Tipos de peixe: conheça as diferenças

Compartilhar:


Existem pets para todos os gostos. Enquanto alguns tutores preferem o calor da presença de um cachorro, outros preferem observar as dádivas da natureza sem um contato tão próximo.

Para este segundo grupo, os peixes de aquário são uma ótima opção. Para este grupo, o primeiro passo para se tornar um tutor responsável é conhecer os tipos de peixe de aquário existentes.

Antes de conhecer os tipos de peixe de estimação disponíveis, é fundamental esclarecer que o fato de estar separado de seu pet por um vidro não diminui as responsabilidades do tutor em relação ao bem-estar desse animal.

Neste contexto, é necessário conhecer a fundo as necessidades deste pet. Afinal, é a partir disso que se poderá garantir que o peixe tenha um habitat saudável em relação à alimentação, ambiente em que se vive e possíveis companhias de outros bichinhos.

Ficou preocupado? Mantenha a calma! Ao somar a leitura deste artigo com uma boa dose de dedicação, você estará preparado para compartilhar uma vida feliz com seu amigo nadador.

Água salgada ou doce? O ponto mais básico da divisão entre os tipos de peixe

Você provavelmente já ouviu falar que, na natureza, determinados tipos de peixe são encontrados apenas em água salgada. E que outros, por sua vez, só são vistos em rios e lagos de água doce.

Pois então. Essa mesma lógica também está presente quando o assunto é criação de peixes em aquário.

Conhecer o habitat natural do bichinho que se pretende criar, portanto, é fundamental. Assim, o tutor irá ter o direcionamento correto sobre uma das questões mais importantes na hora de montar o seu aquário: a água utilizada.

Em geral, a administração da água de um aquário de peixes de água doce é mais fácil e mais indicada para tutores de primeira viagem.

Isso porque estes tipos de peixe se adaptam mais facilmente a diferentes níveis de pH da água.

Para se ter uma ideia mais exata deste cenário, basta analisar que os peixes de água doce se adaptam a aquários nos quais a água tem um pH entre 5 a 9. Em contrapartida, os aquários voltados aos peixes marinhos devem manter um pH entre 8,1 e 8,5.

Ou seja, a margem de ajuste é muito menor nestes segundos, o que exige mais atenção do tutor.

De qualquer maneira, em ambos os casos, é importante que o tutor consulte um veterinário de confiança que possa oferecer dicas específicas para o ajuste do aquário

Os peixes territorialistas e os sociáveis

Além do habitat natural do pet que se pretende adotar, o tutor deverá se atentar ao perfil social e ao comportamento de seus peixinhos.

Assim, será possível evitar que peixes reconhecidamente sociáveis como o Neon chinês se sintam desanimados e até apresentem problemas de saúde ao serem colocados sozinhos em um aquário.

A mesma lógica vale para os tipos de peixe caracterizados pelo perfil dominante e antissocial. Ao colocá-los em um ambiente com os charmosos peixes Betta, por exemplo, o tutor irá estar automaticamente colocando a vida destes segundos em risco.

Quer ver mais dicas sobre peixes? Confira no blog da Cobasi:

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário