. Além disso, o tutor deve adquirir brinquedos para que o pet consiga desenvolver e estimular o seu instinto de caça, além de gastar toda aquela energia acumulada. Isso faz com que o pet não sinta falta de caçar em áreas externas.

“Além disso, a realização de vermifugações com medicamentos específicos de tempos em tempos é uma excelente forma de prevenção, sempre sob orientação de um médico-veterinário”, informa Joyce.

Existe tratamento para a platinosomose?

Antes de mais nada, é de extrema importância que, assim que o tutor perceber qualquer sintoma no pet, consulte imediatamente um veterinário. Isso evitará o agravamento da doença ou que ela ofereça ainda mais riscos à saúde do gato.

Após a confirmação do diagnóstico de platinosomose felina, é possível que o veterinário opte por prescrever um antiparasitário. Além disso, pode ser necessário administrar antibióticos para combater o surgimento de outras bactérias posteriormente.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário