Pode dar dipirona para gato? Descubra!

Compartilhar:


Apesar de este ser um medicamento muito comum na medicina humana, será que pode dar dipirona para gato? Ao ver esse tipo de recomendação, é normal ficar com a pulga atrás da orelha, afinal, nem todo remédio para humano funciona nos animais

No entanto, o gato pode tomar dipirona, mas isso jamais deve ser feito sem a prescrição médica, uma vez que o medicamento pode causar outros problemas de saúde nos pets. 

Portanto, neste texto vamos te explicar quando pode dar dipirona para gato, para que ela serve e qual é a melhor forma de oferecer o medicamento aos felinos. 

Quando pode dar dipirona para gato?

A dipirona é um medicamento analgésico e antipirético que age diminuindo a febre e a dor, tanto para os humanos quanto para os animais.

No entanto, é necessário ter atenção na hora de administrar esse medicamento para os felinos, afinal, um erro pode ser fatal, causando intoxicação e até mesmo levando o animal ao óbito. 

Sendo assim, jamais dê dipirona para o gato sem a recomendação veterinária. Além disso, caso perceba algum sintoma de doença no felino, leve-o ao veterinário. Afinal, apenas o profissional saberá indicar a dose correta do medicamento após uma avaliação do quadro de saúde do gato. 

Além de o medicamento dever ser tomado com cautela, existem casos em que ele pode não ser o ideal. Assim, embora possa dar dipirona para o gato, é necessário realizar um cálculo delicado para saber a quantidade ideal

Para isso, o veterinário deve calcular o peso e o tamanho do pet. Além disso, o medicamento só deve ser utilizado por determinado tempo, caso contrário, também pode intoxicar o animal.

Quais os cuidados na hora de dar dipirona para o gato?

Caso o veterinário recomende o uso de dipirona para o tratamento de febre ou auxílio para amenizar alguma dor, lembre-se de tomar alguns cuidados. 

Para facilitar o manuseio do medicamento, prefira dipirona em gotas, mas dê a medida exata recomendada para o felino. Muitas vezes o veterinário pode recomendar apenas 2 ou 4 gotas, e os tutores podem achar a dose ineficiente. 

Portanto, vale ressaltar que a dosagem indicada, por mais que seja pequena, é a ideal para o seu gato. 

Uma seringa com água pode facilitar na hora de oferecer o remédio ao felino, afinal, eles são muito difíceis na hora de tomar remédio. No entanto, tenha cuidado na hora de esguichar o conteúdo dentro da boca do gato. 

Não se esqueça de ficar atento ao gato depois de dar o medicamento, pois é comum que eles tentem cuspir ou vomitar o remédio

Quais são os riscos de dar dipirona para o gato?

Por mais que a dipirona seja um medicamento comum e bem recomendado pelos veterinários, é importante seguir sua orientação à risca

Afinal, essas gotinhas misturadas na água podem até parecerem ineficazes e inofensivas, mas elas estão entre as principais causas nas emergências veterinárias

Isso porque ela é capaz de intoxicar o gato, causando um grande problema para a sua saúde ou até levando o felino a óbito

Sendo assim, a melhor forma de evitar este risco é seguindo as recomendações do veterinário e jamais oferecendo o medicamento ao pet sem uma avaliação adequada

Entre os principais sinais de intoxicação por dipirona estão:

  • apatia;
  • problemas gastrointestinais;
  • vômitos;
  • sangue nas fezes;
  • falta de apetite.

Ao notar que o felino apresenta algum desses sinais, corra para a emergência! 

Além disso, é comum ver o gato espumando após tomar o medicamento, mas calma! Isso é apenas sinal de que ele está tentando vomitar o medicamento. Embora seja um comportamento assustador, não representa risco.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário